A notícia da terra a um clique de você.
 
28/11/2015 11:06

O prefeito maluco beleza. O elogio à paranoia.

Mário Sérgio Lorenzetto
O prefeito maluco beleza. O elogio à paranoia.

O prefeito maluco beleza. O elogio à paranoia.

Veja Mais
Descascar mais, desembalar menos
Diga sim à vida. O aborto é inaceitável

Nos últimos anos um termo que ganhou conotação positiva é o de "maluco"; virou sinônimo de "legal" e "bacana". Já a ideia de "paranoia" é muito antiga na história da descrição de estados mentais. Na tragédia grega serviu para descrever a paixão de Édipo por Jocasta. O conceito de paranoia mudou ao longo do tempo e se popularizou no século XIX, quando passou a ser entendido como um estado mental caracterizado por mania de perseguição. Sigmund Freud, mais conhecido como o pai da psicanálise, afirmou que "os paranoicos são capazes de construir com surpreendente engenhosidade e sutiliza os maiores absurdos". Um diagnóstico moderno é o de transtorno delirante, que se manifesta como estar sendo perseguido por forças incontroláveis, ou ser escolhido como o "salvador da pátria" (salvador da cidade no caso). É também conhecido como delírio de grandeza. As características mais marcantes são o eterno pessimismo e a hipersensibilidade a críticas.

O elogio à paranoia apareceu explícito no começo dos anos 1930, quando o pintor surrealista espanhol Salvador Dalí decretou que a paranoia era uma atividade criativa. Por causa dessa ideia, em 1931, o psiquiatra francês Jacques Lacan o procurou para uma entrevista. O entusiasmo foi mútuo. O poeta francês André Breton, conhecido como o pai do surrealismo, aplaudiu a técnica de Salvador Dalí e afirmou que ela constituía um "método de primeira importância, perfeitamente aplicável à pintura, à poesia, ao cinema, à moda, à escultura..."

Um tipo de paranoia mais recente é a paranoia social. Imagine uma ameaça sem base na realidade, como um ataque à cidade por zumbis, ogros, vampiros, lobisomens, demônios, lestrígones (canibais gigantes), enfim, seres fantásticos ou criaturas lendárias, de aspectos ou atos aterrorizantes, causando temor ou mesmo pânico nas pessoas. A consequência seria um ato de paranoia massivo, sem fundamento real, que poderia evoluir para uma psicose de massa. Talvez seja hora do Prefeito maluco beleza abandonar a perseguição aos ETs que quebram asfalto na calada da noite e retornam à Marte e tomar algumas aulas de violão. Ele teve um parceiro exímio em dedilhar as cordas.

O prefeito maluco beleza. O elogio à paranoia.
O prefeito maluco beleza. O elogio à paranoia.

Renda Mínima Universal. Finlândia testará sistema em que todos passam a receber um salário sem trabalhar.

Você continuaria trabalhando se recebesse um salário sem fazer nenhum esforço? A Finlândia gosta de inovar quando se trata de políticas públicas. Eles possuem o melhor sistema de educação do mundo, um dos melhores cuidados com o meio ambiente, dentre tantos avanços em políticas públicas. A novidade agora é que a Finlândia deseja testar como será o comportamento de sua população se todos receberem uma renda mínima sem precisar trabalhar. Essa experiência será válida para a totalidade da população, independentemente da situação social ou da idade. Pobre ganha e rico também.

Mas, calma, devagar com o entendimento do experimento econômico-social finlandês. Um dos motivos dessa iniciativa é o de economizar. Estranho? A questão é que o governo finlandês tem uma quantidade imensa de auxílios para a população e deseja trocá-los por apenas um, de valor fixo e igual para todos e assim combater a pobreza, pois hoje, algumas de suas regiões estão com índice de desemprego beirando os 20% da população economicamente ativa. Outra meta do Renda Mínima Universal é o de acabar com os empregos para uma multidão de funcionários públicos que cuidam dos atuais programas sociais.

As pesquisas feitas em outros países europeus, nos EUA e no Canadá mostram que sempre existirão pessoas que escolhem viver de uma maneira frugal, com muito pouco dinheiro, e são felizes assim. Mas também mostraram que o número daqueles que param completamente de trabalhar é insignificante. É preciso acabar com o mito de que todos querem ficar de "pernas para o ar", sem fazer nada. Regra geral, as pessoas querem se integrar na sociedade e, para isso, elas exercem uma atividade. A experiência finlandesa também poderá acabar com a secular discussão de que as máquinas ceifarão os empregos dos humanos. O governo da Finlândia está discutindo se pagará 400 euros ou 700 euros para cada habitante de seu país. Pesquisa recente mostrou que 80% dos finlandeses são favoráveis ao Renda Mínima Universal.

O prefeito maluco beleza. O elogio à paranoia.
O prefeito maluco beleza. O elogio à paranoia.

Economia brasileira: adeus 2016, feliz 2017.

O Banco Central começou a sinalizar que pretende adiar o cumprimento da meta de inflação de 2016 para 2017, em comunicado divulgado no dia 21 de outubro, após reunião do Comitê de Política Monetária (Copom). Isso significa que, tendo mais tempo para promover a convergência da inflação, passarmos a ter uma inflação razoável, o BC poderá diminuir, em algum momento, o arrocho monetário - o dinheiro poderá aparecer novamente nos bancos para serem vendidos. Esse é o lado bom da moeda; o perverso é que tudo deverá continuar como dantes, a economia nacional permanecerá aproximadamente na mesma crise em que estamos atolados.

O prefeito maluco beleza. O elogio à paranoia.
O prefeito maluco beleza. O elogio à paranoia.

Foram procurar ETs e encontraram a solidariedade.

Tudo começou com o projeto "Seti" (sigla em inglês para Busca de Inteligência Extra-Terrestre), que em 1999 criou um sistema para empregar a capacidade ociosa de computadores de voluntários ao redor do nosso planeta. O Seti visava analisar sinais de rádio captados por radiotelescópios. A ideia do Seti deu origem à plataforma "Boinc" (Infraestrutura Aberta para Computação em Rede da Universidade de Berkeley, na Califórnia). O Boinc facilita a implementação de sistemas do que pode ser chamado de "computação voluntária" e hoje sustenta mais de 60 projetos solidários de diversos países. Um deles é o "Malaria Control", patrocinado pela Fundação Bill e Melinda Gates que visa modelar a transmissão da malária e seus métodos de controle. Outro é ligado à IBM que visa encontrar novas drogas para combater o Ebola. Nascida em 2004, a rede já suportou 24 projetos independentes, com temas que vão de câncer infantil à água limpa e já obteve resultados como a descoberta de 7 compostos capazes de destruir células cancerosas sem efeitos colaterais em casos de neuroblastoma (câncer que afeta crianças com menos de 5 anos de idade).

O prefeito maluco beleza. O elogio à paranoia.



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.