A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016


  • Ampla Visão
  • Ampla Visão

    com Manoel Afonso


08/07/2016 10:57

Costuras, buracos, vereança e repúdio

Manoel Afonso

‘MAKTUB’- (Estava escrito, tinha que acontecer) A expressão árabe imortalizada pelo escritor Malba Tahan em 1935 é usada pelo deputado Marquinhos Trad (PSD) ao prever o apoio de seu mano Nelsinho Trad (PTB) à sua candidatura à prefeito da capital. E ele prega: “O universo conspira a nosso favor”.

Veja Mais
Corporativismo político sem limites, segue a avacalhação
Pizzas, os políticos não abrem mão delas

ATELIER - Costura-se apoios e posturas de lideranças diversas com patrimônio efetivo de votos e ainda daqueles detentores de siglas de balcão, atentos a lei do economista Adam Smith, ‘Oferta e Procura’, que quase sempre têm pouco do prometido para entregar.

DESMONTE - Apesar da tradição, o PMDB está desmilinguido. O ex-governador André Pucinelli, já não é o mesmo general de antes; na defensiva, perdeu o tom da ironia e indignação. Dúbio, inconstante, não passa mais a certeza de antes aos seus comandados fieis.

ENQUANTO - Isso aumenta o prestígio do governador Reinaldo Azambuja, fortalecendo o PSDB com seu poder de atrair, inclusive peemedebistas. Os deputados Eduardo Rocha e Marcio Fernandes confessaram ao cronista: sem André Pucinelli, o PMDB não disputará a prefeitura e admitem apoio a candidata tucana Rose Modesto.

SINCERIDADE - Ao seu melhor estilo, o deputado Eduardo Rocha justifica dizendo que hoje, o PMDB está no mesmo nível do PT por conta das denúncias de corrupção contra figuras proeminentes como os senadores Romero Juca e Renan Calheiros, José Sarney e cia. Certo ele.

OS TUCANOS - ‘Operam’ com bisturi de raio lazer; acreditam na repetição do sucesso da estratégia da campanha do governador Reinaldo Azambuja, com a candidata Rose Modesto ganhando musculatura eleitoral de forma contínua e progressiva. Esse apoio do PSB da deputada federal Tereza Cristina é significativo.

A BIOGRAFIA - Da deputada Tereza Cristina é valiosa politicamente. Tem excelente inserção nas classes A e B, até aqui reticentes quanto a definição de candidaturas. Prova-se: o governador Reinaldo tem grande estoque de agulhas, panos e linhas em seu atelier de costuras políticas.

ARMAS - O horário eleitoral trará, é claro, propostas dos candidatos. Mas o ‘tempero’ será a alusão ao aquário, buracos nas ruas, operações do Gaeco, decisões judiciais envolvendo políticos e empreiteiros que acabaram presos. Um cardápio apimentado.

‘MESTRES’ - O empresário João Amorim e o ex-deputado federal Edson Giroto deveriam escrever a 4 mãos manual de como superar dificuldades e ficar ricos em tempos de crise. Ironias à parte, as pessoas de bem, que dão duro na iniciativa privada, estão revoltadas com a postura deles.

‘SAIA JUSTA’ - A deputada Antonieta Amorim (PMDB) é poupada no escândalo de seu irmão João Amorim. Espera-se que venha a público e justifique a inclusão de seu nome como proprietária ou laranja inocente de fazenda suspeita no caso ‘Fazendas da Lama’.

APLAUSOS - Ao deputado Lídio Lopes (PEN) pela iniciativa da “Lei Harfouche’ que visa propagar o respeito no ambiente escolar e pune os alunos por mau comportamento inclusive. Aliás, lei idêntica já vigora nas escolas da nossa capital com bons frutos.

A VIOLÊNCIA - 13% dos professores agredidos e 53% ameaçados. Aluno não respeita ninguém; quebra móveis e depreda o prédio. Os pais devem sim ser chamados à responsabilidade pelos atos dos filhos, como no Japão e outros países civilizados.

ABSURDO - A proposta é criticada pelos deputados petistas Pedro Kemp e João Grandão; ignorando deveres e defendendo direitos, como se aqui fosse a Dinamarca. Ora! Se não educarmos os nossos filhos com rigor, estaremos incentivando a irresponsabilidade. 

AVISEI - Na última coluna sobre os riscos dos candidatos na relação com o eleitor indignado. O episódio na capital, com o vereador Alex do PT sendo hostilizado por moradores confirma minhas previsões. Seria apenas por ele ser do PT ou a bronca é mesmo geral?

CUSTOS - No embate pela transparência contra o prefeito Alcides Bernal, a Câmara de Campo Grande deveria dar exemplo e divulgar os salários e vantagens da vereança. Sabe-se, contudo, que os 702 servidores custariam R$ 9,9 milhões ao mês. Mais de 24 servidores para cada vereador.

A SUGESTÃO - Extensiva a todos municípios, onde aliás tem ocorrido ganhos e gastos irregulares de vereadores, afrontando a realidade econômica inclusive. Em cada cidade, o Ministério Público, deveria cobrar a divulgação do ganho dos nobres vereadores.

TRABALHAR? - Se os aposentados (trabalharam toda a vida) receberam 5% de aumento, o pessoal do Bolsa Família, (ninguém trabalha), levou 12% de aumento. Daí não é por acaso, que já descobriram mais de 10 milhões de fantasmas no tal ‘Bolsa’.

PERGUNTO - A fidelidade canina do deputado Carlos Marun (PMDB) ao seu colega Eduardo Cunha, ex-presidente da Câmara Federal, desgastou sua imagem e pode trazer problemas para reeleição? E o deputado Dagoberto Nogueira (PDT), posicionando contra o impeachment da presidente Dilma - perdeu ou ganhou?

ENQUANTO - Marun é fiel ao seu grupo político, Dagoberto opta por surfar nas ondas da conveniência. Foi candidato a vice prefeito de Edson Giroto, e agora flerta com o partido dos deputados Zeca do PT e Vander Loubet.

ROBERTO CAMPOS - “Nossas esquerdas não gostam de pobre. Gostam mesmo é de funcionários públicos. São estes que, gozando de estabilidade, fazem greves, votam no Lula, pagam contribuição à CUT. Os pobres não fazem nada disso. São uns chatos...”

A PROPÓSITO - O vídeo onde o sindicalista Roberto Botareli ofende a advogada Janaina Paschoal no aeroporto de Brasília, provocou reação corajosa da deputada Mara Caseiro (PSDB), que criticou o fato e apresentou inclusive moção de repúdio ao presidente da Federação dos Professores.

O SINDICALISTA - Botareli faz o jogo do PT; tem projeto político. Lá na Assembleia Legislativa é visto comandando vaias contra a oposição ao PT. No episódio do vídeo, a bronca dele foi contra quem combate a corrupção no país. Exemplo ruim aos alunos.

“O eleitor, obrigatoriamente, tem que ser qualificado. O candidato, não.” (Max Nunes)

Corporativismo político sem limites, segue a avacalhação
DESAFIO Se o presidente Michel Temer (PMDB) não vetar, caso o Senado aprove o projeto bizarro da Câmara, o país irá culpá-lo e perderá o apoio das ru...
Pizzas, os políticos não abrem mão delas
NÁUFRAGO Culpando a TV Globo e o juiz federal Sergio Moro, o ex-deputado Antonio Carlos Biffi (PT) tentou no saguão da Assembleia Legislativa justifi...
Invasores das escolas, a nova aposta do PT
LUZ AMARELA Os casos do Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro, com as finanças em colapso, estão sendo considerados pelo governador de Mato Grosso do Su...
Junior Mochi, ponto de equilíbrio na Assembleia
NOSTRADAMUS Não tenho seu dom, mas prevejo: o país de 2018 será outro. As delações premiadas da Odebrecht e Andrade Gutierrez cairão como meteorito n...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions