A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 25 de Setembro de 2016

20/05/2016 21:22

Alongamento da dívida estadual deve ser decidido no fim deste mês

Nyelder Rodrigues e Hélio de Freitas, de Dourados

Durante a ato de assinatura da redução do ICMS da energia elétrica para os setores da avicultura e irrigação em Mato Grosso do Sul, realizada nesta noite em Dourados, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) confirmou que uma decisão do Governo Federal sobre o alongamento da dívida estadual deve sair no fim mês.

Veja Mais
Paralisação dos bancários completa 20 dias sem previsão de término
Entre a novidade e a decadência, quadrilátero é retrato do comércio

"Tive reunião com o Henrique Meirelles [ministro da Fazenda] na semana passada e ele se mostrou simpático a essa questão, até porque temos decisão no STF que o Estado passa de devedor para credor. Então acho que vai ter o meio termo. Existem proposta, mas algo de concreto só teremos em nova reunião no final do mês", explica o governador.

Os 27 governadores devem participar e levar propostas de alongamento da dívida neste encontro. Entre as propostas para alongamento da dívida, também pode haver uma moratória de um ano para permitir a recomposição financeira dos cofres dos estados.

"Resolve problemas do Rio de Janeiro, Minas Gerais, praticamente todos estados do Nordeste. Mato Grosso do Sul também se beneficiaria, conseguindo ter capacidade para fazer mais investimentos em várias áreas muitas vezes sensíveis por falta destes investimentos necessários", explica o governador.

Ainda segundo Reinaldo, atualmente 15 dos 27 estados não conseguem pagar os salários em dia. "Governos perdulários não conseguem nem cumprir com suas obrigações com servidores e aposentados. Mato Grosso do Sul não é uma ilha de prosperidade, mas graças ao arrocho que fizemos conseguimos manter os compromissos em dia e ainda investir em setores importantes".

Sobre as dívidas, o governador indica que se trata de "agiotagem oficial". É uma pauta necessária essa. Os estados já pagaram muito, a agiotagem oficial tirou a capacidade de investimento que os estados têm. Hoje você praticamente compromete toda receita para pagamento de juros da dívida, e ela só cresce".




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions