A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016


  • Luca Maribondo
  • Luca Maribondo

    Coluna


01/09/2011 07:58

Chore!, porque é assustador

Luca Maribondo

Em qualquer lugar que a gente vá – lojas, bancos, supermercados, padarias e até borracharias –, é quase certo que encontrará a plaquinha com os indefectíveis dizeres: Sorria!, você está sendo filmado. A lente de uma câmera impassível fixa nas pessoas um olhar vítreo, sem expressão. E, ao contrário dos olhos humanos, nem pisca. O que fazer? Sorrir? Não. Iria parecer tão artificial quanto as pálpebras metálicas daquele olho de vidro.

É assustador quando se depara com o diabo do aviso —particularmente, sempre penso no que a frase realmente significa. É fácil compreender a parte que diz “você está sendo filmado” —é uma mera advertência, mas o “sorria” me deixa confuso, paranóico. Se fosse um “atenção!, você está sendo filmado”, seria mais fácil de compreender, ou até um “não faça merda porque estamos te vigiando”. Mas “sorria” é sacanagem...

O que a câmera iria pensar de mim? Espero que não venha a público minha obsessão pelos traços e riscos da expressão. Resquícios de uma mocidade fotografando imagens que passaram incógnitas por não serem retratos falados. Desenho retratos mentais como distração. Olho fixamente tudo e todos, descobrindo a feiura e a beleza. Se no passado nossa imagem permanecia na memória passageira, hoje praticamente todos os registros são permanentes. O que a gente escreve fica perpetuado na memória do computador ou na rede mundial, na Web, que, não por acaso, quer dizer teia —certamente não de aranha, mas humana. Pode ser copiado, replicado, duplicado, multiplicado. O teclado vibra com o tlec tlec das teclas, como uma escrita com batuque, letras e letras formando textos dos quais nem me lembro mais.

Estou sempre dizendo que esta é a era da imagem —a imagem reina absoluta. Se você parar um minuto para pensar vai ver que a imagem reina sobre todos os meios e formas de comunicação: o meio de comunicação das massas é a tv (ainda); o meio de comunicação das elites é a Internet; com a multivariedade dos veículos, ambos embasados na imagem. A publicidade é cada vez mais imagética, a partir do momento em que os publicitários não têm mais para o quê apelar diante da infinidade de produtos similares.

Ou seja, antigamente, quando existiam duas ou três marcas de cada coisa, era mais fácil convencer as pessoas a comprar este ou aquele produto simplesmente elencando as vantagens de um ou a exclusividade de outro: Melhoral é melhor e não faz mal! Omo lava mais branco! Se é Bayer é bom! Skol, a primeira cerveja em lata do Brasil! Agora, muitas vezes a publicidade precisa apelar para o non-sense da imagem: mulheres malucas ao volante de um carro; tubarões comendo homens que fazem propaganda de cerveja; homens de pele azul anunciando telemóveis e vai por ai afora.

Mais: a televisão contaminou com o vírus da imagem todos os outros meio de comunicação. Os jornais são cada vez mais calcados nas fotos coloridas, nos infográficos, nos esquemas e desenhos do que na informação escrita. O cinema há muito perdeu sua função artística e política em nome de uma estética de videoclip, estruturada a partir efeitos especiais. As revistas são vitrines, lunetas se preferirem, para que a escumalha possa espionar a intimidade das celebridades, invadir o privado como quem participa de um sarau. Só o rádio passou incólume —mas o que é a tv senão rádio com imagens?

Se os obcecados por imagens se contentassem só com isso já seria ruim, mas eles agora descobriram outra utilidade paras as suas câmeras indiscretas: invadir todos os lugares possíveis e imagináveis através dos seus implacáveis olhos. Nos EUA, lojas de departamentos e roupas instalaram câmeras nos provadores. Quando alguns clientes descobriram o atrevimento, processaram as empresas e... Perderam! Os juízes entenderam que os comerciantes têm que se proteger dos ladrões, e que o registro em tempo real do que se passa numa cabine de troca de roupa era uma boa arma para isso. Azar de quem não é ladrão.

Por aqui, está cada vez mais difícil entrar num estabelecimento comercial sem se deparar com o horripilante “Sorria!, você está sendo filmado!”. Porém como empresário brasileiro não tem o dinheiro sobrando, como seu colega norte-americano, fica a dúvida de que a câmera não está realmente só na imaginação do autor do aviso – além das câmeras falsas, criadas só pra te assustar –, mas é bom não arriscar.

Por outro lado, a vigilância sobre os cidadãos, pobres mortais, pode ir muito além daquela mostrada em filmes como “Inimigo do Estado”, dirigido por Tony Scott, no qual um advogado (Will Smith) é caçado, vigiado e filmado: o que quer que faça ou aonde quer que ele vá, câmeras estão lhe filmando – e, também, muito além da própria imagem.

Existem sistemas que captam o que você escrever ou falar ao telefone, principalmente se for algo que o sistema considere potencialmente perigoso: todo o conteúdo da sua ligação telefônica ou do seu e-mail será devidamente armazenado. Você e eu podemos estar sendo vigiados: somos duas pessoas altamente suspeitas! Sendo assim, como manda o cartaz, sorria e pense que, se por um lado toda essa vigilância é uma invasão tremenda de privacidade, nos momentos de solidão sempre se pode tirar o fone do gancho e mandar um alô estranho pra ninguém. O povo da vigilância vai vibrar de felicidade...

É possível que o “Sorria!, você está sendo filmado!” seja uma referência a Andy Warhol, o pai da arte pop que mudou a arte nos anos 1960 com suas imagens, alcançando grande celebridade ao transformar uma latas de sopa e histórias em quadrinhos em obra de arte: ele já falava sobre a cultura pop em que todos um dia terão seus quinze minutos de fama. Sorria!, pois você é a celebridade da hora, quando sua imagem viaja a partir das câmeras e através dos cabos para o deleite de porteiros, vigias e seguranças que, voyeristicamente, estão de olho em você. “Sorria, pois aí estão seus quinze minutos de fama”. E não faça merda!

Pode ser também que a onipresente advertência represente a alegria que devemos sentir ao saber que essas pequenas câmeras nos protegem de eventuais contraventores – muitas delas falsas diga-se novamente a bem da verdade. O que é algo no mínimo interessante. Isso significa que chegamos a um ponto em que precisamos nos vigiar para não se fazer bobagem. Uma sociedade que precisa ser controlada pelo Big Brother – ou Mano Veio – e ainda mostrar os dentes de alegria por isso é um completo fracasso em termos de civilização. “Sorria, pois ainda somos um bando de símios que não aprenderam a viver socialmente”.

Ou então signifique apenas que seja uma piadinha de alguém que se ache realmente criativo. Provavelmente aconteceu o seguinte: numa conversa de bar, depois de muitas cervejas alguém disse para um dono de uma gráfica, por que não fazer um paralelo com o “sorrir pra câmera” com as câmeras de vigilância? Todos caíram na risada e acharam uma ótima idéia. Foi aí que surgiram as placas “Sorria, você está sendo filmado”. Coincidentemente nessa mesma conversa devem ter surgido também os adesivos “Sou feliz por ser católico!”, “Xique no úrtimo”, “Sou viciado em Jesus” e por aí vai. Mas sorria, fizemos uma piadinha infame! Ou melhor, chore!, porque é assustador.

A propósito, escrevi este texto por conta da ideia dos nossos governantes, divulgada nesta semana, de colocar câmeras nas ruas da cidade pra, dizem eles, aumentar a segurança. Quer dizer, nessa de vigiar meliante, vão espionar também o cidadão comum. Assim, cuidado se você resolver aliviar a bexiga no poste, dar um amasso no namorado no banco da praça, tirar catota do nariz, ajeitar a calcinha debaixo da saia, afanar mexerica da casa do vizinho, jogar latinha de cerveja no asfalto. Alguém poderá estar vigiando você...

Como herói
Cheguei em Campo Grande em 25 de setembro de 1972, vindo do interior de São Paulo —há exatos quarenta anos, portanto. Havia completado 25 anos três d...
Autismo politiqueiro
Autismo politiqueiroNesta época em que as eleições estão nas ruas e as campanhas eleitorais pegando fogo, mais quentes do que bolso de cabo eleitoral...
O refúgio dos patifes
Patriotismisthslastrefugeof a scoundrel (o patriotismo é o último refúgio de um patife). Pelo menos uma vez a cada quatro anos pensona frase célebre ...
Que tal chamar o ladrão?
Faz uns dias, emissora de TV local veiculou breve reportagem (na televisão, quando o assunto é sério é breve) sobre o roubo de energia elétrica. E co...



Seu texto reflete muito do que eu também penso. Mas vai ai uma coisa engraçada.Em minha cidade, muitas pessoas que acabam de ler o "Sorria você está sendo filmado" sabem que as câmeras são apenas acessório para intimida, e que elas estão sem funcionar. O que nos torna mais ridículos ainda!
 
Jacqueline Wolkmann Paranhos em 13/10/2011 06:23:11
Sou uma pessoa jovem, mas digo sempre não suporto "tecnologia" como nossos avós pais, viveram sem, porque temos que andar grudado no celular, não conseguimos viver sem internet...e câmeras é uma "maguinifica" invensão para tirar nossa privacidade.!!!??? que vida que vivemos???
 
Beatriz Souza em 21/09/2011 09:59:47
Sou completamente a favor do uso da tecnologia no auxílio à vida do ser humano. O fenômeno tecnológico está aí e não há como fugir. Os aparatos tecnológicos estão cada dia mais acessíveis, não sendo mais exclusividade da elite. Hoje em dia qualquer um tem algum dispositivo (re)produtor de imagens. O que falta é educação para o uso consciente de tais recursos. Revolução na educação, isso sim!
 
Ruy Almeida em 21/09/2011 01:52:45
Dizem que as cameras protegem,mas o que realmente acontece e descobrir depois dos assaltos ou até mesmo assassinato quem são os autores, mesmo presos logo são soltos por causa das nossas leis,o que deveria mudar são as leis que punem ,serem mais rigorosas.Afinal quem está ficando sem liberdade são as pessoas honesta.
 
Lia Alves em 19/09/2011 12:08:12
Se estalacem uma câmera em cada gabinete de repartições publicas do País ,e elas filmace realmente em tempo imtegral o que acontece sem que nós pobres eleitores não sabendo e que os filmes fosse mostrados em rede Nacional,haaai que Deus nos acuda seria kkkk
 
Livínia Lima de Oliveira em 18/09/2011 12:20:36
NAO SOU MUITO CONTRA AO "SORRIA VC ESTA SENDO FILMADO ", POIS ACHO QUE A FAMOSSA LEBERDADE GUSTA NOS UM POUCO ESTAMOS NUM DOMINGO A TARDE PASSEANDO COM NOSSOS FILHOS E NOS DEPARAMOS COM CERTOS TIPOS DE MARGINAIS ISSO E MUITO RUIM AI ENTRA A SORRIA E PODE ATE NOS SALVAR ISSO SERIA OTIMO.
 
silvana meira simao em 16/09/2011 10:20:03
Tem muita gente aficcionada em teorias da conspiração.
Vamos ao útil, ao prático e a verdade.
 
Hamilton Moraes em 16/09/2011 09:15:14
Podemos até criticar o "sorria"... que apenas indica (delicadamente) de que você está sendo filmado. O bom seria que não fosse preciso tal coisa. O lado bom é que o local (filmado) pode estar nos protegendo de marginais. TEMOS QUE PROCURAR ALGO MELHOR QUE POSSO SUBSTITUIR ... SENÃO É MELHOR CONTINUAR COMO ESTÁ, AFINAL MUITOS CRIMES FORAM ESCLARECIDOS COM A AJUDA DESSAS INCÔMODAS CÃMARAS.
 
Nivaldo Silva em 15/09/2011 05:12:19
Parabéns luca, pela matéria.É mesmo de arrepiar e pensar que daqui a algum tempo o BBB sairá das telinhas e se tornará global, as pessoas não poderão olhar para os lados que ficarão com receio de por ventura de serem fragadas numa situação constrangedora como:"tirar a meleca do nariz, arrumar a roupa ou levar um baita de um tombo",que liberdade teremos para viver?! seremos vigiados constantemente.
 
Clesmânya pereira em 14/09/2011 02:38:52
Senhor Luca,

Em nome da segurança perde-se a Liberdade!
Não vejo avanço algum a velha Europa e o atormentado EUA instalarem câmeras vigias em locais públicos, e sempre haverá um "bom e santo motivo" para instalá-las, quem ganha com isso ainda é o Estado tutelador, cada vez mais poderoso.
Confiaria mais na policia fardada presente em cada esquina diuturnamente, coisa que com o sistema atual é impossível, a estrutura destas organizações policiais não as deixa funcionar a contento.
O seu espanto é o nosso também, e mais coisas virão sempre com um "bom motivo" por trás, que enfim é uma mentirinha dos que estão no poder, cuidado!


 
wanderley serrou camy em 13/09/2011 09:53:55
Liberdade vigiada, sim, infelizmente. Os bípedes de polegar opositor não conseguiram ainda (e é possível que nunca consigam) usufruir de sua liberdade sem invadir a de seu semelhante. Mas a medida é necessária. Na Europa, as grandes cidades contam com câmeras de segurança nas ruas. Tá certo, a Europa anda decadente, tem muitos maus exemplos, mas ainda temos muita coisa para aprender com eles.
 
Marcelo Armôa em 11/09/2011 10:48:05
Uma plaquinha que vi e achei mais inteligênte é "Para sua segurança, estamos sendo filmados", tem muito mais a ver.
 
Reinaldo Rios Melgarejo em 08/09/2011 08:44:45
Gostei Muito Luca!!! Parabéns!
 
helberson em 08/09/2011 02:47:31
Maribondo, no cambio principalmente de dolar, todos fazem questão na falta de (00,01) um centavo. Faz o mesmo , exija o que é seu por direito. Quanto a Câmera, se sorrir é sacanagem, fique carrancudo, é tão simples.
 
