A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

03/09/2012 17:22

Retaliação ao trabalho de policial motivou sequestro de professora, diz delegado

Gabriel Neris

Investigações continuam para achar outras pessoas que teriam ajudado suspeito pelo telefone celular

Rafael Machado Miguel foi apresentado nesta segunda-feira pela Polícia Civil (Foto: Jornal da Nova)Rafael Machado Miguel foi apresentado nesta segunda-feira pela Polícia Civil (Foto: Jornal da Nova)

A Polícia Civil de Nova Andradina apresentou nesta segunda-feira (3) Rafael Machado Miguel, de 19 anos, conhecido como “Neto”. Ele é acusado de ter sequestrado uma professora, 28, da rede pública na última quarta-feira (29), por volta das 21h.

A motivação do crime, segundo o delegado, é pelo fato da professora ser esposa de um policial militar. O sequestro seria uma retaliação ao combate da Polícia Militar contra os crimes no município.

De acordo com o Jornal da Nova, o delegado André Luiz Novelli disse que as investigações começaram nas primeiras horas do dia seguinte. Neto foi preso pela Polícia Militar no sábado (1) na região central de Nova Andradina.

“Chegamos à conclusão de que Rafael é o autor do sequestro, uma vez que ele nega a sua autoria, mas temos provas contundentes de que é o sequestrador”, disse ao Jornal da Nova.

As investigações continuam para achar outras pessoas que teriam ajudado Rafael. Durante o sequestro ele estava a todo momento no telefone. O delegado pediu a prisão preventiva de Rafael, que foi deferida pela Justiça.

O caso – A professora foi sequestrada por volta das 21h de quarta-feira. A vítima saiu da escola em direção ao seu veículo e ao entrar foi surpreendida por um homem que já estava no banco de trás do carro. Com uma corda, o bandido entrelaçou o pescoço da vítima e ordenou que ela ficasse calada e guiasse o carro.

Durante o percurso, ele conversava com outra pessoa pelo telefone celular e dizia que já estava com ela, além de perguntar quem cobraria a “bronca” quando chegassem ao lugar.

O rapaz mandou que a vítima dirigisse pela rua Pastor Júlio de Alencar, sentido cemitério, e ameaçava com xingamentos. “Mulher de polícia tem que ser tratada assim”, teria dito o bandido, que agrediu a mulher com socos e puxões de cabelo.

Ainda de acordo com o Jornal da Nova, o rapaz ordenou que a vítima passasse em frente à residência dela, afirmando que seria a última vez que ela estaria naquela rua, pois iria matar a mulher e, posteriormente, o marido dela.

A vítima conduzia o carro na estrada conhecida como Boiadeira quando perdeu o controle do veículo num matagal. O carro ficou encavalado e a vítima saiu correndo, aos gritos. O assaltante também fugiu.

Lojas vão estender horário de atendimento durante o mês de dezembro
O comércio de Ponta Porã - cidade localizada a 323 km de Campo Grande - irá funcionar em horário especial neste fim de ano. Os horários e dias foram ...
Esposa é presa ao tentar entregar pão recheado com maconha para detento
A esposa de um detento de Itaquiraí, distante 410 km de Campo Grande, foi presa na tarde de ontem (7) tentando entregar um pão recheado com maconha p...



é mais hoje alguns oficiais pregam que a policia nao pode matar o bandido tem que morrer e deixar o bandido vivo,é a puliça comunitariaa
 
rinaldo nantes em 03/09/2012 10:51:43
Como disse o Cel. Adib hoje a lei é contra o bem e os Direitos Humanos está do lado de lá da justiça. Se fosse na época do GOF, hoje DOF, não passaria de 05 minutos e os fatos já estariam elucidados, inclusive em seus detalhes. Tempos bons que não voltam mais.
 
José Torraca em 03/09/2012 06:32:02
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions