A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

20/07/2012 12:09

Em tempos de música eletrônica, afinador de pianos preserva ofício há 35 anos

Ângela Kempfer
Valdir Ferraz, na oficina na Vila Alba. (Fotos: Minamar Júnior)Valdir Ferraz, na oficina na Vila Alba. (Fotos: Minamar Júnior)

Ele nunca aprendeu a tocar, mas há 35 anos afina pianos em Campo Grande. Desde 1976, esse é o ofício de Valdir Ferraz. Primeiro na Instrumental Ferraz, a maior loja desse segmento durante décadas na cidade. Agora, “escondido” na Vila Alba, em uma oficina menor, junto a casa onde mora com a esposa.

Veja Mais
Com gorros de Papai Noel, artistas realizam performance contra calote de editais
Da droga à reabilitação, Zé Pretim sobe ao palco com banda e repertório afiado

Só de falar do orgulho que carrega por trabalhar com instrumento tão nobre, seo Valdir deixa o olho marejar e lembra: “Um dia, estava afinando um piano lá no Comper e uma mulher passou, depois voltou e disse em espanhol que era muito linda minha profissão. São coisas que emocionam, né.”

Houve tempos não só de manutenção, mas de venda de 120 instrumentos por ano. Hoje são , no máximo 20 usados e a maior parte do trabalho é afinar, restaurar e transportar o que pouca gente ainda mantém em casa.

“Mas o mercado ainda é bom, porque só eu, meu irmão e um amigo fazemos isso ainda. Tem trabalho sempre. Quando montei aqui, o camarada da prefeitura disse que não ia durar 2, 3 anos. Só gente que não entende de música pensa assim”, conta ele, prestes a sair para o orçamento na casa de um novo cliente.

Enquanto um piano novo custa cerca de R$ 1.5 mil, na loja de Valdir um usado vale entre R$ 5 mil e R$ 7 mil. "A tecnologia também melhorou a sonoridade do piano. O instrumento hoje é muito melhor do que há séculos”, ensina.

O transporte especializado é outro serviço que só quem conhece sabe fazer direito, garante. “Não é como transportadora que faz de tudo um pouco. Tenho equipamentos que não deixam um risco no chão da residência na hora de tirar o instrumento, muito menos no piano”.

Afinador mostra cordas antigas, que reutiliza no trabalho.Afinador mostra cordas antigas, que reutiliza no trabalho.
Pianos chegam para afinação e restauração.Pianos chegam para afinação e restauração.

Apesar da clientela boa, ele sabe que o glamour é algo para poucos na cidade pequena e sem aquelas tradições passadas por gerações em locais como São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. “Uma casa tem até 4 carros na garagem, mas você anda quarteirões e não encontra uma com piano”, comenta.

Valdir toca acordeon desde criança, aprendeu com o pai e com o avô. O contato deixou o ouvido sensível o suficiente para se dedicar à afinação de pianos ao lado do irmão, Albino Ferraz. O mesmo gosto passou aos filhos, um guitarrista e outra pianista.

Chegou a viajar pelo País para afinações e colecionou histórias de instrumentos. “Em Cáceres, em uma escola católica, afinei um piano de 200 anos. As irmãs contaram que foi comprado para a inauguração do colégio e cuidavam como a relíquia que é. Foram 3 dias de restauração”.

A lição maior no contato com Valdir Ferraz é o cuidado com a música. Para popularizar o piano, fez parceria com supermercado e leva os instrumentos para entre uma compra e outra as pessoas ouvirem o som clássico.

A responsabilidade continua até no trato com a concorrência. “Nós combinamos os preços, mas não é para ficar alto não, é justamente para todo mundo poder pagar”, assegura.

Hoje, seo Valdir atende na rua Silveira Martins, 1095, na Vila Albas, entre centenas de cordas, peças de piano e instrumentos prontos para voltar para casa.

Fim de semana tem cover de Freddie Mercury e Whindersson
As atrações acontecem no Palácio Popular da Cultura, em Campo Grande. Confira outras dicas da Agenda Cultural....
Filhos e netos, os artistas mais importantes no palco
Escolas particulares de Campo Grande investem em grandes espetáculos para marcar o fechamento do ano letivo....



Sou muito grata à Deus por ter crescido em uma família musical! Tudo começou com meu avô e depois com meu pai e tios. Meu pai ( Sr. Valdir) mesmo não tendo completado os estudos, cresceu . Sei que não foi fácil, começou pequeno, mas de piano em piano, foi criando os filhos, construindo sonhos, e se hoje sou quem sou devo em grande parte ao seu esforço.Obrigada Seu Valdir por toda sua dedicação!
 
Aline Costa Ferraz Barbosa em 24/07/2012 07:44:23
Dou glórias a Deus por ter um marido que põe tanto amor no que faz, e que pôde transmitir aos filhos este grande carater profissional. Te amo, véio. Parabéns, e que Deus continue sendo seu exemplo maior de vida.
 
Aceli Ferraz em 22/07/2012 10:11:32
belo trabalho , tem amor ao que faz....
um dia desse passo tomar um tereré por ai, seo ferraz Amambai Ms
 
Celso Ramires em 21/07/2012 09:43:45
parabens primo pelo seu DOM, sou de Amambai MS e me orgulho do senhor..
abraços da fronteira.
 
Rute Ferraz e familia em 21/07/2012 09:42:05
Parabéns, seu Valdir! Só quem aprecia uma boa música pode aquilatar o seu valor, tanto quanto pessoa humana e sensivel, quanto seu extraordinário senso profissional. Sr. Valdir, o senhor é "único"! Meus cumprimentos!
 
Adilson Nakasone em 21/07/2012 09:29:20
Sr Valdir, sou profª de Piano há mais 30 anos. Quando morei em Registro - SP precisava contratar o afinador de piano, sr Takechi que morando em SP ficava a cada 6 meses uma semana em Registro para atender professores e alunos.
Sempre valorizei o trabalho dele.

Hoje minha homenagem é para o sr.

DEUS CONTINUE ABENÇOANDO MUITO SUA VIDA. PARABÉNS!
 
Olinda Cecconi Borges Jerez em 21/07/2012 01:31:08
É notável o amor por seu trabalho!!! Excelente profissional e pessoa!!
 
Juliana Maciel em 20/07/2012 10:58:57
Gosto muito das matérias que o Lado B tem escrito. Parabéns pelo trabalho e pela entrevista com o Sr. Valdir, grande profissional e expert na sua área. Também sou seu cliente e admirador do seu trabalho.
 
Peter Daniel Rees Junior em 20/07/2012 10:39:19
Parabéns. Profissional competente e zeloso. Muito exigente com a qualidade do que faz. Sempre comprei varios produtos na loja da vila Célia e ele preparava os melhores cabos para os instrumentos. Abraços.
 
Samuel Aguiar em 20/07/2012 07:08:49
Acho que musica eletrônica nunca vai ocupar espaço dos instrumentos. Basta que eles continuem sendo bem tocados.
cada um tem seu espaço.

tem espaço até pra "eu quero tchu eu quero tcha"... e ainda chamam de música
 
Fabiano Pontes em 20/07/2012 05:20:40
Sr. Ferraz, na antiga loja na Vila Célia, atendia e formava a freguesia. Lembro-me dele ao mostrar a afinação adequada do violão e contrabaixo e depois dando uma bronca quando empenei um violão. “Transformou o braço em arco para atirar flechas?” Eu devia ter uns 14 ou 15 anos...pena não ter mais loja na região, era um comerciante ativo junto com tantos outros que não estão mais por lá...
 
Fabiano Reis em 20/07/2012 04:43:03
O trabalho do seu Valdir e admirável, sou cliente dele, tenho um piano que ele cuida periodicamente. E agente ainda ouve boas historias na suacompanhia.
 
Mariano Cabreir em 20/07/2012 03:47:32
"Seo" Ferraz reformou um piano que minha avó me presenteou e eu acreditava que não teria mais jeito. Um vendedor sem escrúpulos vendeu à ela um instrumento danificado e esse senhor recuperou o que é um sonho amado para todos nós. Está perfeito o piano. E sim, sozinho, transporta um piano com uma delicadeza incrível. Tem um dom que só os que amam a música podem entender. Sou fã do Sr. Ferraz!
 
Mirian Costa em 20/07/2012 01:19:47
PARABENS SEU VALDIR, ADOREI A MATERIA DE MUITO BOM GOSTO
 
CRISTINA COSTA ANGELIM em 20/07/2012 01:19:06
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.