Sérgio Marinho Marques Cavalcanti em 07/09/2011 07:57:45
Este é o grande Luca, leitura obrigatória. Belo texto. precisa abordagem sobre o nosso "surrealismo mágico" de cada dia nesta aldeia consumista.
Do cada vez mais fã Edson Moraes
 
edson moraes em 07/09/2011 01:00:28
Tudo bem, as tais plaquinhas "Sorria, vocês está sendo filmado" são de extremo mal gosto além de não fazerem o menor sentido, mas a ignorância, preconceito e extremo desconhecimento a respeito da aplicação de sistemas de vídeo destinados a segurança, controle de trafego, de processos e outros fins são de assustar.

Imaginar, até que por brincadeira, que um agente público, de posse de controle e operação de um equipamento de envolve alta tecnologia e de tanta utilidade pública, se preste ao trabalho de monitorar vossa senhoria a faxinar a narina ou até mesmo invadir a privacidade do momento de realesco de leitura ao trono "privado" da leitora é dar-se importância exagerada em detrimento ao interesse público geral.

A utiização de câmeras, não só para uso privado, mas também em vias públicas, tem sido uma das maiores ferramentas no combate, prevenção e investigação de ações delituosas tentadas contra a vida e ao patrimonio privado e público.

Em paises como a Alemanha, Inglaterra e EUA passam de dezenas de milhares o números de câmeras instaladas em todos e quaquer lugar onde o interesse público se sobrepõe a opinião particular e individualista de cada um.

Infelizmente nossa cidade está ainda bastante atrasada nesse aspecto, muito por conta desta mentalidade provinciana, onde imagina-se destinações absurdas para tais ferramentas. Tem gente com medo até de seja exposta seus pensamentos, seus preconceitos, suas taras, suas idiotices e até as suas rugas.

Em outras cidades, algumas inclusive bem menos desenvolvidas que a nossa, esta já é uma realidade que colabora com diversos setores da administração pública tais como segurança, trânsito, saúde, educação e outros.

No momento em que é unanimidade a necessidade de melhoria e aumento da capacidade de policiamento nas ruas não se pode abrir mão da utilização da técnologia para otimizar a força humana, afinal que diferença faz se o sujeito observar vc a tirar catota do nariz através de uma câmera ou pessoalmente. Ah sim, a gravação! É verdade a câmera pode gravar a imagem e submete-la a exibição indesejada, mas posso afirmar que se eu vê-lo a cometer este gesto memorizarei fotograficamente e serei bem capaz de pormenorizar a situação em detalhes a todo que se interessar, apesar de ser bem desinteressante.
 
Hamilton Moraes em 05/09/2011 08:10:12
Parabens pela materia ,mas naõ é so nestes lugares que o senhor citou existe as plaquinhas sorria que voçê está sendo filmado, sou evangélico e muitas igrejas evangélicas tambem ja tem as plaquinhas sorria que voçê está sendo filmado..
Pasme estive em uma igreja evangélica com uma conçentraçaõ de gente muitos grande, no momento da oraçaõ o pastor dise irmaõs vamos orar mas muito cuidado com as bolsas e seus pertençes a maioria vem aqui para buscar jesus,mas tem alguns que vem para buscar bolsa.
Onde chegamos até na presença de Deus a gente sente-se inseguro,na parte material porque na espiritual Deus naõ deixa .

E daqui alguns meses vamos andar na rua de campo Grande sorrindo porque estaremos sendo filmado a lei ja foi aprovada.
 
Messias Neves. em 04/09/2011 01:56:25
Parabéns pela matéria!!!
 
Nair Specort em 03/09/2011 07:21:58
Realmente quando você lê essa frase já senti um calafrio percorrendo a sua espinhela, não por estar fazendo algo errado, mas sim por ser muito tímida e estar sendo filmada. Imagine se a moda pega, você lá tranqüila (o) lendo sua revista ou jornal no trono, ou tomando aquele banho de meia hora, quando você terminha de enxugar ou lavar as mãos, lê em letras não tão grandes. “Sorria você está sendo filmado”. Aí que susto! Só de pensar em perder a única privacidade que nos resta.
 
Neuci Augusta Fonseca em 02/09/2011 11:51:30
Luca Maribondo, como sempre digo,sou sua fâ de carteirinha,mas essa de cameras eu acho que é o fim,sim o fim de toda a liberdade do cidadão, aí.. sorrir, de que?as cameras nos mercados deveriam ser colocadas quando o preço anunciado é R$1.99 e cobram R$.2.00,não existe R$.00,1 no mercado,coloquem logo o preço de R$.2.00 mas vigiar o cliente no provador, é de sorrir mesmo,para não chorar de vergonha.ou então cobrar o stript.
 
Teresa Moura em 02/09/2011 07:13:08
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions