A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016


  • Ampla Visão
  • Ampla Visão

    com Manoel Afonso


17/10/2014 15:47

‘Capital: porta de entrada dos eleitos’

Manoel Afonso

DESEJADA Abrigando eleitores de todas as tendências, Campo Grande é cada vez mais alvo também de candidatos com bases no interior. Com isso a competição torna-se acirrada e os números abaixo retratam como foi a última batalha pelo voto.

Veja Mais
Corporativismo político sem limites, segue a avacalhação
Pizzas, os políticos não abrem mão delas

CAPITAL: Dos 581.494 eleitores, só 483.318 votaram no 1º turno. Abstenção de 16,88%. Mas excluídos os 32.913 votos em branco e 23.425 nulos, sobraram apenas 426.980 votos válidos. Um quadro negativo em se tratando da nossa maior cidade.

O CAMPEÃO: (dos eleitos) Marcos Trad com 35.007 (8,20%) votos dos 47.015 votos obtidos. Professor Rinaldo vem a seguir com 17.587 votos dos 29.386 que totalizou. A seguir vem o cabo Almi: 15.744 votos da sua votação final de 21.195 votos.

A SEGUIR: Antonieta Amorim – 14.053 votos, do total de 21.860 votos; Picarelli – 13.399 votos, do total de 22.326 votos; Marcio Fernandes – 7.962 votos do total de 22.357 votos; Lídio Lopes – 7.679 votos, do total de 23.643 obtidos no Estado.

BETO PEREIRA: 7.679 votos, do total de 27.182 votos; Paulo Corrêa: 7.273 votos do total de 39.540 votos; Grazielle Machado: 5.584 votos total de 39.374 votos; Amarildo: 5.559 votos, do total de 20.585 votos; Mochi: 3.996 votos, dos 35.297 totalizados.

BARBOSINHA: 3.826 votos, do total de 21.554 votos; Felipe Orro: 3.773 votos, dos 28.571 votos obtidos; Eduardo Rocha: 3.562 votos, dos 30.873 votos no Estado; Renato Câmara: 3.328 votos, dos 36.903; Mara Caseiro: 2.327 votos, do total de 23.532 votos.

ZÉ TEIXEIRA: 2.218 votos, do total de 32.069 votos; João Grandão: 2.053 votos do total de 21.127 votos; Takimoto: 1.783 votos, do total de 16.586 votos; Kayatt: 1.138 votos do total de 25.685 votos; Onevan: 1.108 votos, do total de 24.822 votos.

ÂNGELO GUERREIRO: 644 votos, do total de 29.534 votos obtidos no Estado. Não eleitos: Herculano Borges obteve 12.270 votos; Paulo Siufi 11.545 votos; Antonio Vaz – 8.294 votos; cel Davi – 7.986; André Salineiro 7.476 votos, dr. Loester 6.342 votos.

E MAIS: Lucas Lima, 6.142 votos: Augusto Cruz, 4.988 votos; Athayde, 4.963 votos; Alceu Bueno, 4.696 votos; prof. André, 4.677 votos; Teruel, 4.383 votos; dr. Renato Figueiredo, 4.151 votos; Beth Felix, 3.880 votos; ‘My Body’, 3.505 votos.

MARCELO BLUMA: 3.375 votos; José Ancelmo, 2.940 votos; Enfermeira Cida, 2.928 votos; professora Cecília, 2.879 votos; Betinho, 2.809 votos; Marcelo Iunes, 2.774 votos; Robson Martins, 2.772 votos; Fael Cordeiro, 2.635 votos.

LAURO DAVI: 2.621 votos; Dharleng Campos, 2.327 votos; Miltinho Viana, 2.091 votos; Sergio Nogueira, 1.940 votos; Goldoni, 1.846 votos; Roberto Durães, 1.768 votos; Juca do Anhandui, 1.679 votos; Dolza, 1.667 votos; Ruiter, 1.544 votos.

FORTALECIDO Derrotado no último pleito municipal em Naviraí, Onevan se reelegeu com 24.822 votos; com 8.211 obtidos naquela cidade. Com a saída de Londres, Onevan e Picarelli são os recordistas em número de mandatos: 8 cada um.

SURPRESA O filho do ex- deputado Nelito, Renato Câmara estreou com 36.903 votos. Destaque-se os 5.717 votos em Ivinhema; 4.487 votos em Dourados; 4.127 votos em Nova Andradina, 3.328 votos na capital e 1.138 votos em Bela Vista. Beleza!

VOLTA POR CIMA Em 2010 obteve 22.852 votos mas ficou de fora. Agora Rinaldo chegou aos 29.386 votos, o 9º mais votado. Excluída capital (17.587 votos), sua votação no interior foi linear e em Chapadão do Sul foi a maior com 616 votos.

CRESCEU 18.285 votos em 2010 (ainda no PP) e 23.643 em 2014. Lídio surpreendeu por ter assumido o mandato só em 2013 e acertou ao ingressar no nanico PEN. Não nega: suas relações na Igreja Assembléia de Deus ajudaram. Continua calmo.

‘PRELIMINAR’ Em Paranaíba, os 1.929 votos de Paulo Correa, contra 1.117 votos de Eduardo Rocha (apoiado por Tita), foram comemorados pelo grupo do ex-prefeito Mané Ovídio ( partidário de Correa) como prévia para a próxima eleição municipal.

PAI HERÓI Carro de som percorreu as ruas de Paranaíba divulgando apelo do ex-governador Marcelo Miranda em prol da candidatura do filho Paulo Henrique. Apesar do vereador ter sido o mais votado ( 4.920 votos) na cidade, não se elegeu.

DESAFIO Bernal conseguirá transferir à Delcídio qual percentual dos 204.632 votos que recebeu como candidato ao Senado? Cada eleição é um caso especial, mas o seu candidato (Evander Vendramini) ao governo obteve 10.823 votos. Certo?

VAZIO Apesar de seu potencial econômico e população superior a 50 mil pessoas, Nova Andradina ficará sem representação na AL durante a próxima legislatura. Para azar do prefeito atual, esse fato pesará muito nas próximas eleições municipais.

PROMESSAS Assistindo ao horário eleitoral concluímos: elas ‘resolveriam’ todos os problemas de MS. Mas de onde viria o dinheiro para tantas obras e realizações? Aliás, André já ironizou com certa razão o saco de bondades dos candidatos.

CONVENHAMOS Após pagar o funcionalismo e a parcela da dívida (15% da receita líquida) junto a União, sobra pouco para os investimentos. Aproveito para lembrar que a dívida do Estado foi ‘esquecida’ ao longo de toda campanha. Assunto chato?

NANICO Perdemos até para o Tocantins e Piauí na divisão dos recursos federais. Quando MS foi criado não houve percepção política para o fato. Quanta incompetência! Mudar as regras vigentes neste Congresso canibal que aí está é quase impossível.

Também nas campanhas - o que vale é a versão dos fatos.

Corporativismo político sem limites, segue a avacalhação
DESAFIO Se o presidente Michel Temer (PMDB) não vetar, caso o Senado aprove o projeto bizarro da Câmara, o país irá culpá-lo e perderá o apoio das ru...
Pizzas, os políticos não abrem mão delas
NÁUFRAGO Culpando a TV Globo e o juiz federal Sergio Moro, o ex-deputado Antonio Carlos Biffi (PT) tentou no saguão da Assembleia Legislativa justifi...
Invasores das escolas, a nova aposta do PT
LUZ AMARELA Os casos do Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro, com as finanças em colapso, estão sendo considerados pelo governador de Mato Grosso do Su...
Junior Mochi, ponto de equilíbrio na Assembleia
NOSTRADAMUS Não tenho seu dom, mas prevejo: o país de 2018 será outro. As delações premiadas da Odebrecht e Andrade Gutierrez cairão como meteorito n...



Dívidas do Estado de Mato Grosso do Sul ? Incrível, um estado que foi criado para servir de modelo econômico e administrativo para o Brasil, sem nenhuma dívida, e com recursos disponibilizados pela união, e sem apresentar um crescimento nesses 35 anos de existência, a dívida do MS com a união é uma das maiores entre os estados brasileiros, e, as parcelas destinadas a amortização dessa dívida, impede o crescimento e o desenvolvimento do mais novo estado da federação. O governador eleito em 26 de ouutubro, deverá ter um plano que possibilite a alavancagem financeira tão necessária para alcançar e ao mesmo tempo, realizar as suas promessas de campanha, porque apenas com a arrecadação dos impostos estaduais, nada acontecerá. Bene.
 
benedito rodrigues da costa em 18/10/2014 07:48:49
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions