A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016


  • Finanças & Investimentos
  • Finanças & Investimentos

    Emanuel Steffen - www.mayel.com.br


07/08/2015 08:34

Como evitar dívidas e ajustar o orçamento em tempos de crise

Por Emanuel Gutierrez Steffen (*)

Quem acompanha de perto a coluna já percebeu que aumentamos o número de artigos em que tratamos os problemas surgidos na crise, e como remediá-los (e evita-los). A verdade é que muitas pessoas não sabem lidar com este cenário, visto que durante um bom tempo nos acostumamos a ver nossa economia crescer. Agora, diante de um dia a dia mais delicado, muitos viram suas dívidas aumentarem e o temor de perder o emprego também cresceu; o pessimismo tomou conta de grande parte da população.

Veja Mais
Qual é a melhor hora para comprar?
Analfabetismo financeiro em alta na era da informação

Atravessar períodos de crise financeira é algo realmente ruim, e isso não é segredo para ninguém. Acontece que para piorar a situação, muitas pessoas desanimam e acabam deixando de lado o controle de seus gastos. Outros brasileiros vão além e contraem mais dívidas, criando uma bola de neve que faz do problema inicial algo ainda maior e mais difícil de resolver. Existemalgumasdicasimportantes que podemajudarvocêaatravessaressacrisesem que as dívidasfujam do controle. São dicas simples, que certamentepodemseraplicadasfacilmente.Atenção:

1. Reduzaoscustosfixos
Em tempos de crise, é precisoredobrar o controle dos gastos e manter a boa gestão da vidafinanceira.Algumas despesas fixas devem ser bem analisadas, diminuídas e até mesmo cortadas, pois se houver qualquer variação na renda, haverá problemas para “fechar” o mês. Nem sempre há como fugir (reduzir) de alguns custos fixos, portanto não faça novas despesas que comprometam seu orçamento e que lhe deixem numa situação mais difícil. Opte por serviços que substituam, mesmo que provisoriamente, estes gastos, como por exemplo: em vez de ter um celular pós-pago com valor fixo mensal, opte por um plano pré-pago que lhe dê a flexibilidade de gastar menos.O mesmo vale para a TV porassinatura. Por que não usar serviços de streaming, mais baratos e que você pode assistir pela Internet, e assim dar fim no plano com 200 canais (dos quais você assiste apenas 2 ou 3)? Diminuirseuscustosfixosaliviarábastantesuasfinanças.

2. Controle de perto os custos variáveis
A vantagem dos custosvariáveis é que estespodemserfacilmentereduzidosoueliminados, mas quandonãooscontrolamoselestambémpodemserperigosos. Nessa categoria estão os custos de transporte e alimentação, por exemplo.Se existe a vantagem de poder reduzi-los com maior facilidade, os gastos variáveis, no entanto, podem ser muitos danosos para o orçamento já que gastamos dinheiro todos os dias com eles; como eu disse, se não registrarmos estas despesas, elas podem se tornar um grande problema. Atenção redobrada para o gasto variável e seu registro.Anote todos os dias o que você está gastando. Ter um controlefinanceiroeficiente e funcional é fundamental emtodososmomentos da vida, nãosónas crises.Definaalgumasmetas de consumo e trabalhe de forma ativa para que seuscontrolestambémapontemmaneiras de cortargastos.

3. Paguesomente à vista
Emperíodos de crise, devemos de evitaraomáximoqualquertipo de compraparceladaoufinanciada.Este tipo de custo compromete o orçamento mensal, criando mais um custo fixo (justamente aquele tipo que queremos eliminar e/ou reduzir).Faça uma lista de tudo o que você deseja comprar, verifique os valores e faça o planejamento para juntar o dinheiro e fazer a compra pagando à vista (e com desconto). Agirassimajudaaevitarqualquerimprevisto e facilita o controlefinanceiro, umavez que nãoexistirãoparcelaspendentes e pagamentosfuturos a seremfeitos.

Lembre-se ainda de pedir um bomdesconto para o pagamento à vista, é claro. Ah, sim, oscomerciantesrelutamemoferecerdescontos, mas suavontade de fazeruma boa negociaçãodeveprevalecer; nesseponto, a necessidade de vender emmomentos de crisepodeajudar o consumidor, bastaver o caso dos descontosoferecidosnacompra de carrosnovos.

4. Nãofaçanovasdívidas
Se a situação está delicada, além de realizar todos os controles que vimos nos itens anteriores, é importante não criar novas dívidas. As pessoas têm a tendência de procurar por empréstimos e outras ferramentas de crédito para conseguir dinheiro durante as crises, mas nem sempre fazem isso da forma adequada (ou na hora certa).Quando essa decisão faz parte de uma estratégia para troca de dívidas (cartão de crédito ou cheque especial por empréstimos pessoais, por exemplo), pode ser interessante, entretanto muita gente utiliza mais crédito para consumir e assim contrair mais dívidas apenas para “passar o mês”. O resultado é mais endividamento e mais problemas.A verdade é que os juros relacionados aos empréstimos das ferramentas de crédito mais utilizadas no país (cartão de crédito e cheque especial) são colossais e depender destes serviços como uma extensão da renda é um grande risco; é quase um suicídio financeiro.

Quem tem dívidas para pagar, oupercebeu que opadrão de vidaestámais alto do que a rendapermite, precisarapidamentecortasgastos e se reorganizarfinanceiramente. O Brasil está na lista dos países mais empreendedores do mundo e oferece muitas oportunidades para quem tem desejo e força de vontade, então buscar renda extra para equilibrar o orçamento deve vir antes de buscar mais dinheiro emprestado por aí.Não deixe que a facilidade de conseguir um empréstimo fale mais alto do que a possibilidade de você buscar fontes alternativas de renda. Use suacriatividade!

A crise pode representar uma excelente oportunidade para construir um novo negócio e melhorar a renda. Ter um plano B é algo que podeajudaremdiversosperíodos da vida, afinalcrisetambémpodesersinônimo de oportunidades. O passo fundamental para começaraenxergar as coisasdessa forma é não se endividar e prestaratençãoaoseuorçamento e ferramentas de controlefinanceiro. Para crescer e prosperaremmomentos de crise é precisocontrolarosgastos e tambémbuscaralternativas para evitarnovasdívidas, reduzindoassimosriscos e mantendo a simplicidadenacondução das finançasfamiliares. Conte conosco. Obrigado e até a próxima!

Fonte: dinheirama.com.br
Disclaimer – A informação contida nestes artigos, ou em qualquer outra publicação relacionada com o nome do autor, não constitui orientação direta ou indicação de produtos de investimentos. Antes de começaraoperar no SFN - Sistema Financeiro Nacional o leitordeveráaprofundarseusconhecimentos, buscandoauxílio de profissionaishabilitados para análise de seuperfilespecífico. Portanto, fica o autorisento de qualquerresponsabilidadepelosatoscometidos de terceiros e suasconsequências.*Desejamaisinformaçõesouaindaampliarseusconhecimentoseminvestimentos. Acesse o site: www.opatriarca.com.br, ouligue no Tel: (67) 3306-3613 e solicite á visita de um de nossosconsultorescertificados pela CVM.

(*) Emanuel Gutierrez Steffen, criador do portal www.mayel.com.br

Qual é a melhor hora para comprar?
Quando fui convidado a escrever este artigo para o Dinheirama, pelo Renato De Vuono, encarei isso como um grande desafio. Intuitivamente, e para ser ...
Analfabetismo financeiro em alta na era da informação
Vamos fazer uma viagem ao passado? Anos 70, que tal? Neil Armstrong chegará à Lua.“Um pequeno passo para o homem, um grande salto para a humanidade”....
Armadilha das promoções: qual a lógica do “tão barato”?
Semana começando! E essa, em especial, após a “black friday”! E aí? Rolando uma “black ressaca” financeira, ou você conseguiu controlar esses instint...
Não supervalorize coisas
Um experimento social muito famoso, executado em diversos países e no Brasil, relaciona dois grupos de indivíduos: o primeiro grupo ganha um objeto e...



Gente do Campo Grande News que povo é esse que tá digitando esses artigos.Tá díficil até de entender.
 
judite da silva araujo em 07/08/2015 11:55:44
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions