A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016


  • Finanças & Investimentos
  • Finanças & Investimentos

    Emanuel Steffen - www.mayel.com.br


27/01/2014 07:45

Erros financeiros que os jovens cometem

(*) Emanuel Gutierrez Steffen

Neste artigo vamos definir “jovens” como as pessoas que estão entre a adolescência e o início da vida profissional, algo na faixa dos 15 aos 25 anos. As pessoas nessa faixa etária são extremamente vulneráveis financeiramente, devido á alguns motivos como: 1. Bombardeio diário de publicidade e tentativas diversas de persuasão; 2. O consumismo aflora com maior agressividade nessa faixa de idade; 3. Certa fragilidade no que diz respeito à renda, pois, exceto em circunstâncias excepcionais (como a que o Brasil vem vivendo nos últimos anos, em que o desemprego deixou de ser um problema tão grande), jovens têm dificuldade em entrar na força de trabalho e, em períodos difíceis, são os primeiros a serem dispensados; 4. Público que não dá muita “bola” para educação financeira e gestão das finanças pessoais; 5. Têm uma tendência a subestimar riscos e tomar decisões usando as glândulas hormonais ao invés do cérebro. Então, vamos ver alguns de seus erros financeiros mais comuns:

Veja Mais
Como os atletas perdem milhões
Qual é a melhor hora para comprar?

1- Subestimar a própria expectativa de vida: Temos um aumento exponencial da expectativa de vida e a potencial insustentabilidade econômica do sistema de previdência, tanto pública quanto privada. Considerando isso, quando o jovem deve começar a poupar para a aposentadoria? R: No primeiro dia em que descobre o que é o dinheiro e como ele funciona.

2- O vilão de quatro rodas: O número de jovens que se comprometem financeiramente com um carro é muito grande. Existem casos em que, para o pagamento das prestações do financiamento automotivo (bem que só perde valor) as mensalidades da faculdade são sacrificadas, ou mesmo atrasadas (algo que, supostamente, trará retorno financeiro no futuro). Não que o jovem não deva ou não mereça ter um carro, mas quando o sujeito abandona, ou compromete seus estudos para sustentar o carro, algo está muito errado. É a satisfação imediata em detrimento do futuro profissional e financeiro.

3- Imóvel: Alguns jovens se apressam em comprar um imóvel. Se “penduram” em um financiamento imobiliário de longo prazo, para ter um imóvel que, muito provavelmente, não vai atender suas necessidades no futuro devido há ambição ou por necessidade como o aumento da família. Não vamos discutir o prazer de ter a casa própria, mas, para o jovem, fatores como mobilidade física (cada vez mais importante no mercado de trabalho atual) e principalmente o custo de oportunidade são questões que precisam ser consideradas com muito cuidado.

4- Relacionamentos “furados”: Com o casamento muitas coisas mudam e surgem responsabilidades que antes não existiam. Quando chegam os filhos, no ponto de vista financeiro é “ainda pior”, pois teoricamente, de certa forma o casal abre mão de suas vidas em prol das demandas e necessidades dos filhos (pelo menos é assim que deveria ser). Você amigo leitor provavelmente conhece algum caso, em que moças acabam se casando com o primeiro “traste” que aparece pela frente. E de igual modo, casos em que rapazes se casam e fazem filhos com a primeira “periguete” que encontram (jogadores de futebol que o digam).

Golpes, traições, divórcios, pensões alimentícias, partilha de bens, disputa judicial, e etc. Assim, a paz vai embora e a vida vira de cabeça para baixo. Jovens que poderiam estar vivendo uma fase de crescimento pessoal e profissional acabam embarcando num projeto de família que tem tudo para dar errado e com alto risco de condenar todos os envolvidos (incluindo os filhos inocentes) a um futuro, na melhor das hipóteses, medíocre. Neste sentido, movimentos e projetos que envolvem educação sexual, planejamento familiar, e disseminação de valores são muitos válidos e podem literalmente “salvar” o futuro de um jovem. Convido a você jovem leitor a conhecer um desses projetos que admiro muito no link: http://euescolhiesperar.com/.

5- Negligenciar a capacidade de gerar dinheiro: Tão ou mais importante que saber administrar o dinheiro é saber GANHAR dinheiro. Com exceção daqueles indivíduos que já nascem ricos, ganham na loteria ou dão o golpe do baú (ou da barriga), o caminho para ganhar dinheiro é trabalhar – seja desenvolvendo uma carreira profissional ou indo para o lado do empreendedorismo. Para isso, o jovem precisa priorizar três coisas: estudos, experiências de vida e bons relacionamentos/contatos. Infelizmente, muitos fazem exatamente o contrário.

6- Buscar atalhos: Você muito provavelmente conhece através das estatísticas e noticiários, os problemas envolvendo jovens e adolescentes com o crime organizado e muitos outros crimes violentos. Estes são cenários extremos, mas outros comportamentos socialmente condenáveis, ainda que não criminosos, podem também gerar graves consequências no futuro. Ainda mais em um mundo como o atual, onde qualquer “deslize” traz imediatamente alguém com um smartphone para o seu “registro histórico”.

Esta lista não é completa, mas dá algumas ideias de onde o jovem deve prestar mais atenção e ter mais cuidados para não comprometer seu futuro financeiro. E você amigo leitor o que você acha? Concorda? Quer contribuir para aumentar a lista? Então escreva nos comentários. Até a próxima!

(*) com informações de portal André Massaro

Disclaimer – A informação contida nestes artigos, ou em qualquer outra publicação relacionada com o nome do autor, não constitui orientação direta ou indicação de produtos de investimentos. Antes de começar a operar no SFN - Sistema Financeiro Nacional o leitor deverá aprofundar seus conhecimentos, buscando auxílio de profissionais habilitados para análise de seu perfil específico. Portanto, fica o autor isento de qualquer responsabilidade pelos atos cometidos de terceiros e suas conseqüências.

(*) Emanuel Gutierrez Steffen – Criador do portal www.manualinvest.com

Como os atletas perdem milhões
Recentemente, um amigo me enviou um artigo de revista que continha alguns exemplos divertidos dos gastos fora de controle de atletas profissionais. C...
Qual é a melhor hora para comprar?
Quando fui convidado a escrever este artigo para o Dinheirama, pelo Renato De Vuono, encarei isso como um grande desafio. Intuitivamente, e para ser ...
Analfabetismo financeiro em alta na era da informação
Vamos fazer uma viagem ao passado? Anos 70, que tal? Neil Armstrong chegará à Lua.“Um pequeno passo para o homem, um grande salto para a humanidade”....
Armadilha das promoções: qual a lógica do “tão barato”?
Semana começando! E essa, em especial, após a “black friday”! E aí? Rolando uma “black ressaca” financeira, ou você conseguiu controlar esses instint...



É complicado... Tenho um colega super endividado e o pior é que ele ganha bem em vista dos salários que tem por aí e pra idade dele, mas devido sua "pressa" em adquirir as coisas ele caiu na graça dos longos financiamentos e empréstimos para tentar corrigir a situação, resumindo... As dívidas viraram uma bola de neve e agora infelizmente ele terá que desfazer do que adquiriu (sem necessidade) para regularizar sua situação! Conselho para jovens: Guardar dinheiro, se você conseguia viver sem salário e agora conseguiu emprego, junte sua grana e faça um investimento de acordo com a sua necessidade e que esteja dentro do seu perfil orçamentário! Quanto ao meu colega, só Deus para ajudar e dar uma nova oportunidade.. Boa Sorte!!
 
Fernando Souza em 28/01/2014 08:12:17
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions