A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016


  • Finanças & Investimentos
  • Finanças & Investimentos

    Emanuel Steffen - www.mayel.com.br


01/05/2015 09:00

O dinheiro não dura o mês inteiro? Confira como sair do sufoco!

Por Emanuel Gutierrez Steffen (*)

Algum tempo atrás, recebi um telefonema de um amigo próximo, que relatava algumas dificuldades financeiras. Logo de cara, percebi que o problema não era de salário baixo, afinal tanto ele quanto a esposa recebem vencimentos que os colocam dentro do que chamamos de classe média alta. Mesmo com salário alto, o dinheiro acabava antes da metade do mês e a família era obrigada a usar o limite do cheque especial para poder manter o padrão de vida. Infelizmente, o caso de meu amigo não é uma aberração. Tenho certeza de que os demais educadores financeiros também já se depararam com famílias vivendo a mesma (triste) realidade. Uma lição importante já pode ser percebida aqui: quando o problema não é exclusivamente de renda (e quase nunca é!), a causa do transtorno está no comportamento e na atitude diante do dinheiro. Por ser um amigo próximo, alguém que já esteve muitas vezes ao meu lado em situações difíceis, decidi ajudá-lo. Aproveitei e pedi autorização para, sem citar nomes, usar a sua história para compartilhar por aqui as soluções que juntos encontramos para sua transformação. Controlando receitas e gastos, definindo as prioridades de consumo, renegociando (acabando com) as dívidas e gastando com consciência, o trabalho de arrumar as finanças da família foi um momento de aprendizado e de reconquistar algo fundamental para o futuro: garantir que todos em casa caminham na mesma direção.

Veja Mais
Os investimentos e seus custos
Como os atletas perdem milhões

O processo de ajuste das finanças do meu amigo está caminhando para o quinto mês. Hoje, felizmente, a situação está completamente diferente. Dentro do planejamento inicial feito, em seis meses o casal não terá mais dívidas; até meados do ano que vem a família terá criado uma reserva para emergências que garantirá a tranquilidade da família. Tenho certeza que muitos leitores passam, passaram ou ainda vão passar por uma situação semelhante à que descrevi aqui. É certo que você conhece pessoas próximas que atravessam problema semelhante. De forma objetiva, o caminho para resolver o problema e sair do sufoco passa pelos seguintes passos:

1. Aceite que existe um problema e busque ajuda: Com o atual cenário de juros no Brasil, rapidamente uma dívida pode dobrar de valor. É fundamental olhar para essa situação não como uma vítima, mas como alguém que tomou decisões equivocadas e que agora precisa de ajuda para organizar as finanças e escolher o melhor caminho. Você precisa mudar de atitude, inserir comportamentos adequados, mas também precisa livrar-se das dívidas e organizar as finanças, por isso não negligencie os aspectos práticos e diretos do orçamento doméstico – uma ajuda profissional pode fazer muita diferença neste momento.

O que fazer? Pesquise profissionais capazes de ajudá-lo a organizar as finanças e, mais do que isso, que ofereçam suporte para a necessária reprogramação mental para lidar com o dinheiro como uma ferramenta, não um fim. Busque ajuda!

2. Dedique parte de seu tempo para a estratégia: Não dá para ter bons resultados financeiros apenas confiando na contabilidade mental ou no bom senso. Confiar nas suas capacidades é importante, mas gastar dinheiro envolve emoção, e ai não há controle mental capaz de superar a estratégia clara e devidamente registrada. É fundamental manter planilha, controle financeiro online ou qualquer forma de controle efetivo para servir de bússola para suas decisões de consumo – isso significa ter uma estratégia, ser proativo. Só dessa forma será possível dimensionar os gastos e traçar um plano inteligente para cortar aquilo que destrói as finanças da família e a afasta de seus sonhos.
O que fazer? Registre receitas, despesas e faça uma análise frequente deste orçamento ao lado da família. Suas prioridades precisarão se refletir neste controle, criando assim sua estratégia financeira rumo aos seus sonhos.

3. Fale sobre dinheiro em casa: Um erro grave cometido pelo meu amigo era nunca falar sobre dinheiro com a esposa. Mesmo ficando claro para os dois que existia um problema, ambos decidiam não tocar no assunto nas suas conversas em casa. Quando isso acontece, fica praticamente impossível criar a sintonia necessária para definir e lutar por objetivos comuns, um elemento fundamental para o sucesso financeiro de qualquer família. Ao passar a adotar um controle financeiro único e compartilhado, meus amigos ajustaram os objetivos e uniram as forças para sair das dívidas.

O que fazer? Crie momentos específicos para falar do orçamento familiar e aprofunde-se nesta discussão. Além disso, elimine a barreira que envolve as finanças e passe a discutir o tema com mais naturalidade em qualquer ocasião, inclusive com gente conhecida e familiares.

4. Atenção com as palavras “crédito”, “empréstimo” e “financiamento”: Consumir usando o crédito foi algo incentivado no Brasil nos anos anteriores. Dá para dizer que vivemos uma explosão de possibilidades de consumo diante da oportunidade de milhões de brasileiros terem acesso a empréstimos e financiamentos. O crédito era abundante (a situação mudou recentemente), mas nunca foi barato. Agora então, voltou a ficar caríssimo (os juros seguem subindo). Infelizmente, muita gente passou utilizar o limite de cheque especial e do cartão de crédito como complemento de renda, um erro grave e muito caro.

O que fazer? Você precisa ajustar o seu padrão de vida a partir dos resultados dos passos anteriores, ou seja, reduzir gastos e aprender a fazer escolhas para que o controle financeiro traga resultados e as finanças saiam do vermelho.

Conclusão: Decidir mudar uma situação delicada e passar por um processo de transformação é sempre um exercício que requer força de vontade e dedicação. Em diversos momentos, novas dúvidas, dificuldades e tentações surgirão, isso é fato! Aceitar abrir mão do imediatismo por um objetivo maior é um preço a ser pago por quem deseja alcançar o sucesso. Vale a pena! Tenho certeza que sair do sufoco financeiro é algo possível para todos. Lembre-se que ganhar bem não garante uma vida livre de dívidas, conforme mostrei com o exemplo de meu amigo. Muito do sucesso financeiro depende de gastar com inteligência e apostar em bons controles para melhorarmos nossas decisões de consumo e investimento. Como você enxerga o desafio de lidar com o planejamento financeiro e, ao mesmo tempo, consumir? Como você faz seu controle financeiro? Deixe seu comentário no espaço abaixo. Obrigado e até a próxima!

Fonte: dinheirama.com.br
Disclaimer – A informação contida nestes artigos, ou em qualquer outra publicação relacionada com o nome do autor, não constitui orientação direta ou indicação de produtos de investimentos. Antes de começar a operar no SFN - Sistema Financeiro Nacional o leitor deverá aprofundar seus conhecimentos, buscando auxílio de profissionais habilitados para análise de seu perfil específico. Portanto, fica o autor isento de qualquer responsabilidade pelos atos cometidos de terceiros e suas consequências. *Deseja mais informações ou ainda ampliar seus conhecimentos em investimentos. Acesse o site: www.opatriarca.com.br, ou ligue no Tel: (67) 3306 - 3613 e solicite á visita de um de nossos consultores certificados pela CVM.

(*) Emanuel Gutierrez Steffen, criador do portal www.mayel.com.br

Os investimentos e seus custos
Taxas. Está aí uma palavra que ninguém gosta, mas que tem que aturar. Elas estão em todo o lugar, e mesmo quando não estão visíveis, pode ter certeza...
Como os atletas perdem milhões
Recentemente, um amigo me enviou um artigo de revista que continha alguns exemplos divertidos dos gastos fora de controle de atletas profissionais. C...
Qual é a melhor hora para comprar?
Quando fui convidado a escrever este artigo para o Dinheirama, pelo Renato De Vuono, encarei isso como um grande desafio. Intuitivamente, e para ser ...
Analfabetismo financeiro em alta na era da informação
Vamos fazer uma viagem ao passado? Anos 70, que tal? Neil Armstrong chegará à Lua.“Um pequeno passo para o homem, um grande salto para a humanidade”....



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions