A notícia da terra a um clique de você.
 
17/11/2015 08:14

No período Olarte não existiram números de receita e despesa confiáveis

Mário Sérgio Lorenzetto
No período Olarte não existiram números de receita e despesa confiáveis

Olarte deixou para Bernal R$107 milhões.

Veja Mais
Diga sim à vida. O aborto é inaceitável
EUA: a homeopatia terá de informar que não funciona

No período Olarte não existiram números de receita e despesa minimamente confiáveis. A total ausência de transparência continua a vicejar nos meandros da prefeitura da Capital. Mas, enfim, alguns poucos números começam a surgir e não são da prefeitura. O Tesouro Nacional que dispõe de uma equipe de fiscais de elevado nível, e confiabilidade, divulgou um estudo em que surgem receita e despesa praticadas pela administração pública. De acordo com o Tesouro, Campo Grande teve despesa total, entre janeiro e agosto, de R$ 1.677,10 bilhão e receita total de R$1.784,98 bilhão. A diferença de R$107,88 milhões ficou nos cofres da prefeitura para o Bernal fazer frente a, pelo menos, operações de tapa-buraco, merenda escolar e medicamentos nos postos de saúde.

No período Olarte não existiram números de receita e despesa confiáveis
No período Olarte não existiram números de receita e despesa confiáveis

Onde foi parar o R$1,3 milhão que o Detran repassou para a Prefeitura de Campo Grande retirar a rotatória da Via Parque.

Ninguém sabe, ninguém viu. O dinheiro destinado a mudanças na confluência da Via Parque com a Avenida Mato Grosso desapareceu? Há quase um ano o Detran repassou R$1.372.991,81 para que a prefeitura retirasse a rotatória desse ponto de estrangulamento do trânsito. O projeto previa a instalação de oito semáforos e duas novas alças de acesso. A prefeitura, comandada por Olarte, garantia que as obras teriam início em 45 dias. Todavia, passados 11 meses, não instalaram sequer uma lanterna quanto mais um semáforo.

No período Olarte não existiram números de receita e despesa confiáveis
No período Olarte não existiram números de receita e despesa confiáveis

Campo Grande de Bernal entrou em um buraco negro não identificado pelos físicos. Nem a ciência explica.

Um "buraco negro" é uma região do espaço da qual nada e ninguém pode escapar. Esse buraco que "suga" tudo, é o resultado do colapso de uma (ou de várias) estrela. Após sua ocorrência, surge a "singularidade" - o tempo para e o espaço deixa de existir. Ainda que os físicos não tenham detectado, Campo Grande foi engolida por um buraco negro, a reunião de milhões de buracos que dominaram as suas ruas. Nada pode escapar desse buraco. E ele, tal qual na física, surgiu pelo colapso de estrelas. Acreditem na física, estamos dentro de um buraco negro com singularidade. O tempo parou em Campo Grande e não existem espaços para a vida e nem para desviar dos buracos. Estamos prestes a ter mais buracos que partes de asfalto. A questão que se coloca é: como sair do buraco negro? Há indícios de que há outro buraco negro na Via Láctea, próximo a Sagitário. Talvez, uma grande espaçonave pudesse levar todos que causaram o nosso buraco negro para um passeio nas estrelas.

No período Olarte não existiram números de receita e despesa confiáveis
No período Olarte não existiram números de receita e despesa confiáveis

A imensa guerra mundial no mundo virtual. O Brasil ocupa a terceira posição em ataques de hackers.

Os confrontos diários impressionam: são 400 mil sites impróprios e 90 mil "malwares" que chegam aos computadores brasileiros diariamente. Os malwares são os softwares mal intencionados como vírus, cavalos de Tróia e espiões. O Brasil ocupa a terceira posição mundial também em ataques aos celulares. São mais de 100 cibercriminosos por dia tentando entrar em nossos computadores e celulares com diferentes tipos de ataques. A nossa linha de defesa?

No período Olarte não existiram números de receita e despesa confiáveis
No período Olarte não existiram números de receita e despesa confiáveis

Chineses gastarão US$ 230 bilhões em 2015 fazendo turismo.

O governo chinês está projetando os gastos de seu povo na indústria turística internacional, em 2015, em US$ 230 bilhões. É uma fortuna difícil de ser equiparada ao longo da história do turismo. E os componentes da indústria turística brasileira até hoje não descobriram a existência dos milhões de turistas chineses conhecendo o mundo e a riqueza que distribuem em todos os continentes. Somos cegos? Preconceituosos?

No período Olarte não existiram números de receita e despesa confiáveis



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.