A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016


  • De olho na TV
  • De olho na TV

    com Reinaldo Rosa


22/01/2014 09:08

Visualização do futebol de MS

Reinaldo Rosa

AQUI E LÁ - É inegável o apoio da TV Morena e a capacidade do corpo de cronistas esportivos envolvidos na cobertura do campeonato sul-mato-grossense de futebol. Chamados times grandes de outras praças como Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul e Minas Gerais (para citar alguns) também não têm levado expressivos públicos aos estádios. Ainda a ressaca de fim de ano e encargos a serem pagos no período que se inicia também conta.

Veja Mais
Horário engessado limita noticiário de emissora
Crise afeta dízimo e vida de TVs de evangélicos

VOZ DA GERAL - Técnico do Comercial, Amarildo, em longa entrevista a jornal impresso da capital deu parecer - curto e grosso - sobre a falta de público nos estádios. "Faltam jogadores de expressão que possa empolgar o torcedor".

Senador Delcídio do Amaral nega-se a proporcionar ações de apoio "enquanto a atual diretoria (da FFMS) for mantida". Faça-se um balanço dos fatos registrados nos últimos anos; abra-se um painel de discussão e veja-se o norte a ser seguido. Simples assim.

CACHÊ - Tatá Werneck, a Valdirene de Amor à Vida, cobrava cachê de R$ 8 mil para participar de eventos particulares. Após se tornar a queridinha da emissora Global, o valor subiu para quarenta mil reais; por hora. Não respeitou o índice da inflação de 5,9% registrado no ano.

CACHÊ II - Michel Teló tentou impor cachê para músicos paulistas fazerem parte de suas apresentações. Com forte representação sindical, profissionais de Sampa, reagiram com solene 'essa mixaria você pode oferecer a músicos lá do pantanal'. A sugestão foi acatada e é o que acontece. Simples assim.

NÃO É COMIGO - Rachel Sheherazade, âncora do SBT Brasil Jornal SBT, se expressa de forma contrária ao que o poder central aprecia ouvir. Presidente Dilma Rousseff e seus ministros -além do ex-presidente Lula- não são poupados pelos editoriais da moça. A emissora do homem do baú sempre toma o cuidado de colocar na tela que a fala é de responsabilidade de Sheherazade.

VC NA COLUNA - "Assistindo o Fantástico, me chamou atenção matéria sobre o marido que tomou coragem e saiu pelo mundo tirando fotos com apenas uma saia de tule, para alegrar a esposa que passa por um câncer. São momentos assim que me emocionam porque só quem convive e vive com esta doença sabe a importância de ter um tratamento digno, humano e com muito amor. Realmente o Centro de oncologia (de Corumbá) não vai fechar, pois é um serviço credenciado pelo Ministério da Saúde, que, com orgulho, posso falar que nós voluntarias da Rede Feminina De Combate Ao Câncer Corumba-MS [1], ajudamos a trazer. A realidade é que já perdemos um oncologista e estamos na eminencia de perder mais um. E aí, como fica? Já temos outra equipe no município para substituir? Quem ficará responsável pelo serviço? O Hospital de caridade? Desculpa o desabafo; estou ficando cansada de esperar por decisões (oficiais)! Só quero lembrar que câncer não espera". (Luciana Candia)

VC NA COLUNA II - "Quanto ao tópico Rolezinho, eu só acho o seguinte: Pessoal, inclusive quem faz matéria esportiva, insiste em criticar o público no Morenão, mesmo com a força da crônica esportiva e os demais - permita-me chamá-los de colegas -. É verdade, o público é pequeno. Mas, no entanto, veja por favor, também os públicos nos demais campeonatos, a crise de público não é apenas aqui em Campo Grande especificamente. Pare com isso! Eu apanhei rapidamente aqui nas minhas informações: o público de Flamengo x AUDAX (grande AUDAX), foi de 10 mil pessoas; Fluminense x Madureira: 2.826 e Vasco x Boavista 5.763 e em Campo Grande tem uma população flutuante de pouco mais de um milhão de habitantes contra 6.320.436 mil pessoas, no Rio de Janeiro, e o público da Copinha? Fale disso também"! (Gilson Giordano)

R DO R - Prezada Monique Santos, errei. TV Guanandi é, de fato, com "i" no final e não "y". Por ser distinção indígena, a palavra é grafada com 'y'. Fui pela etimologia e, em relação à repetidora local da Band, dancei. Um abraço e continue prestigiando a coluna.

COMPARTILHANDO - "Trabalhar como jornalista é contar histórias. Carlos Arakaki e eu no clube União dos Sargentos, em Campo Grande, em plena terça-feira à tarde, gravando para o Viver Bem com Carmen Cestari. Lições de alegria e muita disposição com os casais que participam do Baile da Terceira Idade! Sensacional! A matéria vai ao ar na sexta, dia 24/01, às 10 da manhã. Vale a pena se contagiar com a energia desta moçada". Carmen Cestari

DESAFIO - Rede Feminina de Combate ao Câncer Corumbá-MS. [1]Se você é homem, entre nessa briga.

