A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 25 de Setembro de 2016

30/07/2015 10:46

Mutirão da Conciliação começa dia 5 e prevê vantagens para quem negociar

Liana Feitosa

O Mutirão da Conciliação, voltado a contribuintes com processos judicializados em Campo Grande, podem aproveitar a oportunidade a partir da próxima semana. A chance vale para dívidas instituídas até 31 de dezembro de 2014.

Veja Mais
Mutirão da Conciliação vai negociar dívidas judiciais por 30 dias, em agosto
Greve dos bancários chega ao 19º dia com 144 agências sem atendimento

Antes, havia sido anunciado que o Mutirão ocorreria a partir do dia 1º de agosto, mas a data foi adiada para o dia 5. Portanto, a central de atendimento da prefeitura, que fica na rua Arthur Jorge, 500, receberá os interessados a partir da quarta-feira até o dia 10 de setembro.

Estarão em funcionamento 23 guichês das 8h às 16 horas, sem interrupção no atendimento durante o horário de almoço.

Quem pode - Podem aderir pessoa física ou jurídica, com débitos tributários ou não, inscritos ou não em dívida ativa, ajuizados ou não e saldos remanescentes de parcelamento. Os participantes terão perdão de multa por infração e exclusão de juros de mora e financiamentos antigos.

A ação é uma iniciativa do TJ/MS (Tribunal de Justiça) para reduzir a quantia de processo judicializados na Capital e a adesão só poderá ser assinada, exclusivamente, pelo contribuinte ou por seu representante legal.

Para o secretário de Receita do município, Ricardo Vieira Dias, o foco da iniciativa é solucionar os projetos judicializados, e não necessariamente gerar receita. Segundo ele, todos os envolvidos "abrem mão de um pouco".

"O TJ perde um pouco, o contribuinte, a prefeitura. E ao mesmo tempo, todo mundo ganha um pouco. Por isso não dá para estimar quando receberemos", disse ao Campo Grande News recentemente.

Formas de pagamento - As maiores vantagens são oferecidas no pagamento à vista, que prevê redução de 60% da atualização do crédito, 90% dos juros de mora, e anistia de 80% atualizado da multa. Também serão retirados 45% do saldo remanescente, de 100% dos juros de financiamento dos juros de mora do crédito remanescente objeto de parcelamento.

Caso o contribuinte escolha fazer o pagamento em 5 parcelas, a redução será de 50% da atualização do crédito, 80% dos juros de mora e anistia de 70% da multa. Neste caso, a remissão é de 35% do saldo remanescente, de 100% dos juros de financiamento e 80% dos juros de mora do crédito remanescente que está sendo parcelado.

Para quem escolher pagar em 12 parcelas sem juros de financiamento, haverá redução de 40% da atualização do crédito, 60% dos juros de mora e anistia menor, de 50% da multa. A remissão é de 25% do saldo remanescente, de 100% dos juros de financiamento e 70% dos juros de mora do crédito remanescente objeto de parcelamento. O valor de cada parcela não poderá ser inferior a R$ 80 para pessoas físicas e R$ 200 para as pessoas jurídicas.

FCO amplia acesso para empresas que faturam até R$ 16 milhões por ano
Foi aprovado nesta semana pelo Ceif (Conselho Estadual de Investimentos Financiáveis) do FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste) ...
Dólar comercial fecha a semana em queda e cotado a R$ 3,24
Após duas altas seguidas do dólar comercial durante a semana, a moeda norte-americana fechou nesta sexta-feira (23) cotado a R$ 3,247 na venda e com ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions