A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

25/04/2014 06:34

Com piscina iluminada e jardim vertical, fundo de residência vira área de lazer

Elverson Cardozo
Trabalho demorou 10  dias e custou cerca de R$ 10,8 mil. (Foto: Divulgação)Trabalho demorou 10 dias e custou cerca de R$ 10,8 mil. (Foto: Divulgação)
Apesar da aparência suja, água da piscina recebeu tratamento químico durante a obra. Não havia, portanto, risco de proliferação do mosquito da dengue. (Foto: Divulgação)Apesar da aparência suja, água da piscina recebeu tratamento químico durante a obra. Não havia, portanto, risco de proliferação do mosquito da dengue. (Foto: Divulgação)

No residencial Damha II, uma das áreas mais nobres de Campo Grande, um casal transformou o fundo do quintal da casa onde mora com os três filhos adultos, em um espaço de lazer, com direito a espreguiçadeira, mesa com cadeiras, piscina iluminada e jardim vertical com irrigação prática e funcional.

Veja Mais
Com filmes não revelados da década de 1950, frei tenta criar museu em mosteiro
Traços da nossa arquitetura, desde o “Gabinete Téchnico de Desenho" na Calógeras

O projeto arquitetônico de interiores e paisagismo foi elaborado pelas arquitetas Cláudia e Luísa Sá Earp. Custou cerca de R$ 10,8 mil aos clientes e levou aproximadamente 10 dias para ficar pronto. O valor se refere apenas à execução do jardim (completo e com a irrigação).

Durante a obra, a água da piscina existente no local foi mantida testar a impermeabilização. Apesar da aparência suja, o local recebeu tratamento químico e não havia o menor risco de proliferação do mosquito da dengue, garantiram as profissionais.

Como o terreno era irregular e com formato afunilado, que lembra uma fatia de bolo, era inviável usar a área para um jardim tradicional. Ocuparia muito espaço. Mas como o paisagismo era a “menina dos olhos” do casal, Claudia e Luísa sugeriram o vertical, que acabou atendendo ao pedido e, ao mesmo tempo, preservando a área.

Ao fundo, no muro de 10 metros de comprimento, as arquitetas colocaram três painéis de concreto com caixinhas de cimento, onde foram colocadas plantas resistentes ao sol: aspargo e duas espécies de barba de serpente.

Área de lazer durante a obra. (Foto: Divulgação)Área de lazer durante a obra. (Foto: Divulgação)

Um sistema de irrigação, que abrange cada um dos “quadradinhos”, garante a manutenção. É só ligar a torneira e deixar alguns minutos. O terreno era “pelado” e, por isso, para deixar tudo mais bonito, foi necessário além dos painéis, separados por lambris de madeiras, plantar coqueiros e gramas.

A iluminação, no muro, nas plantas e na piscina garantiu o clima aconchegante no espaço, que também recebeu duas espreguiçadeiras e uma mesa redonda com quatro cadeiras.

“O resultado surpreendeu pelo movimento interessante em relação a cores e texturas”, avaliou Claudia, ao dizer que o custo de execução, incluindo a irrigação, ficou abaixo do existente no mercado.




Todo este projeto custou 10 mil reais ? É o que da pra entender na matéria....
 
Jefferson Rubini em 25/04/2014 09:05:25
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.