A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

01/03/2014 07:27

Série sobre indígenas de Mato Grosso do Sul é selecionada para festival da Bahia

Elverson Cardozo
Imagem captada na aldeia YPoi, em Paranhos. (Foto: Everson Tavares)Imagem captada na aldeia YPoi, em Paranhos. (Foto: Everson Tavares)

Foi na graduação que o jornalista Everson Tavares, de 22 anos, teve contato com os movimentos em defesa das minorias e passou a se interessar pela realidade dos povos indígenas em Mato Grosso do Sul. Apaixonou-se pelo tema e, ainda estudante, aprofundou-se na discussão que, no final do curso, resultou em um webdocumentário como Trabalho de Conclusão de Curso.

Veja Mais
Descobertos na adolescência, Rafa e Ruan mesclam clássicos e pop sertanejo
Em clipe de rock alternativo, casal coloca tudo a perder por mensagem de celular

Divida em cinco vídeos, a série “Tekohá – os filhos da terra”, que recebeu nota dez da banca examinadora da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), chegou à Bahia e agora está entre os 50 trabalhos selecionados para a mostra competitiva do 16ª Festival Nacional 5 Minutos, realizado pela Funceb, a Fundação Cultural daquele Estado.

Sem tema definido, a ação, que incentiva a experimentação, produção e difusão do audiovisual no Brasil, é uma grande vitrine para o produto, que, assim como os outros, terá projeções em bares e prédios de valor arquitetônico.

Everson é o único representante de Mato Grosso do Sul selecionado para a mostra. Dos cinco “episódios” que compõem o webdocumentário, apenas dois foram enviados à comissão organizadora: “Os filhos da terra”, sobre a territorialidade, e “Caminho Natural”, que fala das crianças Guarani Nhandeva. O terceiro, “Nhandeci Rezadora”, está na suplência. “Ainda pode entrar”, explicou.

Os depoimentos que sustentam os registros foram gravados em Campo Grande, mas as “imagens de apoio” foram captadas na aldeia YPoi, em Paranhos, a 469 quilômetros de Campo Grande.

Formado em jornalismo, Everson se encontrou na fotografia. (Foto: Cadu Modesto Flhur)Formado em jornalismo, Everson se encontrou na fotografia. (Foto: Cadu Modesto Flhur)

“Fiquei cinco dias nessa área, que é de retomada. Ainda tem certo conflito com os fazendeiros. Fui como o pessoal do Cimi (Conselho Indigenista Missionário). Lá eu coletei os ensaios fotográficos e audiovisuais”, contou, ao comentar que, na edição, aliou a fotografia e o vídeo.

Dos 259 inscritos, de todas as regiões do Brasil, 50 foram selecionados, mas apenas quatro serão premiados, disse. O primeiro lugar receberá R$ 12 mil, o segundo R$ 10 mil e o terceiro R$ 8 mil.

Everson está orgulhoso por contribuir com as “discussões das terras no Estado” e feliz por ver, mesmo em outro Estado, a valorização do audiovisual produzido em Campo Grande. “Mato Grosso do Sul, embora tenha uma tradição cinematográfica, não costuma exportar suas mídias”, afirmou.

Confira os três vídeos enviados: 




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.