A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016


  • Ampla Visão
  • Ampla Visão

    com Manoel Afonso


10/01/2014 15:20

'O ano de fritar bolinhos'

Manoel Afonso

‘BRINCADEIRA’ Os burocratas do Planalto querem vencer pelo cansaço os donos das terras em disputa com os índios. Aliás, Figueiró - o único tucano a abrir o bico - disse bem: “o Governo só faz jogo de cena e infelizmente apenas protela”.

Veja Mais
A lealdade de Zé Teixeira e a gratidão do governador
Corporativismo político sem limites, segue a avacalhação

PRIORIDADE? MS é um anão na economia sem peso eleitoral. Aí Dilma priorizou a Copa do Mundo – custe o que custar! Os fazendeiros, a exemplo dos sofredores nas filas de hospitais, postos de saúde e prontos socorros, terão que esperar.

MERECEMOS? Pior que a Dilma de biquíni e boné na praia foi ela falar em ‘guerra psicológica’ para inibir investimentos. Ora! A inflação elevada, o desequilíbrio das contas públicas e os juros altos é que provocam a evasão das divisas.

UNÂNIMIDADE Planeje 2015: 2014 não existirá. O Congresso ‘só vai fritar bolinho’, como diz o Delcídio; o Governo nada fará além de garantir ambiente para a Copa. Em seguida começa a peleja eleitoral com direito a 2º turno inclusive. Já viu né!

‘RECUERDOS’ A comparação feita pelo senador está atrelada à sua infância das tardes chuvosas que impediam as brincadeiras no quintal, com a mãe sendo ‘convocada’ a fritar os tradicionais ‘bolinhos de chuva’ para a impaciente garotada.

EVIDENTE: Quem carrega o país nas costas estará na labuta apesar das sacanagens do Governo para dificultar. Aí, esqueçam as reformas tributária, fiscal e eleitoral que FHC, Lula e Dilma prometeram. Mas o ideal mesmo seria uma reforma moral!

CONSEQUÊNCIAS A maioria dos jovens sonham com um emprego público porque temem as dificuldades da livre iniciativa. Num país novo, com tantas oportunidades e tanta coisa ainda para se fazer, isso é um mau sinal. Péssimo mesmo!

OPOSIÇÃO No trato com a oposição (embora fraca) o PT lembra bem a Ditadura que taxava os adversários de pessimistas e inconvenientes. Na mensagem de final de ano, Dilma só faltou usar aquele famoso bordão: ‘Brasil – Ame-o ou Deixe-o’.

‘INCOERÊNCIA’ O PT tem inveja e afinidade incrível com os ditadores, tratando os críticos em certas situações como inimigos em guerra contra a pátria. Neste rol está a imprensa livre, hoje mais contundente que todos os partidos da oposição.

IMPRENSA Se Hitler pegou os judeus como bodes expiatórios, outros países como Coreia do Norte, Equador, Argentina e Venezuela viram na imprensa livre um perigo. O absurdo: o PT chegou ao poder pregando a liberdade de imprensa.

BRONCA do Zé Rainha (aquele mesmo!) contra J. Barbosa: “O dia em que o negro visitou a casa grande e se encantou pelos anéis, ele é tão reacionário como o dono do engenho”. Pois é...depois o pessoal do PT se diz vítima de preconceitos.

MESMICE Ano novo e nada muda nos guichês das repartições públicas do país de herança cartorial. Tudo complicado, demandando paciência e custos financeiros. Não adianta avançarmos em tecnologia, se continuamos atrasados nesta área.

SILÊNCIO No Congresso de ‘abobrinhas’ discute-se sexo de anjo, sem preocupação para abordagem proveitosa do tema. Pelo visto essa gente não frequenta o universo dos mortais estressados que sonham com maior pragmatismo no dia a dia.

A CRUZADA Pena que o Ministério da Desburocratização (1979/86) não tenha sido mantido na busca da modernidade. Optou-se pela criação de ministérios inúteis e caros só para facilitar alianças espúrias pela tal ‘governabilidade’.

‘PEDRINHAS’ O passado cobrou o seu preço. O pior IDH do país graças a família Sarney com as bênçãos também de FHC, Lula e Dilma. A mordomia de Roseana mostra sua sensibilidade de rinoceronte passeando na sala de cristais.

MEMÓRIA Iniciante na política em 1954, Sarney foi ajudado em 2009 pela injustiça de Erus Graus (ministro) cassando Jackson Lago e reabrindo a porteira para Roseana (4º mandato), tratada agora com carinho/cuidado pelo Ministro da Justiça.

DESAFIO No ano da Copa lembro da pergunta ingênua do francês Michel Miaille – impressionado com o contraste entre as favelas e mansões no Rio: “O que vocês farão quando toda essa gente da periferia resolver invadir seus quintais?”

PERGUNTAS: Já combinaram uma trégua com o tráfico? Os arrastões vão poupar os turistas? Aeroportos, hotéis, hospitais estarão à altura do evento? Até onde o turista será respeitado? O que vamos fazer com alguns estádios após a Copa?

BERNAL “As pessoas em primeiro lugar”. Só faltou ele especificar quem seria os seus eleitos para ajudá-lo nas trapalhadas. Sem equipe, não tem projetos, perde-se as verbas federais. Birrento e arrogante vai se desgastar ainda mais com o IPTU.

NELSINHO A vinda de Michel Temer é um reforço para suas aspirações, mas não é tudo. Melhorar a musculatura, aparar arestas internas e consolidar novas alianças são itens imprescindíveis para essa jornada que promete ser duríssima.

AZAMBUJA Só fala através de assessoria? Falta-lhe pessoalidade no trato das grandes questões nacionais, pertinentes para quem almeja o Senado. Ficará esperando a carona de Delcídio até quando? Tem sido a cara da "oposição confiável’.

“O Maranhão está mais violento porque está mais rico”. (Roseana Sarney)

A lealdade de Zé Teixeira e a gratidão do governador
‘MÁGICAS’ A diferença entre ‘acórdão’ e ‘acordão’ não é apenas na acentuação. Se o ministro Ricardo Lewandowski inventou que a ex-presidente Dilma Ro...
Corporativismo político sem limites, segue a avacalhação
DESAFIO Se o presidente Michel Temer (PMDB) não vetar, caso o Senado aprove o projeto bizarro da Câmara, o país irá culpá-lo e perderá o apoio das ru...
Pizzas, os políticos não abrem mão delas
NÁUFRAGO Culpando a TV Globo e o juiz federal Sergio Moro, o ex-deputado Antonio Carlos Biffi (PT) tentou no saguão da Assembleia Legislativa justifi...
Invasores das escolas, a nova aposta do PT
LUZ AMARELA Os casos do Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro, com as finanças em colapso, estão sendo considerados pelo governador de Mato Grosso do Su...



UNANIMIDADE - Ano de fritar "mais" bolinhos no Planalto; vejam só, mesmo sem a Copa do Mundo, a movimentação pra valer no Congresso, só mesmo após o Carnaval. Porém, 2014 inicia com a ressaca do Natal e Ano Novo, onde os recessos acontecem em todos os órgãos públicos do país, esticando-se janeiro adentro somados as férias e licenças etc... tudo indica que o rítmo das atividades governamentais se apresentarão agitadas a partir das convenções partidárias, daí pra frente, de-lhe campanhas eleitorais, essa sim, pra agitar a galera. Reformas Constitucionais? Nem pensar; tá bom assim. Que venha o carnaval, a Copa e os festejos de São João, e, assim, o 2014 já nasceu morto. Viva 2015.
 
benedito rodrigues da costa em 12/01/2014 08:36:06
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions