A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 02 de Dezembro de 2016

13/05/2015 06:12

Portão de quase 5 metros esconde prédio construído com história de família

Ângela Kempfer
Muro de quase 5 metros esconde obra que deu trabalho de 3 meses e meio. (Foto: Marcelo Calazans)Muro de quase 5 metros esconde obra que deu trabalho de 3 meses e meio. (Foto: Marcelo Calazans)

O lugar parecia uma “tapera”, define o proprietário. Mas depois de 8 meses de um trabalho cheio de contribuições, o velho galpão, antigamente usado como oficina, ganhou sofisticação, mas sem esquecer da alma. Virou um espaço de festas na Rua 7 de Setembro, construído também de memórias afetivas.

Veja Mais
Traços da nossa arquitetura, desde o “Gabinete Téchnico de Desenho" na Calógeras
Casa de madeira mantém as lembranças de 92 anos de dona Nazira na 14 de Julho

Por todo lado há tijolos de demolição, cerca de 4 mil. Hoje o material está na fachada, no jardim, mas já foi parede da casa onde nasceu a mãe de José Thomaz Filho. Ele mesmo diz que ajudou a limpar um a um, depois que a residência veio ao chão, ali, no mesmo terreno onde a nova história começa. Dormentes presos ao muro são outra relíquia guardada pelo empresário há anos.

A casa da avô foi vendida em 86. Vinte anos depois, Thomaz conseguiu comprar o que havia sobrado do imóvel e agora pode dizer que alcançou o que queria. "Um dia vim aqui de noite, sozinho, liguei as luzes e fiquei procurando defeito. Não achei nada. Está tudo perfeito", diz.

Fachada do salão principal, com ferro fundido pintado de branco no alto. (Foto: Marcelo Calazans)Fachada do salão principal, com ferro fundido pintado de branco no alto. (Foto: Marcelo Calazans)

O projeto, assinado pelo arquiteto Artur Peres, tem muito das lembranças e das sugestões de Thomaz. "Sou metido mesmo, adoro construir e reconstruir", comenta.

Na fachada, um portão de quase 5 metros serve de chamariz para o que está por vir. Com chapas metálicas, foi executado na base da martelada. Os sinais da força empregada contra o metal criam relevo para um efeito envelhecido surpreendente.

Na porta de acesso ao salão, há o contraste entre os tijolos e um painel de ferro fundido, pintado de branco, comprado pela internet. "Queria algo meio telado. Então pesquisei e descobri uma empresa em Belo Horizonte. Encomendei e fiz toda a negociação pela internet", detalha.

O salão principal, de 260 metros quadrados, reaproveitou as tesouras de madeira que sustentam o telhado. Parte de uma “obra boa”, pouco teve de ser reparado lá em cima, apesar do tempo. "Esse madeiramento aqui tem mais de 50 anos. Eu era criança quando vi fazendo", lembra Thomaz.

Apegado à memória, ele também levou para o salão algumas peças antigas, como a caixa registradora de 1911, a cadeira de barbeiro de 90 anos e uma bicicleta inglesa de 1940, comprada em Campo Grande, mas que exigiu restauração. Por enquanto, os objetos ocupam uma das salas, que no futuro deve se transformar em adega.

Portão de quase 5 metros esconde prédio construído com história de família
Portão de quase 5 metros esconde prédio construído com história de família

Durante muito tempo, o lugar foi usado pela Confraria do Carneiro, grupo de amigos que se reunia para assar uma carne em noites de quarta-feira. Melhorar a estrutura para os encontros era o objetivo inicial da obra. "Mas tudo foi ficando tão lindo que achamos melhor abrir para festas", explica o dono.

A churrasqueira e o fogão a lenha continuam no salão, foram repaginadas para fazer do espaço um lugar com algo a mais para os clientes.

 

 

O lugar antes...O lugar antes...
e depois, já preparado para festa.e depois, já preparado para festa.

Jeito de Vila - As telhas francesas foram substituídas por térmicas, para um clima agradável, também assegurado por jardins verticais ao alcance das mãos ao abrir de cada janela.

Lá fora, uma grande mangueira cobre um dos jardins, pronto para o descanso em bancos feitos de toras de madeira. 

O lugar foi inaugurado em abril e nome é uma homenagem ao pai de Thomaz: "Espaço Joseph", o primeiro ao comemorar o aniversário no prédio novo. 

Por enquanto, nenhum casamento ocorreu no local, mas 3 já estão agendados, graças a propaganda boca a boca.

O aluguel custa R$ 4 mil em dias úteis e R$ 5 mil aos fins de semana. Como a família também é dona do Thomaz Lanches, há possibilidade de contratar o buffet árabe, com valores entre R$ 116,00 (coquetel e bebidas) e R$ 156,00 (coquetel, jantar e bebidas) por pessoa.

O lugar iluminado, à noite.O lugar iluminado, à noite.



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.