A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 27 de Setembro de 2016

09/11/2015 16:38

Boato de desabastecimento e preço baixo lotam posto de combustível

Liana Feitosa
No posto que fica na avenida Afonso Pena, na esquina com a rua 13 de Maio, desde o sábado (7) o movimento está intenso, segundo o gerente Militão Pires. (Foto: Edivaldo Bitencourt)No posto que fica na avenida Afonso Pena, na esquina com a rua 13 de Maio, desde o sábado (7) o movimento está intenso, segundo o gerente Militão Pires. (Foto: Edivaldo Bitencourt)

Boato de greve no setor de abastecimento de combustíveis tem mantido postos e sindicato em alerta. Via internet, grupos estão espalhando mensagem que aconselha consumidores a encherem o tanque dos veículos para se prepararem para a "maior greve rodoviária da história".

Veja Mais
Inflação bate recorde de 13 anos em outubro e supera 10% na Capital
Caminhoneiros de MS ainda se articulam para aderir à greve nacional

No posto que fica na avenida Afonso Pena, na esquina com a rua 13 de Maio, desde o sábado (7) o movimento está intenso, segundo o gerente Militão Pires.

"Sabemos de boatos de que já existem refinarias paradas e outras querendo paralisar, mas não existem confirmações de nada. Só sei que de dois dias pra cá o movimento aumentou bastante", afirma o gerente.

Ele acredita que a grande movimentação possa estar ligada, também, ao preço do litro da gasolina no estabelecimento: R$ 3,19. Em outros locais, mesmo no Centro de Campo Grande, o preço do litro desse combustível chega a R$ 3,49.

Em relação às ameaças de greve, em uma das mensagens espalhadas pela internet sobre o assunto, divulgada principalmente por meio do aplicativo WhatsApp, o texto alerta para a paralisação das atividades de duas refinarias de petróleo.

"Atenção! Encham o tanque porque a refinaria de Araucária, Cubatão e outras acabaram de fechar e vai faltar gasolina no país inteiro essa semana!", inicia o texto.

Sabemos de boatos de que já existem refinarias paradas e outras querendo paralisar, mas não existem confirmações de nada. Só sei que de dois dias pra cá o movimento aumentou bastante, afirma gerente Militão Pires. (Foto: Marcos Ermínio)"Sabemos de boatos de que já existem refinarias paradas e outras querendo paralisar, mas não existem confirmações de nada. Só sei que de dois dias pra cá o movimento aumentou bastante", afirma gerente Militão Pires. (Foto: Marcos Ermínio)

Aviso - O comunicado ainda afirma que a greve ocorrerá em represália ao governo. "É o começo da maior greve rodoviária da história da América Latina! A greve dos caminhoneiros está vindo pra derrubar esses malditos socialistas do poder!"

Ainda segundo a mensagem, o movimento está agendado para começar hoje (9). Segundo o Sinpetro MS (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo e Lubrificantes de Mato Grosso do Sul), nenhuma informação sobre protestos e paralisações está confirmada.

"Está tudo normal. Ainda não recebemos nenhum comunicado, reclamações, mas estamos monitorando a situação", afirmou o sindicato por meio de sua assessoria.

Outras regiões - "Os postos daqui retiram seus combustíveis direto nas distribuidoras, temos informações de que existem problemas em São Paulo, mas, aqui, não tem indicativo nenhum de greve. Vamos continuar monitorando", finalizou o Sinpetro.

No sudeste, greve dos trabalhadores da Petrobras iniciada no último dia 29 tem afetado a produção de petróleo no país, mas ainda não afetou postos de combustíveis de acordo com associações que representam o setor. Segundo o Sindicom (Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e de Lubrificantes), a partir desta semana, no entanto, postos podem começar a sentir efeitos da greve dos petroleiros.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions