A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

03/12/2013 13:12

Após muita luta, emenda é aprovada e 1% do orçamento de 2014 vai para a cultura

Paula Maciulevicius e Kleber Clajus
A emenda aumenta em cinco vezes o valor destinado, totalizando agora R$ 26 milhões para a cultura. (Fotos: Cleber Gellio)A emenda aumenta em cinco vezes o valor destinado, totalizando agora R$ 26 milhões para a cultura. (Fotos: Cleber Gellio)

Com 24 votos favoráveis, a Câmara Municipal de Vereadores deu um ‘sim’ para a arte de Campo Grande ao aprovar, nesta terça-feira (3), emenda à lei orgânica do município que destina 1% do orçamento de 2014 para a cultura.

Veja Mais
Escritor João Ubaldo Ribeiro morre aos 73 anos no Rio de Janeiro
Grupos de teatro se mobilizam no Paço pela implantação do Sistema de Cultura

A emenda aumenta em cinco vezes o valor destinado, totalizando agora R$ 26 milhões. O presidente do Conselho Municipal de Cultura, Ângelo Arruda, ressalta que a vitória de hoje é resultado de um movimento que ocorre há 10 anos.

“A migalha que se tinha para a cultura amplifica, chegando ao patamar de cidades como Goiânia e Brasília”, afirma. Ângelo ainda completa que a aprovação não foi um benefício, mas veio da luta de produtores culturais e políticos.

“Agora os artistas vão poder ter remuneração melhor por conta desse aumento, vão poder ter mais investimentos na área e possibilitar que outros setores recebam recursos”, complementa.

A proposta passa por segunda votação na semana que vem. Por ser emenda à lei orgânica é de responsabilidade exclusiva da Câmara e não precisa passar pela sanção do prefeito para entrar em vigor.

Votação foi acompanhada por artistas que veem etapa de trabalho de uma década se findar.Votação foi acompanhada por artistas que veem etapa de trabalho de uma década se findar.

O presidente do Fórum Municipal de Cultura, Vitor Samudio, enfatizou que hoje se findou uma etapa que durou uma década e acabou se tornando algo simbólico na busca por recursos. “A ideia é descentralizar, proporcionando para toda a cidade um contato mais próximo com a cultura”, comentou.

Por existir um Plano Municipal de Cultura, Samudio reforça que agora há mais possibilidade de se trabalhar diante do recurso.

“Investir na cultura é gastar menos em segurança e saúde pública”, disse o vereador Eduardo Romero (PT do B), um dos proponentes da emenda.

Acompanhando a votação estava o ex-vereador e presidente regional do PPS, Athayde Nery, que classificou a cultura como a saúde, ao dizer que a questão é um direito social. “O Estado tem que garantir a sua ação. A cultura é um estado de espírito de uma sociedade. Ela vai muito além do que uma apresentação de teatro, pode ser aplicada ao trânsito”, exemplifica.

A aprovação trouxe aplausos à Câmara de Vereadores, principalmente porque o sim coincide com a véspera da data em que o Conselho de Cultura comemora 20 anos, nesta quarta-feira. Estiveram presentes o cineasta Cândido Alberto, o artista plástico Jonir, a atriz e diretora Andréa Freire, Dudu Miranda, os músicos Jerry e Marcio de Camilo, dentre outros.

“Quando tem presença do artista na Casa de Leis, virão boas coisas, porque quando o artista se faz presente, também se faz presente a questão de liberdade e reconhecimento”, ressaltou a vereadora Luiza Ribeiro (PPS).
Paralelo ao movimento de Campo Grande, tramita no Congresso Nacional, a PEC 150, que prevê que a união invista 2%, o Estado 1,5% e os municípios 1%.

Grupos de teatro se mobilizam no Paço pela implantação do Sistema de Cultura
Coletivos da Cultura de Campo Grande protestaram no final da manhã desta quarta-feira (11), em frente ao Paço Municipal, pela implantação do Sistema ...
Fundação abre inscrições para atrações de MS no Festival de Bonito
A Fundação de Cultura do Governo do Estado abriu inscrições para selecionar espetáculos musicais e cênicos de Mato Grosso do Sul para compor a progra...



Parabéns aos batalhadores!!!! Agora por favor não vão investir naquilo que os campo grandenses estão habituados a chamar de cultura...é um regionalismo sem fim..parece que o Paraguai e o pantanal é só atravessar a rua...todo lugar q se vai parece que só toca Mercedita, Chalana e assim vai...se tem uma exposição pode saber que é de coisas regionalistas....nada contra, mas na minha humilde opinião a diversidade cultural é o que propicia o desenvolvimento cultural...
 
André Garcia em 03/12/2013 21:14:36
Belo comentário João deveria ter centros de ciência, planetários para estimular a juventude a pesquisar a desenvolver esse pais.
 
amanda keity em 03/12/2013 18:21:24
Já tem bem mais de 1% para ciência e tecnologia, caro João de Deus. Cultura, por sua vez, é NECESSIDADE HUMANA. Você deveria se informar do quanto os países desenvolvidos em ciência e tecnologia investem em cultura - um cientista no Japão, país muito mais desenvolvido que o nosso, certamente dá muito mais valor à cultura que você aparenta dar.
Arte e cultura tanto são necessidades humana, que desde o tempo das cavernas o homem já sente a necessidade de se expressar nas paredes das mesmas. Ciência e tecnologia sem arte e sem cultura apenas seriam capazes de transformar o homem em robô - mais do que já tem se tornado. Seu comentário sobre a eleição "qual o mais importante: Cultura ou ciência?" apenas explicita sua formação educacional fraca.
 
William D. H. Mendes em 03/12/2013 17:54:58
Agora, é torcer para que esse dinheiro público seja usado com lisura e sem desvios.E que a população pague preços populares nos eventos que virão por ai!
 
MARCELLO MENDES em 03/12/2013 15:54:58
Toda a cidade está em festa. Um presente de Natal para todos os campo-grandenses especialmente os que vivem da cultura
 
Angelo Arruda em 03/12/2013 14:29:57
Nada contra, mas o que desenvolve uma nação é ciência e tecnologia.
 
joao de deus em 03/12/2013 14:03:08
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions