A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

01/02/2015 07:34

Depois do Rádio, mostra de arquitetura procura sede que sirva como bem coletivo

Paula Maciulevicius
Na segunda edição, projetos dos arquitetos revitalizaram o Rádio Clube. (Foto: Arquivo/Cleber Gellio)Na segunda edição, projetos dos arquitetos revitalizaram o Rádio Clube. (Foto: Arquivo/Cleber Gellio)

Para terceira edição, a mostra de arquitetura "Morar mais por menos" procura uma sede que vá ficar para uso coletivo. Em 2013, os arquitetos revitalizaram o Rádio Clube desde a fachada até a piscina, salão principal e as salas que servem de aulas de ginástica seguindo o conceito de sustentabilidade. Neste ano, a mostra deve ser lançada até final de março e abrir as portas entre setembro e outubro.

Veja Mais
Traços da nossa arquitetura, desde o “Gabinete Téchnico de Desenho" na Calógeras
Casa de madeira mantém as lembranças de 92 anos de dona Nazira na 14 de Julho

Ao Lado B, a diretora-executiva da mostra em Campo Grande, Iara Diniz, explica que o trabalho no Rádio Clube serviu como inspiração. "Seria muito bom um espaço mais útil depois do evento, onde se faz a obra toda e fica o bem maior não à uma pessoa só. Revitalizamos o Rádio e demos vida de novo para ele, assim o trabalho tem mais mérito", considera Iara. 

Os conceitos da mostra são os mesmos: o chique que cabe no bolso. A Morar Mais por Menos é uma franquia, com edições em Recife, Salvador, Vitória, Curitiba, Natal, Cuiabá, Goiânia e Campo Grande, além do Distrito Federal, que prega a decoração viável, com itens de valor menor, apesar de elaborada e criativa. Partindo dessa condição, os arquitetos têm de trabalhar brasilidade, sustentabilidade, inclusão social, tecnologia e inovação.

"A inclusão social está cada vez mais presente, estamos enraizando isso na cultura dos arquitetos e agora está mais forte", reforça Iara. 

O local precisa estar fechado até fevereiro, duas casas já estão em vista, mas a diretora se mostra aberta à negociações. "Procuramos um lugar que deixasse uma benfeitoria para a cidade, precisa ser um lugar central, de fácil acesso. Eu gostei muito de trabalhar no Rádio e buscamos algo semelhante, onde todo esforço ficou para um bem coletivo", descreve.

Em Campo Grande, a Morar mais por menos já esteve em dois endereços: no Rádio Clube em 2013 e na Rua Da Paz, no Jardim dos Estados, em 2012 e teve projetos premiados em Milão.

No Rádio Clube foram 53 ambientes em 3,3 mil metros quadrados, já na primeira edição, foram 55 em 5,3 mil metros quadrados ocupando duas casas na Rua Da Paz, destes cinco projetos foram premiados na Itália: o “Recanto do Poeta”, de Maria Fontoura, KamyllePerotto, StephanHofmann, Hezio de Paula e Fred Lei; o “Restaurante”, das arquitetas Ana Paula Zahran e Luciana Teixeira; o “Espaço de Eventos”, idealizado por Renata Salmazo e Jamil Paroschi; “Circulação”, criado por Luis Pedro Scalise; e “Casa da Árvore”, dos paisagistas Lilian Basso e Marcus Antônio Medina.

Da mostra de 2012: “Casa da Árvore”, dos paisagistas Lilian Basso e Marcus Antônio Medina. (Foto: Arquivo/Minamar Junior)Da mostra de 2012: “Casa da Árvore”, dos paisagistas Lilian Basso e Marcus Antônio Medina. (Foto: Arquivo/Minamar Junior)



Porque não o antigo Hotel Campo Grande, na 13 de Maio? Está abandonado há anos e tem espaço de sobra...
 
Mériele Oliveira Pereira em 29/04/2015 21:04:06
CAMPO GRANDE NEWS TEM UM LOCAL BOM PARA ESSE EVENTO,NA RUA BARÃO DO RIO BRANCO ANTIGA INSTALAÇÃO DA ENERSUL TOTALMENTE ABANDONADO, OU PRÓXIMO DESTE LOCAL A ANTIGA LOJA DO COMPER, OU AINDA ANTIGA IGREJA UNIVERSAL NA CÂNDIDO MARIANO, ENTRE A RUI BARBOSA E PEDRO CELESTINO. BOM DIA ATÉ MAIS.
 
Luiz Carlos Santos Messias em 09/02/2015 11:14:27
Que tal o asilo São João Bosco? Só uma ideia...
 
Ricardo Farias em 01/02/2015 15:51:17
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.