A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016


  • Finanças & Investimentos
  • Finanças & Investimentos

    Emanuel Steffen - www.mayel.com.br


18/07/2016 08:13

A “fórmula” para ganhar mais!

Por Emanuel Gutierrez Steffen (*)

O artigo de hoje vai ser sobre “fórmula”, por dois motivos. Primeiro, porque tem aumentado consideravelmente as dúvidas enviadas por leitores para nossa equipe sobre isso. Segundo, porque estou preocupado com a forma de pensar de muitas pessoas e quero gerar uma reflexão sobre isso. Acompanhe.Vou começar usando um termo da moda: mindset, que traduzido significa programação mental, ou ainda, em outras palavras, os padrões de pensamento que regem nossa tomada de decisão. Na prática, o seu mindset determina as escolhas que você faz e as ações que você toma.

Veja Mais
Analfabetismo financeiro em alta na era da informação
Armadilha das promoções: qual a lógica do “tão barato”?

Agora pense comigo: você pode fazer muitas coisas, não é mesmo? Sim, você pode, mas várias delas não devem ser feitas (o tal do “não convém”). Somos seres inteligentes, vivemos em sociedade e precisamos respeitar algumas regras para a boa convivência entre todos.Dentro dessas regras, volto a dizer, você pode fazer muitas coisas, mas lembre-se que todas as suas ações geram consequências. Algumas delas são irrelevantes, mas outras podem custar muito caro – e, em alguns casos, toda uma vida. Essa é a beleza de decidir, de fazer. Ou não, o que paralisa muita gente.Feitas estas colocações, agora podemos partir para a questão principal: fazer dinheiro, gerar renda. Essa não é uma tarefa simples, mas também não é das mais complexas, pois há muitas maneiras de se fazer dinheiro de forma lícita. Muitas mesmo!

Como tudo na vida, é necessário aprender algumas destas formas; e paraescolher melhor quais delas você irá aprender, é necessário buscar um equilíbriorelativamente simples: desempenhar tarefas que você goste e que gerem valorpara a sociedade a ponto de você ser bem pago por elas.Há pessoas que amam artesanato, por exemplo. Ficam horas e horas criando os mais variados produtos. Tenho uma amiga que faz lindas caixinhas de madeira, com pinturas personalizadas, muito úteis, inclusive, para guardar pequenos objetos e ficar à mostra, compondo a decoração do ambiente.O problema é que embora ame seu trabalho, ela sempre se queixa de vender pouco e fazer pouco dinheiro, a ponto de mal conseguir pagar suas contas. Analisando rapidamente, há um desequilíbrio entre o que ela faz e o quanto ela recebe.

Tenho outro amigo que parece um “trator executivo”. Lidera mais de 600 pessoas numa gigante empresa do setor das telecomunicações. Está constantemente estudando para se atualizar em temas de gestão e tecnologia, além de estar, no momento, aprendendo a falar uma quinta língua, o mandarim (além do português, ele é fluente em inglês, espanhol e alemão).Ele reclama bastante do alto grau de estresse que precisa administrar, das pressões, problemas e das dificuldades em gerir sua vida pessoal e familiar. Ele faz planos para deixar esse trabalho o mais breve possível, mas tem uma renda mensal média de R$ 40.000,00. Outro desequilíbrio entre fazer o que gosta e ser bem pago pelo o que faz.Observe que nestes exemplos, meus dois amigos fizeram escolhas e tiveram que lidar com as consequências delas, que nos dois casos geraram desequilíbrios em suas vidas.

Não vou ficar divagando sobre o que é certo ou errado, pois dependendo de seu momento de vida e da sua ambição para alcançar suas metas, é bem provável que você precise mesmo lidar com esses desequilíbrios. A vida não é tão colorida e divertida quanto tentam nos mostrar alguns pseudo-gurus por aí.O ponto alto de nossa reflexão é, na verdade, uma constatação simples, porém sincera: entenda que se você ganha pouco ou muito, a responsabilidade é toda sua. A sua renda é um reflexo das escolhas que você faz e do “preço” que está disposto a pagar por elas.

Você pensa que foi fácil para meu amigo chegar à vice-presidência da empresa multinacional onde ele trabalha ou se tornar um poliglota? Ele pagou preços altíssimos para isso (de todo tipo, não pense apenas em dinheiro), um custo físico e emocional de estudar e se dedicar horas sem fim para tudo isso enquanto muitos (inclusive sua família) estavam se divertindo.Por outro lado, minha amiga artesã leva uma vida “zen”, com muita tranquilidade e paz mental quando está trabalhando. Tem um ótimo convívio com seus amigos e familiares, tendo tempo para todos, mas quando se lembra das contas que tem que pagar, essa paz vai embora rapidamente.

Se você quer fazer mais dinheiro, você precisa entender de uma vez por todas essas duas coisas: a responsabilidade é toda sua, e você precisa estar disposto a pagar o preço para estudar e aprender novas habilidades que farão com que você seja mais bem pago por desempenhá-las.Eu gosto sempre de reforçar o meu lema de vida, que inclusive está se espalhando por aí como uma definição de educação financeira: enquanto você trabalha, eu trabalho; enquanto você se diverte, eu trabalho; enquanto você reclama, eu me divirto.Ah, e a tal “fórmula” para ganhar mais dinheiro que eu prometi no título e no começo do texto? Bom, a esta altura você já descobriu como ela é óbvia: acorde bem cedo (ou durma tarde), trabalhe bastante (não é muito tempo, mas de forma inteligente), aprenda sempre e pague o preço. Abraços e até a próxima!

Fonte: Conrado Navarro/Dinheirama.com.br
Disclaimer – A informação contida nestes artigos, ou em qualquer outra publicação relacionada com o nome do autor, não constitui orientação direta ou indicação de produtos de investimentos. Antes de começar a operar no SFN - Sistema Financeiro Nacional o leitor deverá aprofundar seus conhecimentos, buscando auxílio de profissionais habilitados para análise de seu perfil específico. Portanto, fica o autor isento de qualquer responsabilidade pelos atos cometidos de terceiros e suas consequências.

(*) Emanuel Gutierrez Steffen é criador do portal www.mayel.com.br

Analfabetismo financeiro em alta na era da informação
Vamos fazer uma viagem ao passado? Anos 70, que tal? Neil Armstrong chegará à Lua.“Um pequeno passo para o homem, um grande salto para a humanidade”....
Armadilha das promoções: qual a lógica do “tão barato”?
Semana começando! E essa, em especial, após a “black friday”! E aí? Rolando uma “black ressaca” financeira, ou você conseguiu controlar esses instint...
Não supervalorize coisas
Um experimento social muito famoso, executado em diversos países e no Brasil, relaciona dois grupos de indivíduos: o primeiro grupo ganha um objeto e...
O brasileiro nasce, cresce, põe o nome no Serasa e morre?
A pergunta do título é, na verdade, uma piada (de mau gosto) antiga que circula no Brasil. Com as taxas de juros que praticamos aqui, é muito fácil s...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions