A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

03/09/2014 10:00

Por gratificação maior, policiais federais prometem fiscalização rigorosa amanhã

Caroline Maldonado
Servidores fizeram protesto em março deste ano (Fotos: Osvaldo Duarte/Dourados News)Servidores fizeram protesto em março deste ano (Fotos: Osvaldo Duarte/Dourados News)

A mobilização da Polícia Federal não deve prejudicar a segurança nas regiões de fronteira de Mato Grosso do Sul, pelo contrário, segundo o sindicato que organiza o ato no Estado, a fiscalização será mais rígida. Os servidores de diversos setores estarão reunidos para reforçar a fiscalização nos postos de fronteira.

Veja Mais
Fronteira espera 50 mil para a Black Friday e PRF alerta para cuidados
Trabalhador morre ao sofrer descarga elétrica durante conserto de bomba d'água

O Sinpef (Sindicato dos Policiais Federais de Mato Grosso do Sul) garante que a fiscalização estará normalizada na sexta-feira (5), quando começa o Black Friday Fronteira, que espera mais de 50 mil pessoas em Ponta Porã (MS) e em Pedro Juan Caballero, no Paraguai, nas lojas com descontos de até 50%. 

O ato pacífico que reivindica a regulamentação e implementação da Indenização de Fronteira, lei que completa um ano hoje (3), mas não entrou em vigor, ocorrerá nesta quinta-feira (4), pela manhã nos postos da Polícia Rodoviária Federal em Ponta Porã e Dourados e durante a tarde no Posto Esdras, em Corumbá, na fronteira com a Bolívia. A mobilização nacional se estende de hoje (3) até amanhã.

De acordo com o Sinpef, 30% do efetivo de servidores será mantido e ocorrerão, normalmente, os serviços essenciais à população, como registro de armas, passaportes, segurança privada e deslocamento de presos por requisição judicial. “A fiscalização não vai ficar prejudica, ao contrário vai ser intensificada porque os servidores estarão nas fronteiras, não paralisados, mas em mobilização”, destacou o presidente do Sinpef, Jorge Caldas.

Segundo Jorge, a categoria espera uma resposta positiva do governo, pois já vem lutando pela indenização de fronteira há um ano, mas promete continuar com os atos de mobilização caso o Governo não atenda a reivindicação. “Esperamos que seja implementada a lei, porque a falta desse benefício causa prejuízo para toda a sociedade, pois o servidor vai para a fronteira e como não tem nenhum incentivo, depois que completa três ou quatro anos, quando já tem boa experiência e conhece toda a região, ele resolve deixar o local. Se necessário vamos recrudescer o movimento para os próximos meses”, disse o presidente da entidade.

Participarão das manifestações agentes, escrivães, papiloscopistas, peritos, policiais rodoviários federais, analistas-tributários e auditores fiscais da Receita Federal, delegados de polícia federal e servidores do Plano Especial de Cargos da Polícia Federal. Conforme Sinpef, todos são responsáveis pelas ações de fiscalização, controle, vigilância e repressão na faixa de fronteira, atuando no combate a crimes como contrabando, descaminho, tráfico de drogas, armas e munições entre outros crimes.

Indenização de Fronteira – Segundo o Sinpef a implementação da lei é essencial para a efetivação do Plano Estratégico de Fronteiras da Presidência da República, que visa ampliar a presença do Estado nessa faixa do território nacional. Com a Indenização de Fronteira, os servidores receberão o valor de R$ 91,00 por dia trabalhado na região de fronteira, proporcional à jornada de trabalho de cada categoria contemplada com o benefício.

A lei diz que o benefício não será cumulativo com diárias e somente será devido ao profissional que trabalhar efetivamente. No caso de licença médica ou outro afastamento do local de lotação o pagamento da indenização de fronteira será suspensa, de acordo com o Sinpef.

Trabalhador morre ao sofrer descarga elétrica durante conserto de bomba d'água
José Antônio Farias, 51, morreu após sofrer uma descarga elétrica enquanto arrumava uma bomba d'água às margens de uma lagoa, no distrito de Lagoa Bo...
Ciclista morre ao ser atingido por vários tiros disparados por dupla em moto
Wellington Ronaldo de Souza, 34, foi morto a tiros ao ser abordado por dois homens que estavam em uma moto. O homicídio aconteceu às 20h30 de domingo...
Durante briga em lanchonete, homem é esfaqueado e morre a caminho do hospital
Francisco Torales Monteiro, 32, foi encontrado ferido e agonizando em uma lanchonete de posto de combustível por volta de 00h05 desta segunda-feira (...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions