A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 30 de Setembro de 2016

07/11/2014 08:14

Seca reduz produção de energia e tira R$ 600 mil de municípios de MS

Priscilla Peres
Área da usina de Porto Primavera abrange seis municípios de MS. (Foto: Instituto de Pesquisa Tecnológicas)Área da usina de Porto Primavera abrange seis municípios de MS. (Foto: Instituto de Pesquisa Tecnológicas)

Em um ano, 12 municípios de Mato Grosso do Sul deixaram de arrecadar R$ 610 mil por culpa, principalmente, da estiagem na região Sudeste do país, uma queda de 32%. Isso por que essas cidades recebem compensação financeira mensal da Cesp (Companhia Energética de São Paulo) pelos prejuízos causados pelas barragens de hidrelétricas.

Veja Mais
Estiagem pode causar prejuízos de R$ 140 milhões e encarecer a carne
Navegação suspensa há 5 meses prejudica transporte de produtos de MS

De acordo com Cesp, a CFURH (Compensação Financeira pelo Uso dos Recursos Hídricos) é diretamente proporcional à quantidade de energia produzida na usina e, em função da estiagem na região Sudeste, todas as usinas hidrelétricas estão produzindo menos.

Anaurilândia - distante 371 km de Campo Grande, teve 65 mil hectares alagados pela Usina Hidrelétrica Engenheiro Sergio Motta, localizada no Rio Paraná e por isso recebe um valor de mensal compensação financeira. Acontece que esse valor repassado ao município caiu 22% em um ano e tem prejudicado as finanças da prefeitura.

"Tivemos que deixar de fazer uma festa tradicional em comemoração ao aniversário da cidade, pois com a queda da compensação financeira não temos condições financeiras de arcar com esses gastos", afirma o prefeito Vagner Alves Guirado. O município que em outubro de 2013 recebeu R$ 272 mil, no mês passado teve 18% a menos, ficando com R$ 223 mil.

Em Aparecida do Taboado - distante 481 km de Campo Grande, a situação é ainda pior, já que a arrecadação com a produção das hidrelétrica de Ilha Solteira, Jupiá e Porto caiu em 35%, passando de R$ 502 mil em 2013 para R$ 322 mil este ano.

"Não esperávamos uma queda dessa e estou tendo que repensar toda a programação financeira para o fim de ano. Graças a Deus já tenho garantido o pagamento dos funcionários, mas estamos cortando todos os outros gastos", destaca o prefeito de Aparecida do Taboado, José Robson Samara.

Prefeito de Anaurilândia afirma que o município perdeu 65 mil hectares de terra com a barragem .(Foto: Nova Noticias)Prefeito de Anaurilândia afirma que o município perdeu 65 mil hectares de terra com a barragem .(Foto: Nova Noticias)

Recompensa - A Compensação Financeira é paga pela Cespa à Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), que gerencia a arrecadação e a distribuição dos recursos entre os beneficiários que são os Estados, municípios e órgãos da administração direta da União. Em outubro do ano passado foram repassados R$ 2,480 milhões aos municípios de MS, 32% ao valor deste ano, que foi de R$ 1,870 milhões.

A mesma situação acontece em outros municípios, como Bataguassu - distante 335 km de Campo Grande, que arrecadou 22% a menos com o repasse da hidrelétrica. "Esses recursos já estavam empenhados, agora gastos estão sendo cortados para garantir o pagamento de contas básicas como a folha de pagamento", afirma o prefeito Pedro Arlei Caravina. O valor repassado pela Cesp só não pode ser usado para o pagamento da folha de funcionários, mas garante os recursos para fornecedores, por exemplo.

Atualmente, Três Lagoas - distante 338 km de Campo Grande, é o município que mais recebe compensação financeira, sendo que em outubro viu entrar R$ 409 mil no cofre público, valor 24% menor que no mesmo mês do ano passado, quando recebeu R$ 544 mil da hidrelétricas de Jupiá e Porto Primavera.

Estiagem - De acordo com a Cesp, o reservatório da Usina Ilha Solteira teve redução de 7 metros desde o início do ano e está operando com acompanhamento contínuo para verificação de possíveis impactos na estrutura da barragem. Isso devido ao baixo nível do rio que está com 319,43 metros.

A operação abaixo do nível 323 metros exige o acompanhamento e a redução dos níveis dos reservatórios devem-se a forte estiagem que assola as regiões Sudeste e Centro-Oeste. Na mesma data, em 2013, o nível estava na cota 326,01 metros.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions