A notícia da terra a um clique de você.
 
29/10/2016 08:38

Como entender a miniguerra mundial que ocorre na Síria

Mário Sérgio Lorenzetto
Como entender a miniguerra mundial que ocorre na Síria

É preciso um manual para entender o conflito que já ceifou 250 mil vidas na Síria. O jornal Washington Post a denominou "miniguerra mundial". Há um amplíssimo espectro de interesses sendo jogados em território sírio. São aviões russos jogando bombas pelo alto, milícias iraquianas e libanesas que, inexplicavelmente, se consorciaram com iranianos, avançado por terra.

Veja Mais
Os governantes que ouvem os cidadãos
Prefeituras iniciam decretos de calamidade financeira

Vários grupos de rebeldes sírios com dinheiro e armamentos norte-americanos combatendo as milícias. Outros tantos grupos financiados pela Arabia Saudita é pelo Catar. As forças turcas atirando preferencialmente nos curdos separatistas. Curdos não separatistas matando rebeldes anti governo sírio.

É o Estado Islâmico se aproveitando do caos armado para conquistar pequenas vilas e povoados. Se conseguiu acompanhar até aqui a nacionalidade dos interesses em guerra na Síria, saiba que há tantos outros.

Especialmente os voltados à religiosidade e origem de cada povo que no pôs Segunda Guerra Mundial foi fatiado aleatoriamente pelos ingleses. O mais importante ramo dessa guerra que também tem caráter religioso é o que coloca em armas os sunitas contra os xiitas alauitas.

Outro fator decisivo nessa guerra é a derrota total dos moderados de todas as forças. Hoje, somente radicais de todas cores e tons se matam em território sírio. Os moderados foram exterminados ou expulsos.

Como entender a miniguerra mundial que ocorre na Síria

A Arca de Noé das Sementes será aberta por causa da guerra na Síria.

Ela fica a 1.300 kgm/S do Polo Norte. Falamos de um banco global de sementes, localizado na Noruega, no arquipélago de Svalbard, onde estão armazenaras mais de 5 mil espécies diferentes. Trata-se de um dos maiores tesouros da humanidade que pensa e cuida da biodiversidade. O centro de armazenamento foi criado em 2008 pelo governo norueguês em parceria com a ONU. Consegue resistir a terremotos e a atividades vulcânicas.

Com as sementes armazenadas seria possível plantar em áreas afetadas por algum tipo de desastre natural. Essa foi ideia que permeou a construção construção da Arca de Noé moderna. Como está em lugar gelado quase o tempo todo do ano, ficou fácil manter a vida da flora. Desde sua entrada em funcionamento já foram guardadas mais de 864 mil amostras de sementes. Esse "cofre" está organizado para receber até 4 milhões.

Até agora não foi aberto uma só vez. Os conflitos na Síria obrigaram o Centro Global de Sementes, o nome correto da Arca de Noé, a abrir suas portas. A organização está retirando 130 caixas de sementes, em um total de 116 mil sementes em ótimas condições transferidas para a região de Alleppo, uma localidade que não consegue criar animais e nem distribuir sementes para alimentar a população.

Como entender a miniguerra mundial que ocorre na Síria

Um pote até aqui de lágrimas. O primeiro banco de lágrimas do mundo.

Afinal, quem está certo: muitas espécies animais choram como querem os químicos ou somente os humanos choram como pensam os psicólogos. A resposta é: ninguém sabe.

Como não sabem, pode perguntar a moça chorona? Simples, minha cara chorona, a lágrima se degrada muito rapidamente e não conseguem estudá-la.

À saída está em Israel. Notam Sobe-lhe, um neurobiólogo, resolveu criar um banco de lágrimas. Isso mesmo, um banco que guarde lágrimas a baixíssima temperatura - algo como menos oitenta graus Celsius - para que os cientistas entendam as lágrimas finalmente.

A ideia poderá ser convertida em um negócio milionário. Sabe-se que com o advento do uso exagerado das telas de computadores, as lágrimas estão secando. O Vale do Silício é outro provável cliente do banco de lágrimas. Estão inventando displays transparentes, tipo de "óculos", que fornecem informações de navegação visual, sem exigir que o usuário desvie o olhar do que está à sua frente, por exemplo, em um avião. Isso resseca muito os olhos. "Bonzinho" o israelense, não?




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.