A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

06/02/2014 07:12

Com galã dos anos 90 no elenco, filme rodado aqui recomenda: "Matem os outros"

Anny Malagolini
Gravação na segunda-feira em Campo Grande. (Foto: Marcos Ermínio)Gravação na segunda-feira em Campo Grande. (Foto: Marcos Ermínio)

A longa história do conflito entre fazendeiros e índios do Mato Grosso do Sul volta a ser roteiro de curta-metragem rodado entre Campo Grande e Sidrolândia. Em “Matem os outros”, o cineasta mato-grossense Reynaldo Paes de Barros te´ra 20 minutos para falar de dois proprietários rurais que tiveram terras ocupadas por índios.

Veja Mais
Final de semana tem a volta de Anjos da Noite, comédia nacional e animações
Semana tem ação com a volta de Jack Reacher, além de ficção e terror

No caminho até as propriedades, eles conhecem um casal paulista, que alheio a dimensão do conflito, se envolve no problema com embate ideológico. “É um drama realista, que ganha aspectos de satirização ao longo da filmagem, mas de forma imparcial”, garante o diretor.

Aos 75 anos, ele tem pique de menino, escolheu em bar de um posto de combustível, na saída para Três Lagoas e a estrada a caminho de Sidrolândia como principais locações.

Reynaldo hoje mora em Campo Grande, mas a carreira profissional deu inicio na Califórnia, onde estudou cinema e participou inclusive da produção do filme Tarzan, o original. Tem no currículo outras 28 produções cinematográficas e foi responsável pela estreia nos cinemas dos atores Davi Cardoso e Herson Capri.

Ele conta que a principio, o papel principal pertencia a Davi Cardoso, que recusou a oferta. Apesar de elogiar os atores de Mato Grosso do Sul, convidou Victor Wagner, de 54 anos, para viver o fazendeiro “Valdir”.

Ex-galã da década de 90, sucesso como o contratador "João Fernandes", de Xica da Silva, na TV Manchete, ele está afastado das novelas desde 2009, quando atuou na trama “Mutantes”, da rede Record. Mas diz continuar na ativa, atuando em teatros e participando de curtas metragens.

Para “ganhar grana”, conta que sobrevive com a renda de uma lanchonete na periferia de São Paulo, vendendo coxinhas. Mas o sonho de um dia voltar ao horário nobre, persiste. “É o sonho de todo ator, mas é difícil”.

Victor também diz que já veio a Mato Grosso do Sul algumas vezes e lembra a amizade com o ator Davi Cardoso. Sobre o tema abordado agora, afirma estar por dentro do conflito que se arrasta há anos no Estado. “Vejo pela mídia e acho que é preciso que alguém bata o martelo e defina algo”, comenta.

Participam também da trama os atores Vitor Samudio , que interpreta o paulista Edson, com a esposa Eva, vivida pela atriz Luciana Kreutzer. O ator Espedito di Montebranco vive o fazendeiro Chico e Leandro Martinez, que interpretou o índio. 

O filme ficará pronto dentro de um mês e como é um projeto patrocinado pelo Fundo de Investimento Cultural, certamente será exibido em mostras e eventos da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul.

Victor Wagner, de 54 anos, para viver o fazendeiro “Valdir”.Victor Wagner, de 54 anos, para viver o fazendeiro “Valdir”.



Boa, Ivan!!
 
Karina Catelan Lopes em 06/02/2014 12:01:43
Gosto muito de curtas conheço o trabalho do Reynaldo. Mas o que deixa muito a desejar é que quando essas produções saem do forno, o público sequer fica sabendo e em CGR não tempo um espaço para assistir àquilo que é produzido por aqui! Ficamos reféns de mostras e pequenos festivais!!!!
 
Rodrigo Oliveira em 06/02/2014 08:23:24
Ok. Já que é financiado com dinheiro público, que ao menos não se faça proselitismo indigenista. Esse papo de latifundiário opressor contra o pobre índio oprimido é papo de socialista-de-miolo-mole.
 
Ivan Ilitich em 06/02/2014 07:49:11
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.