Links:
------
[1] https://www.facebook.com/pages/Rede-Feminina-De-Combate-Ao-C%C3%A2ncer-Corumba-MS/387701464664068

Horário engessado limita noticiário de emissora
PLANO DE VOO – Segunda-feira, às 4h10, o ‘Plantão da Globo’ anuncia a queda do avião com a delegação do Chapecoense. Um minuto após, volta a exibição...
Crise afeta dízimo e vida de TVs de evangélicos
MILAGRE ECONÔMICO – Com a crise econômica nos últimos anos, os fiéis de igrejas evangélicas sumiram dos templos e murchou a principal fonte de pagame...
Jornalismo local está cada vez mais nas redes sociais
ASSISTINDO AGORA – Uma semana do novo ‘Tribuna Livre’, na Capital FM, com transmissão, também pelo Youtube. A novidade ainda não empolgou a linha de ...
Rádios locais praticamente ignoram produção premiada
FAMOSO QUEM – Almir Sater e Renato Teixeira estão incluídos em pequeno nicho de emissoras de Mato Grosso do Sul que executam suas músicas na programa...



Reinaldo,

Sua coluna deveria ser diária e abordar mais a programação regional das emissoras de radio e tv. acredito na força do regionalismo e acredito também que o mercado publicitário deveria acreditar mais no potencial dos regionais, só assim eles poderão melhorar a qualidade. Chamo a atenção para o programa TPM da Band. Muito bem produzido e apresentado, com matérias muito bacanas. Abraços e sucesso.
 
marcele nunes em 22/01/2014 16:55:26
Oi anderson cavalheiro brasil - pessoal eu de novo! - Anderson em seu comentário logo acima vc dise que o campeonato está apenas começando, classificando os jogos - ao todo foram cinco partidas - como PÍFIOS. Certo.Concordo com vc.. mas meu amigo.. vc viu os jogos de outros Estados. Vou te refrescar, o Grêmio perdeu, o São Paulo perdeu.,.. ontem, o Santos empatou com o Audax,o Botafogo empatou com o Bangu.. ei carinha.. acorda.. a falta de talento não é apenas aqui no futebol do Estado. Isso éem todo o pais. Senão vejaoms os jogos da copinha onde não aparceu ninguem até o momento. Se for pra criticar, façamos uma critica no geral. Não apenas aqui no Estado, ora bolas!
 
Gilson Giordano em 22/01/2014 14:16:08
mudar o panorama e a imagem do futebol do estado é praticamente impossível!!!o que tem que mudar é tudo;a começar pela mentalidade e cultura da população do estado que prefere ficar embaixo de uma árvore o dia inteiro sem fazer nada a o ir no estádio assistir uma partida de futebol!!!é claro que a qualidade técnica das equipes e principalmente individual dos atletas é péssima,jogos sem lance algum de emoção,ninguém tenta dar um drible e a coitada da arbitragem que se sobressai com árbitros de escudo CBF atuando em jogos pífios;e olha que o campeonato só está começando...
 
anderson cavalheiro brasil em 22/01/2014 10:48:23
Eu "di" novo... quanto ao tópico SENADOR..não tenho a certeza, pois não participei da reunião, mesmo porque não fui convidado... mas me contaram que ano passado, quando o referido Senador que nunca ajudou o futebol do Estado nem quando foi da Petrobras - se não me falha a memória, mesmo porque ninguém o conhecia, ele nunca ajudou - queria a direção da FFMS a todo custo. Pasmes os senhores, NAQUELA OCASIÃO, a intenção dele era a de levar para a entidade PEDRO CHAVES, atual secretário do Prefeito que fechou o estádio Jacques da Luz. Agora eu pergunto aqui, é claro de público: O professor Pedro Chaves, outrora Magnifico, será que o mesmo conhece de futebol? será que ele sabe os meandros dessa modalidade esportiva. Por isso eu elogio a atual diretoria da FFMS. PARABÉNS pelo belo campeonato.
 
Gilson Giordano em 22/01/2014 09:49:15
Sempre esperando a coluna,para o meu deleite..... mais uma vez apontarei aqui para o pessoal, inclusive para o técnico Amarildo de Carvalho, que viveu parte da época ÁUREA do futebol brasileiro, quando existiam na acepção da palavra o CRAQUE. Ontem (terça-feira) por exemplo, jogaram pelo Paulistão, no Pacaembu, Santos e o todo Poderoso Audax, este de São Paulo (são dois.. um em SP e o outro no Rio), fim de jogo 1x1, sendo que o Santos empatou aos 42 minutos do 2º tempo. Campeonato Carioca, São Januário: Botafogo 0 x 0 Bangu. Amarildo, para se ter uma idéia, NAQUELA ÉPOCA, esses "timinhos" com todo o respeito, eram apenas coadjuvantes e tomavam SACOS de gols. Apenas isso. Hoje, não tem mais, NÃO EXISTE MAIS o cara craque de bola. Por favor, vejam os jogos da tal Copinha. ACABOU!
 
Gilson Giordano em 22/01/2014 09:30:36
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions