A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016


  • Ampla Visão
  • Ampla Visão

    com Manoel Afonso


19/04/2013 13:17

André com muito gás para 2014

Manoel Afonso

LEMBRETE 1 - Nas eleições vence quem melhor convence. Não se deve confundi-las com os tribunais morais para premiar por boas ações. Aliás, poucas vezes os feitos passados são reconhecidos; os eleitores nem sempre tem boa memória.

Veja Mais
Corporativismo político sem limites, segue a avacalhação
Pizzas, os políticos não abrem mão delas

LEMBRETE 2 - Campanha eleitoral não é programa educativo para corrigir equívocos. O eleitor odeia ser taxado de burro; quer seus ‘mal entendidos’ respeitados, esquecidos. Portanto, campanha é um concurso de propostas. Nada mais que isso.

ADVERSÁRIOS Eles ajudam. Às vezes é muito mais fácil você provocá-los do que mobilizar o eleitorado que o apoia passivamente. Mas quando os adversários respondem às suas críticas, esses seus eleitores podem começar a levar você a sério.

JÁ NOTOU? A maioria dos políticos não tem seus programas impressos em bulas, folders, ou manuais de instrução de suas ideias. Como vivemos num mundo de excesso de informações, eles apostam na nossa generosa falta de memória.

DILEMA Quase sempre está entre falar o que o eleitor realmente precisa ouvir e dizer aquilo que o eleitor quer ouvir. O eleitor parece aquele gordo que quer emagrecer sem fazer regime. Aí vira presa fácil para o político tipo ‘bula de remédio’.

FIGUEIRÓ Andava destreinado; pegou rápido o ‘bico da flauta’. Revigorado, recebe visitas, telefona aos prefeitos/deputados, vai a ministérios/órgãos públicos e participa das sessões/comissões. Neste ritmo participará da ‘São Silvestre 2013.’

A PROPÓSITO Oportuna a denúncia dele sobre as estranhas quedas dos royalties nos municípios com hidrelétricas. Aparecida do Tabuado, com 40 mil hectares. inundados, já chegou a receber R$ 600 mil mensais e hoje sente a queda significativa.

A PERGUNTA: quanto renderia de impostos se essa área ( melhores terras ribeirinhas ao Paranazão) fosse lavoura de milho/soja? Isso também é efeito do ‘saco de bondades’ da Dilma que barateou a tarifa residencial. Cortesia com chapéu alheio.

NOVO CAPÍTULO A CPI contra a FUNAI cada vez mais perto. O objetivo é provar a parcialidade nos processos homologatórios das terras indígenas e retirar do órgão a tal competência. Os índios nunca tiveram tantos ‘defensores’ como agora.

‘VÃO BEM!’ Assim pode ser definido o desempenho dos nossos senadores. Cada qual – com muito jogo de cintura - procurando conciliar as questões partidárias (complicadas) com as reivindicações ligadas diretamente ao Estado.

RAIO X Parte de MS é pantanal, intocável. Cana/florestas artificiais vão disputando espaços com a agricultura; a pecuária encurralada! A saída é a indústria, mas contra ela a ditadura do sistema tributário. Quem souber a saída, favor avisar urgente.

ATENTO Duas lições do TCE/MS que repercutiram: a indignação do presidente Cícero contra as declarações destemperadas de Alex do PT e a decisão obrigando ex-vereadores de Coxim a devolver subsídios recebidos (2008) indevidamente.

ALERTA Essa mania interiorana de tentar fazer do exercício da vereança a única fonte de renda é grave. O vereador não pode abandonar a sua atividade profissional anterior a eleição. Ora! O mandato é transitório e os 4 anos passam ‘vapt-vupt’.

A COLUNA é lida no interior e isso oportuniza convidar o leitor a uma reflexão sem maldade, de grande valia: os ex-vereadores da cidade, comparando a situação financeira deles, antes e depois do mandato, ficaram mais ricos ou mais pobres?

A QUESTÃO que precisa ficar bem esclarecida: O cidadão se elege vereador para servir/ajudar à comunidade com sua experiência/trabalho ou apenas para se servir do cargo – satisfazendo suas vaidades e ainda levar vantagens pessoais?

NA VEREANÇA deve-se também questionar a tese de que tudo pode se a lei permite. Onde fica o lado moral na gastança com diárias/reembolsos sob o manto de falsas missões ‘a serviço dos interesses da cidade’? É puro turismo disfarçado.

‘RIDÍCULO’ De vez em quando vemos fotos demagógicas de vereadores fazendo a devolução de ‘sobras’ ao Executivo. O que deveria ser mera obrigação de conduta é mostrado como algo excepcional. Ora! Honestidade é regra, não é exceção!

NA MÍDIA O pastor deputado Feliciano não recua nas entrevistas e aumenta o cacife eleitoral. Uma coisa venho notando: também os católicos concordam com a grande maioria de suas colocações envolvendo as relações homoafetivas.

CUIDADO! O Estado laico corre perigo por conta do fundamentalismo religioso que usa a fé como fonte de lucro aproveitando-se da ignorância de milhões. E a bancada evangélica faz o jogo da conveniência; é mais esperta do que parece.

‘GENIAL’ Num passe de mágica dificulta-se a criação ou fusão de novos partidos. Sem dinheiro e tempo na TV o partido não se viabiliza. Com isso o Planalto quer evitar o 2º turno. Impressionante: voltamos mesmo aos tempos da velha Ditadura.

EM ALTA A viagem fez um bem danado ao governador André. Quem esteve com ele garante: está alegre, rejuvenescido, com muito gás. Traduzindo: as notícias econômicas vão influenciar sua postura e discurso com vistas a sucessão estadual.

ARREMATE Muita especulação e nada de concreto no cenário. A vinda de Giroto não é passaporte para eventual candidatura. Veio cumprir missão. Nelsinho está no ‘grid’ de largada. Se repetirá Airton Senna ou Rubinho só o tempo dirá. De leve...

Político sem cargo não vale nem uma Cibalena. (deputado mensaleiro Zé Genoino)

 

Corporativismo político sem limites, segue a avacalhação
DESAFIO Se o presidente Michel Temer (PMDB) não vetar, caso o Senado aprove o projeto bizarro da Câmara, o país irá culpá-lo e perderá o apoio das ru...
Pizzas, os políticos não abrem mão delas
NÁUFRAGO Culpando a TV Globo e o juiz federal Sergio Moro, o ex-deputado Antonio Carlos Biffi (PT) tentou no saguão da Assembleia Legislativa justifi...
Invasores das escolas, a nova aposta do PT
LUZ AMARELA Os casos do Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro, com as finanças em colapso, estão sendo considerados pelo governador de Mato Grosso do Su...
Junior Mochi, ponto de equilíbrio na Assembleia
NOSTRADAMUS Não tenho seu dom, mas prevejo: o país de 2018 será outro. As delações premiadas da Odebrecht e Andrade Gutierrez cairão como meteorito n...



Lembretes - A boa oratória é fundamental para o sucesso de um candidato a qualquer cargo eletivo. O bom orador consegue não apena prender a atenção dos eleitores, mas, principalmente de se fazer entender com relação às suas propostas. O eleitorado detesta as mensagens eletrônicas veiculadas na TV durante o programa obrigatório, e, apesar das restrições impostas às realizações dos comícios, ainda é nêle que a população mais aprecia, pois é nesse corpo a corpo, olho no olho, que possibilita sentir o pulsar de um candidato. Ele deve ser autêntico, promessas faraônicas não atraem votos, portanto....
 
BENEDITO RODRIGUES DA COSTA em 21/04/2013 09:00:10
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions