A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 28 de Setembro de 2016

08/05/2014 18:00

Concorrência baixa gasolina para R$ 2,68, patamar de 3 anos atrás

Caroline Maldonado

“Não tem outro jeito”, diz o proprietário do posto São Cristovão, Jair Almeida, sobre a concorrência, que tem forçado a redução no valor da gasolina comum, toda quarta-feira. Ontem (7) ele baixou o preço para R$ 2,68 e provocou fila de condutores, que chamou atenção de quem passava pelo local.

Veja Mais
Endividamento das famílias cresce e atinge 58,2%, mostra pesquisa
Taxa de juros do cheque especial bate novo recorde: 321,1% ao ano

Esse valor significa quase 30 centavos a menos do que a média de preço do combustível nos outros dias, uma diferença para menos 9%. Com esse preço promocional, a gasolina volta a patamares de três anos atrás.

A Agência Nacional de Petróleo não tem uma tabela de preços a revenda de combustíveis (Foto: João Garrigó)A Agência Nacional de Petróleo não tem uma tabela de preços a revenda de combustíveis (Foto: João Garrigó)
O proprietário do posto São Cristovão, Jair Almeida, baixou o preço para R$ 2,68 somente na última quarta-feira para bater a oferta do concorrente (Foto: Alessandro Martins)O proprietário do posto São Cristovão, Jair Almeida, baixou o preço para R$ 2,68 somente na última quarta-feira para bater a oferta do concorrente (Foto: Alessandro Martins)

Jair conta que aderiu a “quarta-feira maluca” por conta da atitude do concorrente mais próximo que vendia o combustível a R$ 2,69, nesse dia da semana. “O cliente veio e falou que o preço do vizinho estava mais baixo. Então eu diminui também e assim vamos levando, um cuidando a vida do outro”, diz o proprietário sobre as três últimas semanas.

A vantagem é para o consumidor que aproveita a competição de preços na região. “Eu abasteço aqui há 20 anos, porque é confiável. Com a promoção melhora muito”, diz o funcionário público, Dario Rodrigues, 66 anos, que perdeu a promoção de ontem e hoje (8) pagou R$ 2.87 pelo litro da gasolina, no posto que fica na avenida Euler de Azevedo.

O proprietário do posto reclama que embora o movimento aumente as vendas, o faturamento não compensa muito, mas vai continuar na dependência dos concorrentes para não perder os clientes.

“Descer muito o preço, diminui a margem de lucro, mas o concorrente insiste nisso. Então vamos ‘morrer abraçados’”, brinca o proprietário. Quanto a previsão para o preço das próximas quartas-feiras, ele diz que dependerá da concorrência.

Hoje (8), o site www.precodoscombustiveis.com.br informa que o menor preço da cidade é de R$ 2,88, no bairro Amambai e o maior preço é de R$ 3,09, na região do Parque Residência dos Girassóis.

Endividamento das famílias cresce e atinge 58,2%, mostra pesquisa
O endividamento das famílias brasileiras aumentou 0,2 ponto percentual de agosto para setembro deste ano, atingindo 58,2%. Apesar do ligeiro crescime...
Taxa de juros do cheque especial bate novo recorde: 321,1% ao ano
A taxa de juros do cheque especial subiu em agosto. De acordo com informações do Banco Central (BC), divulgados hoje (28), em Brasília, a taxa do che...
China vê irregularidades e suspende importação de frango de MS
A China identificou irregularidades sanitárias em cinco plantas frigoríficas brasileiras, e suspendeu temporariamente a importação de carne de frango...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions