A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

22/07/2014 07:00

Capitonê e botonê trazem sofisticação do encosto da poltrona à cabeceira da cama

Paula Maciulevicius
Capitonê também pode aparecer com requinte na cabeceira da cama.Capitonê também pode aparecer com requinte na cabeceira da cama.

Um giro por blogs de decoração e arquitetura e a gente se depara com um estofamento que dá sofisticação e elegância ao ambiente. Na versão capitonê ou botonê, o uso em encostos de cadeiras, poltronas, pufes, sofás e cabeceiras de cama traz um toque retrô do estilo que marcou os anos 50 e 60.

Veja Mais
Traços da nossa arquitetura, desde o “Gabinete Téchnico de Desenho" na Calógeras
Casa de madeira mantém as lembranças de 92 anos de dona Nazira na 14 de Julho

As duas técnicas são consideradas clássicas, nunca caem de moda e possuem diferenças entre si. O capitonê, segundo histórico, vem de origem inglesa, como forma de agregar valor aos trabalhos manuais. Na prática, o acolchoado é dividido por pontos feitos com cordões ou fios grossos, que formam quadrados ou retângulos. O formato depende da distância entre os cordões.

O estofamento leva espuma e é revestido em couro ou tecido com afundamento de alguns pontos. No caso do capitonê, o trabalho deve cobrir toda a superfície e pode ser marcado por dobras ou franzidos nos revestimentos.

O botonê já é uma técnica mais simples, onde os botões são apenas fixados sobre o revestimento e quando há o afundamento, ele é mais superficial e não precisa também ser aplicado em toda peça. Pode inclusive ser usado como detalhes no centro do encosto da cadeira, por exemplo. No fim, o que diferencia um de outro é o botão em cada afundamento.

Um exemplo clássico do estilo capitonê, é o sofá Cherterfield.Um exemplo clássico do estilo capitonê, é o sofá Cherterfield.

Como usar? Aplicados em tecidos como camurças, vinílicos, veludos e couros de móveis como sofás, cabeceiras de cama e poltronas, as duas técnicas podem ser aplicadas em pufes, cadeiras, paineis, almofadas e cabeceiras. Os estofamentos ainda têm a vantagem de serem livres para entrar em qualquer estilo de decoração e acabam se tornando estrelas nos ambientes.

Onde fazer? Em Campo Grande, o Lado B deu uma ligada em algumas tapeçarias da cidade e descobriu que não tem muito segredo não. A maioria delas trabalha com o tipo de estofamento, no entanto, somente sob encomenda e com um prazo de 7 até 15 dias para a entrega.

A primeira pergunta que vão nos fazer do outro lado da linha, na hora de simular um orçamento é que os valores e o prazo depende do móvel. Os campo-grandenses tem preferido usar a técnica em pufes e encostos de poltronas. Os sofás, um exemplo clássico como o Chesterfield ainda são pedidos, mas em escala bem menor.

Tapeceiro e proprietário da Ambiente Interior, Jaime da Silva, de 57 anos, explica que os tecidos usados na técnica são mais da linha sintética, veludo italiano, courino e couro.

“O capitonê ele depende da sala da pessoa, do gosto, mais geralmente é usado em detalhes no encosto. O que mais sai hoje é o botonê, que não tem a costura, só o botão”, comenta.

Botonê. Botonê.
Um  exemplo clássico da técnica do botonê  é a poltrona Barcelona.Um exemplo clássico da técnica do botonê é a poltrona Barcelona.

Média de preços - Para um puff de 60x60, por exemplo, o preço pode começar em R$ 140, no botonê. Em encostos de cadeira e poltronas, o valor pode começar em R$ 180. Já a cabeceira da cama, claro que também vai variar de acordo com o tamanho, mas dentro do que mais tem saída nas tapeçarias o botonê fica a partir de R$ 700 e o capitonê, R$ 900, podendo chegar a R$ 1,5 mil.

O tapeceiro e proprietário da Triunidade Tapeçaria, Nivaldo Ribeiro, atenta para o detalhe na escolha do tecido. “Uns aceitam limpeza, o courino, ou o suede, que é que veio para fomentar e atualizar a característica do estofado”, explica.

O Lado B deu uma olhada em imagens pela internet e separou algumas para inspiração, veja:




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.