A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 20 de Fevereiro de 2017

26/12/2012 15:50

Submetidos a condição precária, 17 operários são resgatados de obra

Viviane Oliveira
As três camas construídas com tábuas, ao lado do depósito de lixo e junto a uma pilha de cimento(Foto: divulgação)As três camas construídas com tábuas, ao lado do depósito de lixo e junto a uma pilha de cimento(Foto: divulgação)
O calor no cômodo era grande e a ventilação vinda de uma pequena janela, com vidros quebrados e coberta com plásticos. (Foto: divulgação)O calor no cômodo era grande e a ventilação vinda de uma pequena janela, com vidros quebrados e coberta com plásticos. (Foto: divulgação)

Auditores fiscais do Ministério do Trabalho e Emprego resgataram 17 operários, entre eles dois adolescentes, submetidos a condições degradantes em um canteiro de obras na rua Traira, no bairro Laranja Doce, em Dourados, cidade distante 233 quilômetros de Campo Grande. O resgate, divulgado hoje, aconteceu em ação realizada entre os dias 7 e 17 de dezembro. 

O nome do responsável pela obra não foi divulgado. A informação é de que o grupo foi contratado por uma pessoa, que ficou responsável pela construção de oito casas com recursos do programa popular ‘Minha Casa, Minha Vida financiados pela Caixa Econômica Federal.

A ação foi feita depois que operários paraguaios denunciaram que estavam trabalhando sem registro, sem fornecimento de equipamentos de proteção individual, estavam alojados em condições precárias e com salários atrasados.

No local indicado, a equipe de auditores constatou que os trabalhadores estavam alojados em uma casa em péssimas condições de higiene e conservação. Destes sete são de nacionalidade paraguaia, que não tinham autorização para trabalhar no Brasil e dois adolescentes de 16 anos.

Condições precárias-Do lado de fora da casa, havia três camas construídas com tábuas, ao lado do depósito de lixo e junto a uma pilha de cimento. No local não havia paredes que impedissem o sol ou chuva. As camas eram feitas de colchões esfarrapados.

Na cozinha, as paredes e o piso estavam em péssimas condições de higiene, os mantimentos eram “armazenados” ao lado do banheiro, em condições ainda piores de higiene. O calor no cômodo era grande e a ventilação vinda de uma pequena janela, com vidros quebrados e coberta com plásticos.

No alojamento havia apenas um banheiro em péssimas condições. Os trabalhadores foram retirados do local e encaminhados a dois hotéis da cidade. O valor das verbas rescisórias pagas alcançou o valor de R$ 67 mil. No total foram emitidos 12 autos de infração.

Adolescente morre ao ser esfaqueado por cunhado durante velório
Jonardo Irala, 17, foi morto com uma facada na altura do peito durante discussão com o cunhado, enquanto participavam de um velório que acontecia na ...
Empresa terá de pagar R$ 30 mil à viúva de caminhoneiro morto em acidente
A viúva de um caminhoneiro de Nova Andradina, município a 300 km de Campo Grande, vai receber R$ 30 mil em indenização pela morte do marido, ocorrido...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions