A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

30/11/2015 17:34

Letícia Sabatella cobra preocupação de Azambuja sobre conflitos indígenas em MS

Paula Maciulevicius
Assim que chegou a Campo Grande, atriz procurou pela subsecretária de Políticas Indígenas, Silvana Terena.Assim que chegou a Campo Grande, atriz procurou pela subsecretária de Políticas Indígenas, Silvana Terena.

A atriz Letícia Sabatella, que esteve em Campo Grande no final de semana com a peça "Trágica.3", cobrou uma postura do governador Reinaldo Azambuja (PSBD) quanto aos conflitos indígenas no Estado. Acompanhada do ator Fernando Alves Pinto, ela esteve na residência do governador no sábado (28). 

Veja Mais
Descobertos na adolescência, Rafa e Ruan mesclam clássicos e pop sertanejo
Em clipe de rock alternativo, casal coloca tudo a perder por mensagem de celular

Paralelo aos palcos, Letícia mostra envolvimento como ativista dos direitos humanos, buscando transformações sociais com sua presença e posicionamento. “Há anos tenho voltado os olhos à questão dos conflitos que envolvem o povo indígena no País e sendo Mato Grosso do Sul um dos estados com um dos maiores índices nesta questão, senti a necessidade de procurar o governo e saber como anda a preocupação por parte dele”, revelou a atriz.

Subsecretária de Políticas Indígenas, Silvana Terena, reforça que a presença da atriz tende a fortalecer a luta das causas indígenas no Mato Grosso do Sul. “Assim que chegou na Capital ela me procurou para conversar. Contou um pouco de sua luta, disse que há anos é defensora das causas indígenas e que gostaria de ter um encontro com governador, mas não queria ir sozinha, por isso pediu nossa companhia. A presença dela foi muito importante para nós”, afirmou Silvana.

Letícia disse que sentiu a necessidade de procurar o governo e saber como anda a preocupação. Letícia disse que sentiu a necessidade de procurar o governo e saber como anda a preocupação.

Além de Silvana, esteve na reunião o secretário de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação, Athayde Nery, o secretário estadual de Governo e Gestão Estratégica de Mato Grosso do Sul, Eduardo Riedel, e outros três representantes indígenas das etnias terena, guarani e kadiwéu. Na ocasião, Silvana Terena entregou ao governador, a pedido de 35 caciques do Estado, uma cópia de uma carta que deve ser levada por eles à Brasília, reforçando o pedido de Reinaldo para que o Estado tenha o apoio da União ao resolver os conflitos de terras.

No mês de novembro, Azambuja encaminhou à presidente Dilma Rousseff uma proposta para solucionar as disputas por terra no Estado, usando parte dos recursos destinados ao pagamento da dívida com a União para a aquisição de terras indígenas, colocando um fim aos conflitos agrários que há anos se estendem há anos.

“Sugeri ao governo federal que usasse o Fepati, que é o Fundo Estadual de Terras Indígenas, com a finalidade de captar esses recursos financeiros para adquirir terras e destiná-las às comunidades indígenas. Estou de acordo com você, temos que acabar com os conflitos e é necessário que se destinem recursos para a efetiva utilização do Fepati, somando os esforços entre a União Federal e o Estado de Mato Grosso do Sul”, disse o governador.

Azambuja propõe destinar, por prazo determinado, o aporte mensal atual do governo de R$ 80 milhões para o Fepati. Os recursos são referentes ao que o Estado repassa à União a titulo de pagamento da dívida estadual.




ah se lasca
 
brasileiro em 30/11/2015 17:53:06
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.