A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016


  • Finanças & Investimentos
  • Finanças & Investimentos

    Emanuel Steffen - www.mayel.com.br


06/09/2013 10:52

Quanto custa um filho?

Emanuel Gutierrez Steffen (*)

Filhos em muitas famílias é o sonho mais esperado de casais, que pode significar também o inicio de umas das fases de maior gasto e impacto na vida dos pais. O casal que espera a chegada de um filho pode não saber, mas estudos mostram que nos próximos 21 anos eles irão desembolsar entre R$ 200 mil e R$ 1 milhão, dependendo logicamente de sua situação financeira e á disposição para investir no futuro de seu filho.

Veja Mais
Analfabetismo financeiro em alta na era da informação
Armadilha das promoções: qual a lógica do “tão barato”?

Na hora de fazer as contas, é preciso levar em consideração as despesas essenciais, os gastos dispensáveis e, no longo prazo, a necessidade de uma poupança. Entram na conta, ainda, os gastos não previstos, como festas de aniversário e passeios. Se o orçamento apertar á receita é a mesma de sempre, reveja suas prioridades e defina o que ode ser descartável em sua vida.
Especialistas afirmam que o ideal é que o custo do filho não ultrapasse 30% da renda média líquida do casal. Do contrário, o padrão de vida pode mudar drasticamente.

Mas fique calmo. Isso não quer dizer que você precisa alcançar o primeiro milhão antes de pensar em ter seu primeiro filho. Também não significa que você deva se desesperar e ficar (muito) preocupado com o futuro dos seus filhos. Trata-se de aprender, a “trocar a roda do carro” em movimento, e ter uma reserva financeira para os gastos mais pesados à medida em que eles aparecem, e contar ainda com um plano B para infortúnios. Esses gastos são feitos aos poucos, mas é bem verdade que podem pegar pais e mães desprevenidos.

A maior lição de um estudo como esse é compreendermos a importância da reserva financeira, que já aparece como um item essencial no planejamento econômico das famílias. Essa reserva deve incluir tanto provisões para emergências, como a perda de um emprego, ou uma doença na família. E também quanto ao patrimônio do casal, caso um dos pais venha a falecer. A ideia é garantir a sobrevivência e a educação dos filhos pelo menos até a formatura na faculdade. A reserva também pode incluir o dinheiro da faculdade ou o capital inicial para o filho se lançar à vida adulta.

Você gostaria de fazer o cálculo com base em suas projeções de gastos para o futuro? Esse link (http://extras.ig.com.br/infograficos/quantocustaumfilho/) tem uma ferramenta muito interessante que mostra uma projeção do total destes gastos de acordo com suas decisões sobre as despesas com o(s) seu(s) filho(s). Até a próxima!

Disclaimer – A informação contida nestes artigos, ou em qualquer outra publicação relacionada com o nome do autor, não constitui orientação direta ou indicação de produtos de investimentos. Antes de começar a operar no SFN - Sistema Financeiro Nacional o leitor deverá aprofundar seus conhecimentos, buscando auxílio de profissionais habilitados para análise de seu perfil específico. Portanto, fica o autor isento de qualquer responsabilidade pelos atos cometidos de terceiros e suas consequências.

(*) Emanuel Gutierrez Steffen – Criador do portal www.manualinvest.com

Analfabetismo financeiro em alta na era da informação
Vamos fazer uma viagem ao passado? Anos 70, que tal? Neil Armstrong chegará à Lua.“Um pequeno passo para o homem, um grande salto para a humanidade”....
Armadilha das promoções: qual a lógica do “tão barato”?
Semana começando! E essa, em especial, após a “black friday”! E aí? Rolando uma “black ressaca” financeira, ou você conseguiu controlar esses instint...
Não supervalorize coisas
Um experimento social muito famoso, executado em diversos países e no Brasil, relaciona dois grupos de indivíduos: o primeiro grupo ganha um objeto e...
O brasileiro nasce, cresce, põe o nome no Serasa e morre?
A pergunta do título é, na verdade, uma piada (de mau gosto) antiga que circula no Brasil. Com as taxas de juros que praticamos aqui, é muito fácil s...



Parabéns pelo seu texto. Seria interessante o governo municipal/estadual/federal utilizar a sua proposta para divulgar o quanto um casal de classe média precisa para realizar a formação de um filho e, com isso, tentar convencer e estimular as pessoas que possuem interesse em ter filhos, principalmente das classes sociais mais necessitadas, realizarem o planejamento para a construção da vida de seus filhos para conseguir projetá-los em um projeto de vida com qualidade.
 
Renato Andreotti em 08/09/2013 21:22:58
Se os jovens pensarem bem irão mandar "plastificar" o bichinho pra não correr o risco de fazer um filho..Eita trem caro!!!
 
RAMONA TEIXEIRA em 06/09/2013 14:57:03
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions