A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 28 de Setembro de 2016

22/10/2014 08:45

Corrida ao ar-condicionado esvazia estoques e espera chega a 20 dias

Liana Feitosa
Em média, espera por aparelhos de ar condicionado é de 5 dias úteis na Capital. (Foto: Marcos Ermínio)Em média, espera por aparelhos de ar condicionado é de 5 dias úteis na Capital. (Foto: Marcos Ermínio)

Finalmente a alta temperatura deu uma trégua e o clima voltou a ter mais cara de primavera do que de verão. No entanto, as lojas que vendem ar condicionado continuam lotadas e, a procura, intensa. O Campo Grande News encontrou em contato com oito estabelecimentos comerciais que oferecem o produto e a fila de espera por um condicionador de ar pode chegar a 20 dias uteis.

Veja Mais
Espera por instalação ou manutenção de ar-condicionado chega a 10 dias
Refrigerante de erva mate e palestra foram novidades em feira de negócios

Esse é o caso da loja Pernambucanas do centro de Campo Grande. Tanto lá, quanto no restante da cidade, os aparelhos mais procurados são os de 9 mil e 12 mil BTUs, medição usada para definir a potência do eletrodoméstico. Na Pernambucanas existem somente exemplares de 7 mil BTUs à pronta entrega. Se o cliente deseja outra opção, precisa ter paciência para aguardar até 20 dias de espera pela chegada do produto.

No Walmart, o único modelo disponível é um split de 9 mil BTUs. Mas quem tiver interesse, precisa ser rápido, pois só restam duas unidades no local. De acordo com um atendente, ontem (20) à tarde a loja recebeu vários aparelhos, mas hoje de manhã o estoque já tinha praticamente esgotado, restando duas unidades e sem previsão de nova remessa.

Recorde - Por causa da grande movimentação nas vendas, a média de espera por um aparelho, de forma geral, é de cinco dias úteis na Capital. "O que vendíamos em um mês, vendemos em uma semana", conta Givamildo Batista, vendedor da loja especializada Delta Ar Condicionado.

"As vendas dos últimos dias representam um volume parecido com o que registramos nos meses de dezembro e janeiro, que são os de maior movimento", completa. Para ele, a tendência é que o mercado continue movimentado. "Afinal, o verão nem começou", lembra Givamildo.

Escolha certa - No entanto, o consumidor precisa estar atento ao produto que está levando para casa. Para não se supreender com a conta de energia no final do mês, algumas dicas precisam ser consideradas, como sugere o vendedor Anésio Corrêa, da Centro-Oeste Refrigeração.

Fatores como o tamanho do ambiente que receberá o aparelho, a quantidade de pessoas que utilizam o local, se existem móveis ou equipamentos que geram calor, além de detalhes como a presença de janelas e a incidência de sol no local, podem ser determinantes no desempenho do refrigerador de ar.

"Se o aparelho é para um escritório, por exemplo, é preciso medir a área, contar quantas pessoas trabalham ali, quantos equipamentos existem na sala, ver se pega sol e se tem janelas de vidro. Se o cliente não considerar tudo isso, pode acabar levando um aparelho com potência que não está de acordo com a necessidade do ambiente", explica Anésio.

Calculando a potência - Para fazer o cálculo, ele sugere que para cada metro quadrado de ambiente seja atribuído uso de, no mínimo, 600 BTUs. "Mas, com o calor forte que está fazendo, indico que o cliente considere o uso de, pelo menos, 650 BTUs por metro quadrado", aconselha.

Portanto, segundo ele, se a sala tem 25 m², é preciso somar a esses 25 o número de pessoas que usam o local e a quantidade de equipamentos como computadores. "Se o ambiente tem 25 m², 10 pessoas trabalham ali e existem 10 computadores, é preciso calcular 45 (25+10+10) multiplicado por 650 para saber quantos BTUs você precisará para o ambiente em questão", ensina Anésio.

Funcionário de loja leva aparelho até carro de cliente: estoques acabaram. (Foto: Marcos Ermínio)Funcionário de loja leva aparelho até carro de cliente: estoques acabaram. (Foto: Marcos Ermínio)



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions