A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 27 de Setembro de 2016

29/04/2016 12:01

Frente fria interfere nos hortifrutis e preço da batata dobra na semana

Caroline Maldonado
Em apenas quatro dias, preço da batata inglesa dobrou (Foto: Marcelo Victor)Em apenas quatro dias, preço da batata inglesa dobrou (Foto: Marcelo Victor)

Com a chegada do inverno e o revesamento entre frentes de calor e de frio, os preços de hortifrutis oscilam com mais rapidez. Quem fez a feira há uma semana já não encontra os mesmos valores nesta sexta-feira (29). Em apenas quatro dias, o preço da batata inglesa dobrou na Ceasa (Central de Abastecimento de Mato Grosso do Sul).

Veja Mais
Governo impõe nova regra à Caixa, mas financiamentos com FGTS continuam
Pequena central hidrelétrica de MS receberá R$ 140 mi em investimentos

Na tabela da sexta-feira passada, o quilo da batata custava R$ 3 e passou para R$ 6, na terça-feira (26). Com isso, os empresários repassam, automaticamente, o reajuste ao consumidor nos mercados e feiras de Campo Grande.

Hoje (29), o preço da batata recuou R$ 10%, mas se mantém alto, a R$ 5,40 o quilo. Se não chover nos próximos dias, é possível que o preço continue em queda. 

A responsável pela Cotação de Preços Diário da Ceasa, Rafaela Verneque, explica os motivos que levaram a alta tão significativa. “A batata vem, principalmente, de São Paulo, Paraná e Minas Gerais. Nas últimas semanas, choveu muito nesses Estados e muitos produtores não estavam nem podendo colher. Então, quem estava colhendo fez a cotação maior”.

Também foram impactados na última semana os preços da cebola, que subiu 20% e do cará, que aumentou 17%. A cebola consumida em MS, vem de Santa Catarina e São Paulo, dois Estados que também tiveram chuvas intensas, recentemente. Além do preço subir, as chuvas fazem com que a qualidade caia e não tem jeito, o consumidor acaba pagando mais caro pelo produto que não está em perfeito estado. Hoje, o preço da cebola já se estabiliza, com queda de 16,67%. 

O último levantamento, de terça-feira, mostra que caiu em 20% o preço da goiaba e em 9% o do mamão formosa. Como a goiaba vinda de São Paulo está em falta, a produção que chega na Ceasa vem de Jaraguari, município a 44 quilômetros de Campo Grande. No entanto, os comerciantes têm que ficar atentos para aproveitar os preços baixos, porque chegam apenas entre cinco de 15 caixas, por semana.

Também é vantagem comprar no Ceasa hoje, o abacaxi, que está 23% mais barato e o inhame, cujo preço caiu 10%, nos últimos dias. O ovo de granja, que já vinha em queda, ficou 6,9% mais barato. A cotação diária está disponível no site www.ceasa.ms.gov.br/cotacoes.htm




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions