A notícia da terra a um clique de você.
 
02/10/2016 07:00

Gases: rompemos o silêncio

Mário Sérgio Lorenzetto
Gases: rompemos o silêncio

Sabemos que você é muito fino e não gosta de tratar desse tema. Mas a realidade é dura, difícil e às vezes barulhenta. Muitos humanos sofrem de meteorismo e são verdadeiras usinas de gases. Esse transtorno, em que padece tanto o "paciente" como todos em sua volta, é, muitas vezes, relacionado com a comida. Por isso, lançamos o enfrentamento e rompemos os tabus que o rodeiam. Tudo em uma matéria, creiam, 100% desodorizada.

Veja Mais
Os governantes que ouvem os cidadãos
Prefeituras iniciam decretos de calamidade financeira

Gases 1.
Coma mais fibras e tome mais água. Mas, cuidado, se comer muita fibra, obrigatoriamente, terá de tomar muita água, senão:PUM!
Gases 2.
Coma mais frutas frescas, cereais e vegetais em geral.
Gases 3.
Evite beber refrigerantes. Eles, é óbvio, contêm gases. Favorecem a expulsão de gases tanto por cima como por baixo.
Gases 4.
Descole-se dos chicletes. Eles tem um corante que é grande "patrocinador" dos gases.
Gases 5.
Mantenha-se ereto, em posição vertical, especialmente quando está bebendo ou comendo algo.
Gases 6.
Pode consumir feijão, repolho, couve, couve-de-bruxela, grão-de-bico e vagens, mas não em excesso.
Gases 7.
Procure comer pratos, ou bebidas, que levem muito alecrim, erva-doce, cominho, anis e tomilho. São ótimos para evitar gases.
Gases 8.
Todos os médicos consultados foram unânimes em afirmar que o excesso de gases pode ser um sintoma de aversão à lactose ou à frutose. Mas, muito cuidado, nunca, nunca mesmo, se autodiagnostique. Procure um médico para saber de alguma intolerância.

Gases: rompemos o silêncio

Erros e horror no uso do azeite de oliva

O azeite de oliva é o preferido de todos que cozinham. Muitos mimam o apreciado óleo vegetal. Mas parece que não muitos o conhecem bem. Há algumas lendas em sua utilização. É bom colocar o azeite na frigideira antes de acender o fogo? Deve ser usado sempre sozinho? Qual a quantidade de azeite para fritar? Onde devemos guardá-lo? A baixa acidez é sinônimo de qualidade? Se querem saber a resposta, empreguem um par de minutos.

Erro número 1: cozinhar só com azeite de oliva.
O azeite de oliva não vai bem com todos os alimentos. A comida asiática vai melhor com óleo de girassol, que tem gosto mais neutro. Assim, como também no preparo da maionese, que pede óleo de girassol ou óleo de soja misturado com o de girassol.
Erro número 2: fritar azeite e dinheiro.
Não frite teu dinheiro. O azeite de oliva, se não for queimado, pode ser reutilizado entre 3 e 5 vezes. O de girassol, duas vezes.
Erro número 3: um banho de azeite.
Não há motivo para dar um banho de azeite de oliva na tua salada. A medida correta, e saborosa, é uma colher de sopa ou uma colher e meia de sopa por pessoa.
Erro número 4: queimar o azeite.
O azeite de oliva não deve ser colocado na frigideira fria. Esquente-a um pouco, comprove a temperatura com a mão um pouco acima da frigideira e, só depois de quente, coloque o azeite de oliva. A alternativa é colocar o azeite no alimento a ser frito e não na frigideira.
Erro número 5: armazenar em lugar quente durante muito tempo.
Azeite de oliva não é vinho. Perde seu sabor, se degrada, quando armazenado por muito tempo. Armazene-o em lugar fresco e escuro. Procure consumí-lo o mais rápido possível.
Erro número 6: acreditar na lenda da baixa acidez.
A acidez não influi no sabor do azeite de oliva comum. Para os extra-virgem, quanto menor a acidez, ele será melhor. A regra só é valida para os mais caros extra-virgens.
O horror.

Não jogue o azeite de oliva usado na pia. Coloque em uma garrafa qualquer e jogue no lixo a ser reciclado.

Gases: rompemos o silêncio
Gases: rompemos o silêncio

Tributos Frankenstein. Só uma reforma tributária para consertar

Nas últimas décadas, o Brasil foi fazendo "puxadinhos" com os impostos. Criou alguns novos, fez adaptações aqui e ali e chegou a uma espécie de Frankenstein da tributação. Daqui a pouco o único jeito será sentar e refazer todo o sistema. A primeira tarefa será retirar a ênfase do consumo e buscar um sistema mais equilibrado entre suas três partes: cabeça do monstro (consumo, com carga de 24%), corpo do Frankenstein (renda, com carga de 15%) e membros (patrimônio, com carga de 3%).

Se você estiver tomando uma latinha de refrigerante, saiba que está pagando quase a metade em impostos (46%). Ah, você gosta mais de sucos? Não importa. Lá se vão 36% para os governos. E não estamos nem na parte morna do monstrinho.

É madame? Gosta de perfume importado? Esse é o mais quente de todos: 86% do preço dele vai para os governos. Continua fumando (tabaco, e não maconha)? Saiba que o governo fuma 83% de seu cigarro. E a cachaça? Chegado nela? Pois o governo bebe quase 82% de seu copo. Vai presentear teu filho com brinquedo estrangeiro no dia das crianças? O governo fica com 80% do carrinho (não sobram nem as rodinhas). Erraram na mão. "Suicidaram" os Estados e a Federação com os exageros na cobrança de impostos. Terão de consertar o Frankenstein.

Gases: rompemos o silêncio



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.