A notícia da terra a um clique de você.
 
16/02/2015 07:47

Impeachment de Dilma está deixando de ser mais uma bobeira sem base política

Mário Sérgio Lorenzetto
Impeachment de Dilma está deixando de ser mais uma bobeira sem base política

Começaram a fazer as contas para o impeachment de Dilma

Veja Mais
O ronco da barriga é o fator decisivo
Povo nas ruas novamente. Como fica a Previdência?

O impeachment de Dilma saiu da base descompromissada dos radicais da internet. Com a publicação de um artigo do jurista Ives Gandra (que dizem ter sido encomendado por FHC) que sustenta a viabilidade jurídica dessa hipótese, o tema saiu da banda das "lendas urbanas", dos delírios de um novo golpe militar, da implantação de uma ditadura bolivariana e do separatismo entre norte e sul. Todos são bobagens da mesma natureza, mas o impeachment está deixando de ser mais uma dessas baboseiras sem base política.

Começaram os discursos tratando do impeachment de Dilma no Congresso. Cássio Cunha Lima (PSDB - PB) e Cristovam Buarque (PDT-DF) debateram o assunto. Não quer dizer muita coisa, não tem muita importância, mas esses discursos "furaram a barreira do impossível". Era impossível tratar de impeachment com alguma seriedade; não é mais. As oposições começaram a medir as possibilidades, a quantificar os riscos e a projetar os vários cenários. São más notícias para Dilma e para o PT que "comemora" 35 anos de existência e 12 anos de poder. Uma festa pobre e melancólica, muito diferente de outros eventos similares. Esse é outro aspecto analisado pelos opositores de Dilma. O PT e seu governo está se desvinculando da alma dos brasileiros.

Começaram a fazer as contas para a interrupção do mandato presidencial. A América Latina, uma empresa de consultoria internacional, do grupo Eurasia, calculou o risco em um recente artigo como um evento com chance de acontecer de 20%. Para essa consultoria o impeachment poderá ocorrer caso evoluam concomitantemente" quatro fatores: o envolvimento pessoal de Dilma com o escândalo da Petrobras, a curva de popularidade do governo e do prestígio pessoal da Presidenta Dilma, de um possível distanciamento de Lula de sua ainda protegida e do vice presidente Michel Temer converter-se em um projeto de poder para a oposição (neste momento não é projeto nem mesmo do PMDB). Se em números a chance do afastamento de Dilma da Presidência da República seria de 20%, em fraseologia é: " improvável, mas não impossível".

Impeachment de Dilma está deixando de ser mais uma bobeira sem base política
Impeachment de Dilma está deixando de ser mais uma bobeira sem base política

A família Bolsonaro e a bancada da bala

O lema deles é:"antes bancada da bala do que da mala". Eles têm uma quantidade de votos que impressiona. O chefe da família é o deputado federal Jair Bolsonaro, reeleito para o sétimo mandato com mais de 464 mil votos pelo Rio de Janeiro. Seus irmãos, Flávio e Carlos, estão no quarto mandato de deputado estadual e vereador no Rio de Janeiro, respectivamente. Os caçulas Renan, 16, e Laura, 4, ainda não tem idade suficiente.

Só faltava Eduardo, de 30 anos, um surfista carioca que mudou-se para São Paulo e entrou na Polícia Federal. O "surfista da bala" conquistou o apoio de mais de 82 mil eleitores e em conjunto com o pastor ainda mais afamado, Marcos Feliciano, estão entre os representantes do PSC na Câmara de Deputados. No cartaz de Alexandre Padilha, candidato do PT ao governo paulista, Bolsonaro desenhou rabo e chifres diabólicos. De vermelho, em sua casa, só dropes Halls sabor morango.

Como os demais membros da família, Bolsonaro surfista- policial defende a pena de morte, a redução da maioridade penal, a prisão perpétua e a revogação do Estatuto do Desarmamento. Eles entendem que hoje, os direitos humanos estão muito fortes. Um tapa na orelha de um menor se transforma em uma tempestade. E dizem abertamente que preferem a cadeia cheia de vagabundo a cemitério cheio de inocentes. O mais incrível: não se consideram radicais e sim conservadores que reagem a tudo aquilo que não acham correto. Afirmam que não são passivos e não se calam diante de fatos como o kit gay ou a ditadura bolivariana. Não existem iguais no Mato Grosso do Sul, mas há similares mais amenos de igual fama e estridência.

Impeachment de Dilma está deixando de ser mais uma bobeira sem base política
Impeachment de Dilma está deixando de ser mais uma bobeira sem base política

Os loucos estão soltos

Em Trieste, cidade do nordeste italiano, com uma população de pouco mais de 200 mil habitantes, os loucos estão soltos. O último hospital psiquiátrico foi fechado em 1979 pelo médico Franco Basaglia. Para celebrar o fim do hospício, doentes, enfermeiros, médicos e artistas construíram um imenso cavalo azul de papelão. Colocado no local onde viveram reclusos durante anos, cerca de 1.200 loucos simbolizavam a liberdade com o cavalo, o retorno à vida cívica, a reapropriação da cidadania e um chamado a uma outra psiquiatria.

Em 1978, uma lei generalizou ao conjunto do território a experiência feita em Trieste, ordenando o fechamento de todos os hospitais psiquiátricos. A decisão, fruto de uma evolução intelectual e política, levou um tempo para se impor: o último estabelecimento fechou suas portas apenas em meados de 1990.

A ideia de Basaglia é a de sem negar a doença, pensa que a relação terapêutica só é possível com um doente mental livre. Para substituir o hospital psiquiátrico Basaglia criou centros de saúde mental. Hoje, existem quatro centros em Trieste que ficam abertos 24 horas por dia e cada um dispõe de seis ou sete leitos. O foco está na acolhida diurna - no ambulatório. As pessoas que sofrem de problemas mentais recebem tratamento, fazem uma refeição, encontram uma assistente social, um psiquiatra, um psicólogo e participam de várias atividades ou de grupos de discussão. Ninguém fica mais do que uma semana ou duas, e apenas em caso de crise. Os pacientes vivem em família ou em residências não medicalizadas. Urgências médicas sempre surgem. O ambiente é descontraído: nenhuma porta é fechada, tudo é claro, limpo e acolhedor. A contenção (prender em uma cama) foi banida. Uma crise grave de, por exemplo, um esquizofrênico, é tratada sem que ele se sinta em uma prisão, que ele não tem inimigos no centro de saúde e que poderá sair rapidamente. Os pobres têm sua "clínica" onde se tratar. E mais: eles recebem uma subvenção pública para adquirir uma formação profissional ou artística.
A Organização Mundial de Saúde reconheceu a qualidade do trabalho feito em Trieste. Nenhum excesso foi constatado. A hospitalização obrigatória diz respeito a menos de 10% dos pacientes e a taxa de suicídio diminuiu pela metade entre 1990 e 2001.

Impeachment de Dilma está deixando de ser mais uma bobeira sem base política



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.