A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 21 de Outubro de 2014


  • Ampla Visão
  • Ampla Visão

    com Manoel Afonso


03/02/2012 11:00

Amplavisão

Manoel Afonso

EQUÍVOCO na campanha educativa sobre o trânsito na capital – estrelada pelo Michel Teló. Repito: o pedestre só tem a preferência de atravessar a rua na faixa onde não tem semáforo. Explica-se aí o aumento de casos de atropelamentos.

Veja Mais
‘Capital: porta de entrada dos eleitos’
‘As urnas venceram as pesquisas’

IGUAIS... Os marqueteiros, as ciganas e os charlatões travestidos de ‘homens de Deus’ não podem tudo. Antipatia é irmã gêmea da rejeição. Na política esse estigma ainda é incurável. A ‘embalagem’ não consegue esconder o conteúdo.

CAPITAL A escolha do candidato de André-Nelsinho não deve ocorrer ainda neste mês. Existem detalhes e questões pendentes. Uma candidatura precipitada dificilmente é revertida, causa desgastes e ajuda os adversários.

A OPINIÃO de um ex-deputado recomenda calma, pois o adversário tradicional (PT) já é conhecido. Mas até onde se administra o apetite de Azambuja, Athayde, Mandetta e Paulo Siufi? Eles estão de olho na evolução das pesquisas.

A TESE de que André poderia ser o candidato a prefeito é interessante por vários ângulos. Vejamos: nasceria forte/favorita, seria unanimidade no PMDB e agregaria com mais facilidade os tradicionais partidos aliados.

E MAIS... Na prefeitura, André teria um poderoso canhão para municiar as candidaturas de Simone e Nelsinho. Essa costura pode parecer complicada a primeira vista, mas com espaço suficiente para se acomodar muita gente.

A HIPÓTESE vem assustando o PT que só dispõe de Vander como candidato. E convenhamos: sem o comando da prefeitura da capital, a disputa pelo Parque dos Poderes e por uma vaga no Senado torna-se muito difícil.

O QUADRO: Dagoberto ‘queimado’ - PDTenfraquecido; o PSDB de Azambuja sem quadros; o PT com cisão interna; o DEM só com Mandetta; o PPS com Athayde e o PTB com seus minutos no horário eleitoral.

ALIANÇAS O PMDB teria maior facilidade/instrumentos para realizá-las. Além disso tem hoje boa convivência com partidos nanicos, sedentos por espaços. Isso conta no frigir dos ovos. Quem freqüenta os bastidores sabe disso.

'VANDER' Pode ter dificuldades nas alianças. As demissões de aliados no Planalto, substituídos por petistas, gera desconfiança nas outras instâncias. Convencer os aliados de que serão prestigiados, sem riscos, é tarefa hercúlea.

A PROPÓSITO Se na Inglaterra são apenas 300 cargos de confiança, nos U.S.A 8 mil e na França 4 mil, aqui são 22mil, que custam mais de R$200 bilhões por ano. Aqui o Planalto vem aumentado o time, só com ‘companheiros’.

CONSELHO de um ex-deputado da capital: “esqueçam aquela política de coalizão partidária que Zeca ‘engoliu’ no 1º mandato. Ele não tinha outra saída, para governar teve que dividir e conviver com ex-adversários.”

E MAIS... "o projeto do PT é conquistar as prefeituras das capitais para se instrumentalizar e ‘dispensar’ os atuais aliados. É próprio da natureza ideológica do PT; o aparelhamento do Estado em prol do partido e da ideologia".

LENIN: “Primeiro tomaremos o Leste da Europa, depois as massas da Ásia. Então cercaremos a América, última fortaleza do Capitalismo. Nem será preciso atacar. Ela cairá em nosso colo, como uma fruta podre”.

'O CARA' Marco A. Garcia, fã de Fidel-Chavez; homem forte no Planalto já disse: “Primeiro temos que dar a impressão de que somos democratas. No início teremos que aceitar certas coisas. Mas isso não durará muito tempo”.

TAMBÉM as nossas relações com Paraguai e Bolívia mostram a cara do Governo. Perdoamos suas dívidas, roubam nossos carros, produzem drogas e não usamos nossa força para que mudem a postura de complacência com o crime.

O EPISÓDIO dos agricultores brasileiros ameaçados no Paraguai é vergonhoso. Se o Planalto quisesse poderia resolver isso num ‘tapa’. Aliás, o presidente Hugo estava em São Paulo e tudo teria sido muito fácil. E nada foi feito.

ANO NOVO Eleições municipais sacodem câmaras, assembléias e congresso. Afinal tudo começa nas cidades. A tendência é o esvaziamento natural da freqüência dos legisladores, cuidando bem de perto das suas bases eleitorais.

UM ÍCONE Antonio E. Moraes (83) cursou faculdade nos ‘States; ficou numa pensão (1945/49), pagando U$10 dólares mensais. No 1º porre de uisque por ter tirado nota 97, acabou no hospital onde constataram: só tinha um rim.

EXEMPLOS como esse devem ser exaltados. Gente séria, pés no chão, simples e respeitosa nas relações pessoais, consciente de que o trabalho é o caminho correto para o progresso. ‘Um leão generoso’, dizem seus amigos.

REGISTRO Após longo tempo falei com o amigo Alarico Reis Dávila. Não participa mais da política partidária; prefere o aconchego da família na sua aprazível casa, sem abdicar da leitura diária dos jornais. Gente boa!

INJUSTIÇADO Faria Lima foi o melhor prefeito ( 1965/69) de São Paulo; acabou cassado na ‘Revolução’. Prestes Maia (duas vezes), José Carlos Figueiredo e Maluf (duas vezes) foram os outros administradores melhores avaliados.

"No Brasil, esperteza passou a ser chamada de competência". (Antonio E. Moraes)

Veja Também
‘Capital: porta de entrada dos eleitos’
DESEJADA Abrigando eleitores de todas as tendências, Campo Grande é cada vez mais alvo também de candidatos com bases no interior. Com isso a competi...
‘As urnas venceram as pesquisas’
ELEIÇÕES Uma a uma, com erros e acertos, vão construindo o perfil da sociedade. Hoje, mesmo com a concorrência dos institutos de pesquisas, a voz das...
‘Eleições não são olimpíadas: só vale ganhar’
TANTO FAZ... Qual o percentual de eleitores indecisos que assistiram aos debates da Rede Globo? Além dos politizados, a maioria que assistiu tem algu...
‘Eleições: sobra ceticismo - falta entusiasmo’
PÍFIO A marca dos 15% de Aécio na pesquisa Ibrape/Fiems mostra que Azambuja não tem sido porta voz eficiente do apelo tucano no MS. Confirmada a tese...


Na possibilidade do governador André disputar a prefeitura, vejo pelo menos dois impedimentos: Quem chega a Coronel não que ser rebaixado a Major, e a diferença do Orçamento entre Capital e Estado.
 
Paulinho Barbosa em 08/02/2012 10:14:03
Sempre com seus comentários imprecisos.
 
Roberto Domingos em 06/02/2012 11:29:00
imagem transparente

Desenvolvido por Idalus Internet Solutions