A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 02 de Dezembro de 2016

02/01/2015 08:54

Prefeito de Santa Rita quer expor objeto espacial que caiu no município

Ricardo Campos Jr.
Antes mesmo de ser vistoriado, objeto atraía a curiosidade de moradores locais (Foto: reprodução/Facebook)Antes mesmo de ser vistoriado, objeto atraía a curiosidade de moradores locais (Foto: reprodução/Facebook)

O tanque de combustível de veículo espacial que caiu em Santa Rita do Pardo poderá virar uma espécie de atração turística no município, localizado a 266 km de Campo Grande. Pelo menos essa é a ideia do prefeito local Cacildo Dagno (PRP), que planeja dar uma utilidade ao lixo espacial, atualmente guardado no depósito da delegacia, deixando-o a exposição.

Veja Mais
Estado de saúde de menino abusado por adolescentes é considerado grave
Usina de energia deve gerar R$ 65 milhões de receita ao ano para o município

“O objeto não é radioativo e não tem perigo nenhum à população. Tem muita gente curiosa, gente que passa por aqui e quer vê-lo. Todo mundo só fala desse objeto que caiu na cidade”, disse o político ao Campo Grande News.

A cidade não tem museu e por isso Cacildo está tentando encontrar um lugar para que o destroço fique à mostra. O mais indicado, até o momento, segundo ele, é a biblioteca municipal.

Essa medida, conforme o prefeito, está praticamente certa. Ele está aguardando apenas o fim do recesso de Ano Novo para que possa fazer o traslado da peça. Segundo o delegado local Rodrigo Alencar Camapum, não há informações se a empresa dona do objeto irá pedi-lo de volta.

Sem perigo – Um físico da Comissão Nacional de Energia Nuclear esteve em Santa Rita para fazer uma vistoria no tanque, que despencou do céu em uma chácara. O local até então estava isolado, pois ninguém sabia ser poderia ou não oferecer riscos às pessoas que se aproximavam.

No entanto, foi constatado que não havia emissão de qualquer tipo de onda radioativa e o destroço pode ser guardado.

Mistério – A identificação da peça foi feita pela AEB (Agência Espacial Brasileira) após análise das fotos postadas em redes sociais. Suspeita-se que a origem do item, conforme a assessoria do órgão, seja estrangeira, tendo em vista que o país utiliza tecnologia de placas para mover os objetos que lança no espaço. Como não tem mais utilidade, pode ser considerado lixo espacial.

Uma das hipóteses é que seja parte de um veículo lançador. Nesses casos, normalmente, o tanque de combustível é liberado automaticamente depois que a estrutura atinge uma determinada altura.

Outra possibilidade, segundo a assessoria da AEB, é que o tanque pertença a um satélite e tenha acidentalmente se desprendido durante órbita. É muito difícil, conforme o órgão, determinar a origem da peça e mesmo que isso ocorra, fica a critério do país de origem decidir se irá recuperá-lo ou não.

A queda chamou a atenção dos moradores da cidade não só após a aparição do objeto, mas também pelos rastros de luz que pareciam bolas de fogo, avistados por moradores na noite anterior ao descobrimento do destroço. Ainda não se sabe se o fenômeno tem relação com a peça do veículo espacial.




continuando..... http://www.apolo11.com/display.php?imagem=imagens/2014/lixo_espacial_dez_2014_tanque_no_foguete_20141229-100129_big.jpg.
Espero ter ajudado.

Fontes: apollo11.com; SpaceX; fontes próprias.
 
Geovane Tiburcio de Souza em 02/01/2015 10:20:02
continuando .....Ao se romper, produziu uma enorme esteira de fragmentos incandescentes que cruzaram o norte da Argentina e norte do Paraguai até chegar a Mato grosso do Sul, onde foram observados nas cidade de Jardim, Dourados, Campo Grande e também em Primavera, SP.
Em Santa Rita do Pardo, a 266 km de Campo Grande, os moradores observaram a chuva de fragmentos e a queda de um objeto de grande porte encontrado posteriormente no interior de uma propriedade rural, identificada através das imagens como um COPV (Composite Overwrapped Pressure Vessel), uma espécie de tanque de pressurização usado no Falcon 9. Na sequência, segue link da foto tanque de pressurização do foguete encontrado em uma propriedade em Santa Rita do Pardo e os mesmos tanques (vermelhos) montados na estrutura do Falcon 9
 
Geovane Tiburcio de Souza em 02/01/2015 10:14:20
Sobre o objeto:

O segundo estágio de um foguete Falcon 9 reentrou ontem na atmosfera acima da Região Centro-Oeste do Brasil produzindo uma enorme chuva de detritos incandescentes. Alguns pedaços cairiam intactos sobre uma propriedade a 266 km de Campo Grande.
A reentrada do lixo espacial ocorreu aproximadamente a 01h30 da madrugada de domingo e foi provocada pela queda do segundo estágio de um foguete Falcon 9, pertencente à empresa americana SpaceX.
O foguete, identificado internacionalmente como NORAD 40142 foi lançado em 7 de setembro de 2014 e teve como objetivo colocar em orbita o satélite geoestacionário AsiaSat 6. Com o passar do tempo, 40142 perdeu altura e penetrou na atmosfera da Terra na altura de San Pedro de Atacama, no Chile.
 
Geovane Tiburcio de Souza em 02/01/2015 10:10:45
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions