A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016


  • Finanças & Investimentos
  • Finanças & Investimentos

    Emanuel Steffen - www.mayel.com.br


16/08/2013 09:11

Crianças e as Finanças

Emanuel Gutierrez Steffen (*)

Todos nos desde pequenos lidamos com o dinheiro, mas muitas vezes parece que ainda não aprendemos a cuidar dele e poupa-lo. Esse comportamento, se levado para a vida adulta, pode gerar imprevistos e situações que prejudicam sua vida. A educação financeira também deve ser ensinada para crianças, que, a partir dos cinco anos começam a ter noção do valor do dinheiro e sua função como moeda de troca. Mas o que acontece muitas vezes, é que a educação financeira não acompanha a educação básica.

Veja Mais
Como os atletas perdem milhões
Qual é a melhor hora para comprar?

Os pais são referência para os filhos em tudo, e em finanças não poderia ser diferente, pois são impactadas pela maneira como observam seus pais á lidarem com o dinheiro. Uma criança de três anos compreende que existem produtos baratos e caros, mas não consegue diferenciá-los. O processo de aprendizagem do valor (noção) do dinheiro acontece na medida em que ela vai crescendo. A partir dos dez anos, essa compreensão fica mais clara e hábil.

Além de sempre conversar com os seus filhos sobre dinheiro, é importante incentivar o aprendizado de acordo com a idade da criança. Quando elas são pequenas, você pode contar histórias e fábulas, como a “Cigarra e a Formiga”, que mostram de forma simples, a importância de pensar no futuro. Quando a criança iniciar os estudos, por volta dos seis anos, uma dica é dar uma “semanada” para que ela comece a entender a importância de administrar o dinheiro no mês.

Fazer as crianças gostarem de matemática nem sempre é uma tarefa fácil, e para mudar esse cenário, segue uma dica bem interessante e que envolve a família toda.

Se a criança quer um brinquedo que custa R$ 10,00, você pode propor, por exemplo, que ela ajude todos na casa a economizar energia elétrica e que o valor que sobrou, será revertido para algumas das vontades do pequeno. Dessa forma, todos podem interagir e aprender juntos e, no final do mês, o orçamento provavelmente não vai estar estourado.

Então o que achou? Não se esqueça de comentar, enviar dúvidas, sugestões sobre o tema, ou mesmo outros assuntos para abordamos aqui. Até a próxima.

(*) Com informações de portal Febraban


Disclaimer – A informação contida nestes artigos, ou em qualquer outra publicação relacionada com o nome do autor, não constitui orientação direta ou indicação de produtos de investimentos. Antes de começar a operar no SFN - Sistema Financeiro Nacional o leitor deverá aprofundar seus conhecimentos, buscando auxílio de profissionais habilitados para análise de seu perfil específico. Portanto, fica o autor isento de qualquer responsabilidade pelos atos cometidos de terceiros e suas consequências.

(*) Emanuel Gutierrez Steffen – Criador do portal www.manualinvest.com

Como os atletas perdem milhões
Recentemente, um amigo me enviou um artigo de revista que continha alguns exemplos divertidos dos gastos fora de controle de atletas profissionais. C...
Qual é a melhor hora para comprar?
Quando fui convidado a escrever este artigo para o Dinheirama, pelo Renato De Vuono, encarei isso como um grande desafio. Intuitivamente, e para ser ...
Analfabetismo financeiro em alta na era da informação
Vamos fazer uma viagem ao passado? Anos 70, que tal? Neil Armstrong chegará à Lua.“Um pequeno passo para o homem, um grande salto para a humanidade”....
Armadilha das promoções: qual a lógica do “tão barato”?
Semana começando! E essa, em especial, após a “black friday”! E aí? Rolando uma “black ressaca” financeira, ou você conseguiu controlar esses instint...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions