A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 28 de Setembro de 2016

11/08/2014 13:45

Em 2014, vendas cresceram só 0,07% em relação ao ano passado

Priscilla Peres
Desempenho das vendas foi fraco em relação a 2013. (Foto: Arquivo)Desempenho das vendas foi fraco em relação a 2013. (Foto: Arquivo)

As vendas a prazo no comércio de Campo Grande para o Dia dos Pais se mantiveram praticamente estáveis este ano. De acordo com dados da ACICG (Associação Comercial e Industrial de Campo Grande), houve leve alta de apenas 0,07% na comercialização deste ano em relação ao ano passado, quando o aumento chegou a 3,8%.

Veja Mais
Refrigerante de erva mate e palestra foram novidades em feira de negócios
Em queda de 0,5%, dólar comercial fecha cotado a R$ 3,23 nesta terça-feira

Os dados são baseados em uma amostra das consultas realizadas no banco de dados do SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), entre 04 e 10 de agosto de 2014 e 5 e 11 de agosto de 2013. O fraco desempenho do Dia dos Pais já era esperado pelo comércio, devido a tendência de queda das outras datas.

O presidente da ACICG, João Carlos Polidoro, afirma que a previsão era de estabilidade próxima a zero e que os dados mostram uma leve recuperação. "O segundo semestre historicamente é melhor que o primeiro e daqui pra frente podemos esperar melhoras, ainda pequena no Dia das Crianças, mas um pouco melhor no Natal", explica.

De acordo com ele, os números do SCPC são baseados nas vendas a prazo e servem de "termômetro" para saber como o setor se comportou. "Pesquisas de intenção de compras mostram que os clientes estão mais inclinados a pagar a vista, por estarem mais cautelosos com as vendas a prazo", diz Polidoro, ao explicar que a atitude é uma reação ao cenário macroeconômico do país.

País - Em todo o país, as consultas para vendas a prazo apresentaram queda de 5% em relação ao mesmo período do ano passado. Segundo informações do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e da CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas), o resultado é o pior dos últimos cinco anos.

De acordo com os dados, o comportamento de baixa nas vendas do comércio das demais datas comemorativas se repediu. No Dia das Mães deste ano, houve queda de 3,55% e no Dia dos Namorados de -8,63%.

Na avaliação de Roque Pellizzaro Junior, presidente da CNDL, o resultado é consequência do desaquecimento da economia, influenciado principalmente pela escalada dos juros, pela inflação no limite da meta e pelo menor crescimento da renda do trabalhador.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions