A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 29 de Setembro de 2016

08/05/2014 13:22

Construção de pontes e até linhas aéreas irão integrar MS ao Paraguai

Luciana Brazil e Leonardo Rocha
Governador assinou memorando de entendimento com vice-presidente do Paraguai, para intercâmbio de atividades (Foto: Marcos Ermínio)Governador assinou memorando de entendimento com vice-presidente do Paraguai, para intercâmbio de atividades (Foto: Marcos Ermínio)

A construção de duas pontes sob o Rio Apa, uma em Porto Murtinho e outra em Caracol, que vão ligar Mato Grosso do Sul ao Paraguai, faz parte das ações que vão integrar o Estado ao país vizinho. Além de prometer concluir a obra das pontes ainda no seu mandato, que termina neste ano, o governador André Pucinelli (PMDB) disse, na manhã de hoje (8), que pretende discutir a criação de uma linha aérea que faça a rota entre as duas localidades.

Veja Mais
Gol lança ofertas semanais de passagens aéreas
Mais de 6 mil consumidores saíram da lista de inadimplentes em agosto

Além de outras ações de fronteira, como a criação de um corredor de sanidade animal, o Estado quer aumentar a produção no frigorífico de Porto Murtinho, passando de 300 abates por mês para mil.

Durante encontro na manhã de hoje, com o vice-presidente do Paraguai, Juan Afara Macial, no Buffet Yotedy, em Campo Grande, o governador assinou um memorando de entendimento que tem a intenção de promover atividades e empreendimentos em conjunto entre o Estado e o Paraguai. As medidas vão acelerar o desenvolvimento das respectivas regiões, segundo Pucinelli.

“Estabelecemos esse contato com o Paraguai porque entendemos que tanto o Estado como o governo deles poderão se desenvolver através dessas ações”, disse o governador.

Utilizando recursos do governo estadual, as pontes vão custar R$ 13,7 milhões. A primeira ponte, que liga Porto Murtinho a cidade paraguaia de Valemi, terá 180 metros de comprimento por 13 metros de largura, e custará R$ 8,2 milhões.

A outra ponte, também sobre o Rio Apa, liga Caracol ao município de San Carlo. “São 120 metros de comprimento e 13 metros de largura. A estrutura custará R$ 5,5 milhões”, explicou Pucinelli.

O intercâmbio comercial na região de fronteira, como a criação de barreiras técnicas para facilitar trânsito de gado, destinado a exportação são algumas das medidas já planejadas pelas autoridades.

“Além das pontes, queremos implantar um corredor de sanidade animal e outras ações da fronteira, como aumentar a produção do frigorífico de Porto Murtinho que hoje faz 300 abates por mês, e queremos chegar a mil Queremos estabelecer contato e gerar emprego neste município. Gerar um intercâmbio cultural e comercial com o Paraguai. Já colocaremos em pauta até a discussão de linhas de aviação ente Mato Grosso do Sul e o país vizinho”, disse o governador.

Com as medidas, existe também a intenção da implantação do corredor bioceânico, que ligará a costa brasileira com os portos de Antofagasta e Iquique, no Chile, o que encurtaria em 8 mil quilômetros a distancia aos países da Ásia.

O governador falou sobre reerguer o porto de Porto Murtinho e também sobre a possibilidade de rotas de hidrovias, o que facilitaria o caminho aos centros comerciais asiáticos por um caminho mais curto. “O grupo chinês, que está investindo em Maracaju, já demonstrou interesse em investir neste porto, até para melhorar o escoamento da sua produção. Também queremos fazer rotas de hidrovias com o Paraguai e desta forma chegar aos centros comerciais asiáticos por um caminho mais curto”.

O secretário Estadual de Obras, Edson Giroto, que conduz os projetos, frisou que as atividades e planejamentos logísticos buscam uma saída para o Pacífico (oceano).

“Eu sempre soube que a economia do Estado poderia crescer muito com essa saída. Iremos fazer a nossa parte. Esta parceria com o Paraguai é a alternativa mais viável e interessante”, destacou.

Para o prefeito de Porto Murtinho, Heitor Miranda, esse sistema integração com o Paraguai irá expandir as cidades que estão na fronteira, como o município gerido por ele e Corumbá. “Haverá rotas e uma comércio sem barreiras. No Paraguai existem muitos consumidores que podem usar nossos produtos, eles também tem produtores, por exemplo, de carne, que irão se beneficiar com essa rotas implantadas”.

O governador afirmou que convidará a presidente Dilma Rousseff (PT) para participar da inauguração das pontes. “Assim incentivamos ela a construir uma ponte no Rio Paraguai, que ligará Porto Murtinho a cidade de Carmelo Peralta, uma antiga promessa do Lula”, finalizou.

A cooperação com universidades públicas do Estado para disponibilizar vagas a estudantes nos cursos de graduação e pós-graduação também está entre as estratégias de integração.

Encontro- André esteve no Paraguai em fevereiro, onde definiu a criação de uma comissão conjunta para avaliação de projetos em comum com o país vizinho. O governador recebeu hoje a comitiva do Paraguai, liderada pelo vice-presidente Juan Afara Macial.

Gol lança ofertas semanais de passagens aéreas
Para atrair novos passageiros e fidelizar seus clientes, as companhias aéreas garantem preços e condições de pagamento especiais. Cada empresa define...
Mais de 6 mil consumidores saíram da lista de inadimplentes em agosto
Em agosto, 6.144 contribuintes de Campo Grande saíram do cadastro de inadimplentes. O número é 38,5% maior que o de julho, quando 4,4 mil pessoas rec...
Prefeitos vão a Brasília para cobrar liberação de R$ 13 mi em recursos
O repasse do FEX (Fundo de Auxílio aos Estados e Municípios Exportadores) ainda não foi feito em 2016 pelo Governo Federal e as prefeituras de Mato G...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions