A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

04/12/2012 14:00

Amigo oculto, o "tiro no pé" nas festas de fim de ano

Elverson Cardozo
Ivonete já ganhou uma chaleira do amigo oculto. (Foto: Pedro Peralta)Ivonete já ganhou uma chaleira do amigo oculto. (Foto: Pedro Peralta)

Chega o fim do ano, volta a onda do espírito natalino e, com ele, as brincadeiras e confraternizações que já viraram tradição. Trocar presentes entre os amigos, colegas de trabalho e familiares virou ritual. O problema é que muita gente não tem a mínima aptidão para identificar o gosto alheio e acaba errando feio na hora de presentear o amigo oculto.

Veja Mais
Uber multado, reajuste de ônibus e cidade sob chuva bateram recordes nas redes
Do Corinthians ao canteiro de obra, zagueiro que virou servente tem nova chance

A “bola fora”, de tão comum, parece regra. Sempre tem aquele que sai chateado por ter recebido algo que não gostou ou reclamando que comprou um presente caro e recebeu um agrado barato

Tem quem ama receber sabonetes, outros não gostam nem de pensar na possibilidade. Porta-retrato é outro motivo de discórdia. Incensos, perfumes, aromatizantes e guloseimas também. Acertar na roupa ou no calçado é outro desafio.

A lista dos possíveis presentes “tiro no pé” é imensa, mas não há receita, até porque gosto é algo individual, felizmente. A dica é ficar atento, prestar atenção na personalidade do colega, avaliar o que ele gosta, o que costuma usar e o que prefere ler, por exemplo.

Flamenguista roxo, Juliano Figueiredo de Oliveira, de 24 anos, ganhou, certa vez, um porta-retrato do Corinthians. O jeito foi retirar os adesivos do Timão para deixar o objeto “neutro”.

Quem deu o presente foi uma secretária que havia sido contratada recentemente na empresa onde trabalhava. “Eu dei aquela disfarçada. Eu tentei pelo menos”, relembra.

Thalita não participa mais de confraternizações para trocar presentes. (Foto: Pedro Peralta)Thalita não participa mais de confraternizações para trocar presentes. (Foto: Pedro Peralta)

Mas essa não foi a única vez. Em outra situação, Juliano recebeu um cinzeiro de presente, mas não fumava na época.

Thalita Aparecida da Cunha Oliveira, de 18 anos, não participa mais dessas brincadeiras. O último presente que recebeu não agradou. “Ganhei uma blusa feia, muita feia, parecia um pano de prato. Só olhei e falei: Obrigada”, contou.

Ivonete Borges, de 37 anos, também não levou sorte. Em um amigo oculto que participou, quando trabalhava em uma casa de família, ganhou uma chaleira. A vizinha foi a responsável pela surpresa.

“Fiquei triste, mas fazer o que? Falei que gostei”, relembrou. Para a dona de casa, trocar presente com quem não conhece é um tiro no pé.

João Germano não gosta de ganhar presentes. (Foto: Pedro Peralta)João Germano não gosta de ganhar presentes. (Foto: Pedro Peralta)

A professora Geruza Pereira dos Santos, de 33 anos, pensa da mesma forma, mas não deixa de participar das brincadeiras de fim de ano. Leva na esportiva e valoriza as boas relações.

Apaixonada por romance e publicações de atualidades, Geruza já ganhou um livro de terror. Não chegou nem a ler. “Eu não me preocupo com o que eu vou ganhar. É tudo uma brincadeira”, comenta.

Aos 71 anos, o vendedor ambulante João Germano é mais prático. Dispensa as brincadeiras para agradecer o ano e brindar as amizades. Nem presente gosta de ganhar e não é por conta do gosto. “Sou diferente de todo mundo. Não gosto que gastem nada comigo”, explicou.

"Sabe o que eu quero para o natal? Saúde", acrescentou.




Acho que a pessoa que está brincando deveria ter um mínimo de curiosidade em saber quem ela pegou. Essa história de que não conhece a pessoa é velha.
 
Eliana Martins em 06/12/2012 13:13:32
Amo o amigo oculto de final de ano...
Principalmente pelo fato reunir pessoas que nem se falam e ainda precisam trocar presentes. É fato que na maioria das vezes eu recebo umas lembrancinhas bem fofas pq já dou indiretas de que gosto de ursinhos de pelúcia, minha cor favorita é azul e isso ajuda bastante. No último que eu participei ganhei um cachorro de pelúcia vestido como o Papai Noel - o Cachorro Noel.
 
Taynara Penha de Lima em 05/12/2012 10:42:48
A meu ver a principal motivação de partcipar de uma brincadeira de Amigo Oculto, deveria ser a celebração à amizade, à confraternização, jamais o presente em sí. Este deveria ser apenas um pretexto para tal, na minha opinião é muita mesquinhez alguém entrar numa brincadeira destas e sair reclamando do valor do presente que ganhou. É lamentável, profundamente lamentável. Diariamente recebemos inúmeros presentes de Deus, e o que temos dado a Ele em troca ? Mesmo assim Ele não nos cobra, apenas pede de nós o MÍNIMO. Reflitam sobre isso senhores..
 
Wladimir Silva em 04/12/2012 22:13:30
Gosto de participar dessas brincadeiras,uma vez tirei uma colega que sugeriu uma sandalia HAVAIANAS,lá fui comprar na loja HAVAIANAS da Afonso pena, quando entrei na loja encontrei o colega que foi comprar o meu presente que também sugerí uma HAVAIANAS,aí ele entrou olhou e não comprou nada e depois que fiquei sabendo o porque.
 
Marcirio Soares Lopes em 04/12/2012 21:08:01
E agora tem uma brincadeira pior: o inimigo oculto, onde podem tomar o presente que você ganhou e te dar aquele que a pessoa não gostou. É o cúmulo do absurdo: você ganha algo legal, vem e te tomam, obrigando você a tomar algo de alguém! a mais completa sem-gracesa!
 
Gustavo Ribeiro em 04/12/2012 20:32:16
- O nome deveria mudar de '' AMIGO OCULTO '' para '' FACADA NAS COSTAS OCULTA '', você vai, gasta tempo e dinheiro, na compra de alguma coisa que você acha que auguem possa gostar, e guardar como uma lembrança de você, e do ano que passou junto. Como colega,ou um amigo, ao contrário, não gosta e joga fora ou da para auguem, não da a minima importância, e ainda fala mau de você pra caramba.
 
Ronaldo Fernandes em 04/12/2012 19:56:28
Nunca tive sorte nessa brincadeira, participo só pela socialização mesmo, nem penso mais no presente rs uma vez ganhei um sabonete rexona, na outra ganhei uma camiseta branca que encolheu qdo lavei e o pior foi quando ganhei quebra cabeças de 3800 peças e de paisagem ainda. O que vale é participar, dar muitas risadas e levar na boa.
 
Katia rosana em 04/12/2012 19:14:27
gostei muito desse ultimo comentário, é a idade da sabedoria se fosse criança queria ser mais velho se fosse jovem iria querer festejar, carro novo ou coisas desses tipos agora quando mais velho quer umas das coisas mais importantes para o ser humano a saúde
 
claudio rodrigues em 04/12/2012 17:40:10
Para resolver essa questão é simples: basta escolher qual será o valor dos presentes e cada pessoa dá de 2 a 3 dicas do que quer ganhar. Assim, fica difícil alguém não sair contente.
 
Dani Sá em 04/12/2012 15:02:38
Em uma dessas confraternizações, ganhei um balde de presente!!!.
 
João Vitor dos Santos em 04/12/2012 14:27:47
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.