A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 28 de Setembro de 2016

17/08/2016 10:48

Empresa produtora de tilápia quer gerar 800 empregos diretos em MS

Priscilla Peres
Representante da empresa se reuniu com a senadora nesta semana. (Foto: Roberto Castello)Representante da empresa se reuniu com a senadora nesta semana. (Foto: Roberto Castello)

Mato Grosso do Sul terá uma fazenda produtora de peixes da espécie tilápia, com capacidade para produzir 100 mil toneladas por ano. O empreendimento será localizado em Selvíria - distante 404 km de Campo Grande, e depende de licença para sair do papel.

Veja Mais
Imasul entrega 76 licenças ambientais para empresas investirem em MS
Refrigerante de erva mate e palestra foram novidades em feira de negócios

Em novembro de 2015, o diretor internacional da Tilabras, Sylvio Santoro Filho, recebeu a licença ambiental do governo do Estado, porém ainda faltam autorizações federais para que as obras comecem. Segundo ele, o processo é burocrático e deve durar mais 60 dias.

O projeto é grande e promete mudar a produção estadual de peixes, além de contribuir para o setor de emprego e renda municipal. A estimativa é de que sejam gerados 800 empregos diretos.
Até 2020, Sylvio prevê que a empresa atinja a primeira fase de produção com 25 mil toneladas anuais e faturamento anual de R$ 1 bilhão. “Isso representa um incremento de 30% na produção brasileira de tilápia”, ressaltou o representante da empresa.

O empreendimento que surgiu através da parceria entre duas empresas de renome internacional, a americana Reagal Sprigs e a brasileira Axial (representada nesse setor pela Mar & Terra).

Segundo ele, com esta produção, a multinacional será a maior produtora individual do mundo e, futuramente, o maior frigorífico de peixes do mundo. “Vamos crescer em degraus para construir a cadeia de suprimento. A multinacional vai atuar na incubação, produção, processamento e distribuição de tilápias no Brasil e principalmente no exterior".

A previsão é de que atingir a capacidade máxima em 7 anos. A operação será verticalizada e integrada com incubadora (laboratório), engorda (gaiolas), frigorífico, fábrica de farinha e óleo de peixe, produtora de biodiesel, fábrica de rações e laboratório próprio de vacinas.

Nesta semana, Sylviou se reuniu em Brasília com a senadora Simone Tebet (PMDB), que destacou o impacto de uma empresa desse porte para o Estado e dará suporte do processo de licenciamento.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions