A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 26 de Setembro de 2016

18/03/2016 11:55

Em reunião, Reinaldo e paraguaios definem prioridades para a logística

Priscilla Peres e Leonardo Rocha
Reunião aconteceu nesta manhã, na governadoria. (Foto: Leonardo Rocha)Reunião aconteceu nesta manhã, na governadoria. (Foto: Leonardo Rocha)

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e representantes do governo paraguaio definiram hoje, em reunião, quatro pontos principais para a melhorar a logísitica entre os dois países. Ficou acordado que serão realizadas obras estratégicas e integradas com foco na exportação e importação de produtos.

Veja Mais
Governador recebe comitiva com embaixador e ministros do Paraguai
Bancários voltam a negociar reajuste e fim da greve nesta terça-feira

"Essa ações são para criar mais oportunidades de negócios entre os dois países, principalmente a rodovia (no Paraguai) que é prioridade no momento, porque faz a ligação rumo ao oceano Pacífico", disse o governador ao ressalta que o Chile também integra o tratado para promover essas obras em direção ao corredor Bioceânico.

O ministro de Indústria e Comércio do Paraguai, Gustavo Leite, afirmou que é preciso fazer ações conjuntas entre o país e Mato Grosso do Sul, pois os dois tem em comum que "não tem acesso ao mar e por isso precisam criar vantagens competitivas". Ele ainda destacou que o Paraguai tem custo competitivo igual ao da China, então porque "não importar do Paraguai?".

Prioridades - Durante a reunião que também contou com a participação de secretários estaduais e o embaixador José Felício e Ramon Jiménez Gaona, titular da pasta de Obras Públicas e Comunicações, foram estabelecidas quatro prioridades.

O primeiro ponto e prioritário é a construção de uma rodovia de 360 km no trecho da entre Carmelo Peralta (fronteira com Porto Murtinho) que segue até Marechal Estigarribia, até a divisa com a Argentina. O governo paraguaio se comprometeu a pavimentar a estrada e afirmaram que já vão abrir um processo licitatório, pois essa é uma saída para a Rota Bioceânica.

O segundo ponto é sobre o tráfego de caminhões bitrems dos dois lados. Ficou acertado que o Paraguai vai permitir que os caminhões sigam até o porto de Concepcion, e MS vai permitir que eles também entrem no Estado, para ir ate Bataguassu a Três Lagoas. De acordo com Reinaldo, esse tratado já existe entre o Rio Grande do Sul e com o Uruguai.

O governo paraguaio, no terceiro ponto, pediu que Mato Grosso do Sul faça uma ponte sobre o rio Apa, ligando Porto Murtinho a cidade de Valemi. Essa obra seria feita com recursos estaduais.

O quarto e último ponto acordado hoje é a construção de uma ponte em Porto Murtinho sobre o rio Paraguai, que custaria aproximadamente R$ 130 milhões. Esse valor seria pago metade pelo governo brasileiro e metade paraguai . "Como seria uma licitação de duas partes e isso pode ser complicado, o Paraguai até se dispos a assumir a obra sozinha e depois ter um ressarcimento de outras formas", disse o governador.




Não dá para confiar nesses paraguaios

Pois todos os caminhoneiros brasileiros que entram no Paraguai são extorquidos e assaltados por policiais e bandidos.

O que o MS precisa é de uma ferrovia que ligue o estado até aos portos brasileiros

E não de ponte que ligue ao paraguai, pois o paraguai não leva a lugar nenhum.
 
wild em 19/03/2016 22:43:54
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions