A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 27 de Setembro de 2016

16/05/2016 13:12

Fim da colheita da soja derruba valor do frete em 10% em Mato Grosso do Sul

Renata Volpe Haddad
Valor do frete em abril subiu 25% e em maio, caiu 10%, fechando o valor do transporte de grãos em R$ 150 a tonelada. (Foto: Divulgação)Valor do frete em abril subiu 25% e em maio, caiu 10%, fechando o valor do transporte de grãos em R$ 150 a tonelada. (Foto: Divulgação)

Com a colheita de soja acabando, o valor do frete em Mato Grosso do Sul teve queda de 10% em maio, se comparado com abril deste ano. O preço não supera o valor da inflação, de acordo com a Setlog (Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logística de MS).

Veja Mais
Mercado de grãos é um dos temas que será debatido pelo Circuito Aprosoja
Volume exportado de soja cresce 85% e balança comercial tem 4 meses de alta

Conforme o presidente do sindicato, Cláudio Cavol, no início da safra 2015/16, o preço do frete chegou a subir 25% no Estado. Agora, como a colheita chega ao fim, caiu 10% e se mantém em R$ 150 a tonelada.

"Observamos que sempre no início da colheita, há muito grão e pouca carreta para o transporte e quando vai chegando ao fim, não há tanto produto para o transporte e há muita oferta de caminhão", afirma.

Cavol explica que antes do início da colheita, o frete custava R$ 130 a tonelada e subiu para R$ 160. “Achamos que o preço não vai cair mais, porque em agosto temos a safra do milho, que deve ser colhido em agosto”.

Para o presidente, o preço do frete não supera o da inflação. “Tivemos o aumento do óleo diesel e com isso, aumentou também o valor do pneu e outros insumos e isso não supera a inflação”, finaliza.

Segundo a gestora do Departamento de Economia do Sistema Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul), Adriana Mascarenhas, ainda não há um comparativo dos preços com o mês de maio, mas com o fim da colheita de soja, é comum ocorrer uma queda no valor do frete. “Isso é algo comum, pois como todo o grão já foi transportado para os portos, a demanda pelo frete cai e consequentemente o preço”.

Porém, segundo a gestora, essa retração tem período curto já que em agosto inicia a colheita do milho safrinha. “Observamos que o volume de exportação dos grãos cresceu bastante, pois com essa antecipação da soja e milho, evidentemente que há uma demanda maior pelo transporte”, enfatiza.

Preços - De acordo com o departamento técnico, de Maracaju ao porto Paranaguá, em março o valor do frete custava R$ 156,22 e em abril subiu para R$ 156,33 a tonelada. De Dourados para o mesmo porto, a queda foi de 5,9% no mesmo período, baixando de R$ 146,72 para R$ 138 a tonelada. Queda ainda maior de Ponta Porã a Parnaguá, sendo registrado negativo de 12,8% R$ 160,47 para R$ 140.

O transporte de Maracaju ao porto de Santos aumentou 0,71% em abril, se comparado com março. O frete de Dourados e Ponta Porã se manteve no período em R$ 170 e R$ 190 respectivamente, no período.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions