A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 24 de Setembro de 2016

28/03/2014 15:45

Contra preço da gasolina, população se mobiliza e vai abastecer só R$ 0,50

Zana Zaidan
Gasolina chegou a R$ 3,10 no ano passado, mas preços caíram (Foto: Arquivo)Gasolina chegou a R$ 3,10 no ano passado, mas preços caíram (Foto: Arquivo)

O preço dos combustíveis nos postos de Campo Grande é alvo de uma reedição do movimento “Na Mesma Moeda”, que convoca os motoristas a abastecer R$ 0,50 e exigir nota fiscal. O ato está marcado para hoje (28), a partir das 18h30, mas não tem local específico para concentração.

Veja Mais
Greve dos bancários chega ao 19º dia com 144 agências sem atendimento
FCO amplia acesso para empresas que faturam até R$ 16 milhões por ano

“Sexta-feira, 28 de março, todo mundo abastecendo 50 centavos e pedindo recibo, vamos passar para o maior número de grupos, não dá para andar de carro com a gasolina nesse preço. Protesto contra a gasolina as 18:30 em todos os postos”, diz uma mensagem que circula pelo Whatsapp.

Nos anos anteriores, moradores da Capital já organizaram protestos semelhantes, por meio de outras redes sociais, quando a recomendação era para que, além do valor baixo, o pagamento fosse feito com cartão de crédito ou com notas de alto valor, a fim de dificultar a vida do estabelecimento na hora de repassar o troco.

No entanto, desta vez não se sabe exatamente quem deu início ao movimento. “Recebi de um primo, mas sei que ele também recebeu de alguém e repassou”, diz o estudante Jean Kairo, 22 anos. Já a funcionária pública Tainá Toniazzo, 23 anos, soube do ato por um grupo de amigos no aplicativo. “Temos um grupo para falar de amenidades e alguém repassou, mas não sei quem está organizando”, aponta.

Moradores de outras capitais brasileiras, como Goiânia (GO) e São Luís (MA) organizaram o mesmo tipo de ato. No Maranhão, por exemplo, o Ministério Público investiga se o aumento do preço nas bombas foi abusivo.

Preços – Por aqui, o protesto causa “estranheza” ao Sinpetro (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo e Lubrificantes), que representa os postos de combustível de Mato Grosso do Sul e, por ora, garante que, além de não haver aumento, o preço caiu. 

“A gasolina não ficou mais cara, ao contrário, foi registrado queda no preço”, afirma o consultor técnico do sindicato, Edson Lazarotto. Conforme levantamento de preços da ANP (Agência Nacional do Petróleo), a gasolina hoje custa, em média, R$ 3,05 e o etanol R$ 2,21.

Em novembro do ano passado a Petrobras anunciou reajuste de 6% para gasolina, e o reflexo veio em dezembro, quando o preço nas bombas ficou na casa dos R$ 3,08 e R$ 2,13, respectivamente, ainda segundo a ANP. “E não há nenhuma sinalização de aumento”, reforça Lazzarotto, “se a Petrobras o fizer, será da forma usual: sem avisar antecipadamente, para não causar correria nos postos”.

Sobre os critérios do protesto, o consultor considera que o consumidor escolheu o alvo errado – os postos. “Não adianta querer punir o último elo da cadeia, porque essa indignação com impostos deveria ser com o governo, que fica com 53%”. Por outro lado, Lazarotto reforça que o ato é legítimo e a orientação repassada aos comerciantes é para atender os clientes normalmente. “É um cliente como qualquer outro, com os mesmos direitos desde que, claro, não cause nenhum tumulto”, finaliza.

FCO amplia acesso para empresas que faturam até R$ 16 milhões por ano
Foi aprovado nesta semana pelo Ceif (Conselho Estadual de Investimentos Financiáveis) do FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste) ...
Dólar comercial fecha a semana em queda e cotado a R$ 3,24
Após duas altas seguidas do dólar comercial durante a semana, a moeda norte-americana fechou nesta sexta-feira (23) cotado a R$ 3,247 na venda e com ...
Desemprego desacelara, e MS cria mais 1.077 vagas de trabalho em agosto
Mato Grosso do Sul abriu 1.077 empregos formais a mais no mês de agosto -equivalentes ao acréscimo de 0,21% -, em relação ao estoque de assalariados ...



Qual o problema com o preço da gasolina? Ta caro, sei. Mas... abasteci 7/8/2006 por R$ 2,76 por litro. Hoje por R$ 3,04. Faça as contas: a gasolina, nestes 8 anos, teve aumento de 10%. Aumento de 1,3% ao ano. BEM menos que os 5,6% da inflação anual. Na verdade, hoje em dia (e já ha 2 anos...) o Petrobras, ao mando do governo, esta importando gasolina cara dos EUA e vendendo com prejuizo, para segurar votos la em outubro. Com isso, a Petrobras é a unica empresa petrolifera no mundo com prejuizos, e cujo valor reduz ano ao ano. Se reclamar do custo da gasolina, esta perdendo o foco. Olha o custo de moradia e comida, e impostos, obviamente (já que o governo não corrige a tabela do IR). Estes sim são vilões, com aumentos bem acima da inflação.
 
Marc Boncz em 28/03/2014 19:45:16
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions