A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

19/02/2013 06:07

Aos 17 anos, ele virou ela e agora luta pelo direito de usar o banheiro feminino

Ângela Kempfer
Nell em frente à Escola Joaquim Murtinho. (Foto: João Garrigó)Nell em frente à Escola Joaquim Murtinho. (Foto: João Garrigó)

Vamos a uma daquelas histórias repetidas, que poderiam ser resolvidas sem traumas, mas por conta das convenções ganha um valor enorme na vida de algumas pessoas. Resumidamente, há um ano Pablo virou Nell Isabelle e agora quer ser tratada como tal.

Veja Mais
Na hora de conhecer o bom velhinho, simpatia da Mamãe Noel faz toda a diferença
Casal queria poetizar início, mas soube rimar como ninguém o "fim" do amor

Os pedidos são simples, ser chamada pelo nome de menina na escola e poder usar o banheiro feminino no colégio Joaquim Murtinho, em Campo Grande. Antes de tentar, pediu autorização, mas a resposta foi “não”.

“Disseram que eu poderia constranger alguém se usasse o banheiro feminino. Isso me foi dito pela Direção. Preciso de documentos mostrando que me chamo Isabelle para ser chamada de Isabelle e preciso que os documentos constem ‘feminino’ para usar o banheiro”, conta.

Na hora da chamada, apenas quatro professores utilizam o nome social de Nell. “Hoje, ao conversar com uma professora, ela concordou em me chamar pelo meu número”, conta considerando uma evolução. Isso significa que no momento de Nell Isabelle, a professora dirá apenas “26” e o rapaz que virou moça passou a ser um número.

Com as colegas, a situação é mais tranquila, pelo menos entre as meninas, ninguém parece incomodada, garante. “Começamos as aulas semana passada, hoje uma garota veio puxar assunto comigo no intervalo e me apresentar para mais duas outras garotas da nossa sala.”

No ano passado, aos 17 anos, já havia tentado estudar, mas era tão difícil aceitar ser chamada como homem que desistiu. “Até março do ano passado eu me vestia como menino e vivia isolado. Quando me assumi, desisti de estudar”.

Nell quer o direito a frequentar o banheiro feminino. (Foto: Anny Malagolini)Nell quer o direito a frequentar o banheiro feminino. (Foto: Anny Malagolini)

Esse é o maior problema para quem resolveu ser transgênero, diz a presidente da Associação de Travestis de Mato Grosso do Sul, Chris Steffany. “Tem muita menina que desiste, deixa de estudar porque é muito constrangedor. Elas têm uma identidade que não é respeitada”, reclama.

Não há uma lei específica sobre o uso do nome social ou do banheiro. Apenas uma Comunicação Interna foi expedida há alguns anos, orientando diretores a respeitarem as solicitações das travestis matriculadas. “Mas a secretaria nunca teve pulso firme para cobrar isso”, avalia Chris.

A presidente conta que, por meio da Associação, 20 pessoas de uma vez entraram com pedido judicial de mudança de nome na Carteira de Identidade, para evitar constrangimento. Mas mesmo quem não tomou essa atitude merece respeito, cobra Chris.

“Há uma lei estadual que impede qualquer constrangimento à travesti, sob pena de multa administrativa para funcionários públicos e até afastamento. Quem for constrangida, deve procurar o Ministério Público”, recomenda.

A transformação - Nell estuda mesmo porque é guerreira. Todos os dias percorre 15 quilômetros de bicicleta até a escola. Sai de casa, na Coophavilla 2, às 5h30 para chegar cedinho e trocar a roupa no banheiro feminino, sem reclamações da diretoria.

Esquecer Pablo para assumir Nell demorou um tempo. “Eu tinha sandálias, há 1 ano e meio utilizava somente calcinha, havia abolido as cuecas de minha vida. Desde o dia 9 de janeiro de 2012 estava fazendo uso de hormônios”.

Três meses depois resolveu falar sobre sua decisão aos avós, com quem morava junto do pai. “Então me assumi numa noite de sexta-feira para meus avós. Eles disseram que me amavam e que nada ia mudar. Pensei ter recebido certa aprovação, falsa aprovação. Meu pai já sabia parcialmente da situação e provavelmente meus avós intimaram ele a se mudar. Tínhamos casa própria, mas estava alugada. Da noite pro dia, cheguei em casa e meu pai disse que iríamos para nossa casa. Nos expulsaram por minha condição”, lamenta.

O “batismo” como Isabelle é uma adaptação a Isabella, diz Nell. “Nome que minha mãe me daria se eu fosse menina. Detalhe: ela não demonstra aceitar a situação. Meu pai me trata no masculino, mesmo eu sendo uma 'garota', mas ele me respeita...quando todos disseram não, ele me acolheu para que eu não fosse pras ruas...”.

Na sexta-feira passada, Nell foi ao Fórum buscar informações sobre os procedimentos em relação à postura da escola Joaquim Murtinho. “Mas fui informada que tenho de procurar a Defensoria Pública que só funciona de segunda a quinta.”

Hoje, ela escreveu uma solicitação em tom formal que esperava entragar à diretoria da escola, pedindo oficialmente o uso do nome social e do banheiro feminino, mas nenhum funcionário aceitou registrar o documento. “Quando pararem de olhar a vida dos outros, se darão conta de seus problemas”, resume Nell.

Na escola estadual Joaquim Murtinho, o diretor não foi encontrado para falar sobre o assunto.

 




Se eu tivesse os dois órgãos sexuais não´precisaria de mulher e ficaria livre da opção de amar gente ignorante, dependente da boa vontade dos outros, sempre sofrendo por amores impossíveis e desejos insatisfeitos. Se tivesse ambos os sexos, desde que ejaculasse e ovulasse ( sei lá o quê), nunca mais precisaria do orgulho oculto de ser isso ou ser aquilo, etc.
Prefiro ficar em meu canto e me aborrecer por ser feio, assexuado, nerd e sem amor inútil. Sofro por ser diferente e não quero operar e nem ser feliz, para ter que sofrer mais de uma vez com a intolerância, o desprezo e a curiosidade medíocre. Se pudesse mudava de sexo, mas não posso, pois tenho de manter aparência e sanidade entre seres frívolos que jamais aceitam um amor diferente ou deslocado. Estou só e adoro assim, pois!
 
Francisco Carlos Amado em 22/08/2013 11:11:01
Nossa nunca li tanta idiotice junta....relaxa gente, se ela for no banheiro feminino com certeza ela vai mijar sentada...!
 
Andrea Lucia em 23/02/2013 22:09:04
Tem gente que fala como se nos banheiros públicos as pessoas ficassem peladas, ou utilizassem de porta aberta para que todo mundo veja o que ela está fazendo por lá. Não é isso que acontece e é ridículo utilizar de argumentos como "Ah mas ela tem um pênis". Será que vamos ter que proibir hermafroditas de utilizar banheiros públicos também, só porque tem uma genitália esteticamente diferente? No mais, argumentos sem o pingo de lógica e bom senso.
 
Ellis Calazans em 20/02/2013 10:57:51
Vamos citar a parte da higiene sanitária.. Devido à natureza anatômica da mulher (vagina), todos sabem que a probabilidade de uma mulher se contaminar em banheiro público é infinitamente maior do que um homem. Contrair uma infecção urinária, uma cistite entre outras doenças! Não é atoa que toda mãe ensina para sua filhinha, com poucos anos de vida, como esta deve se comportar ao usar o banheiro "não pode sentar no vaso filhinha". Todas as mulheres aqui que fizeram seus comentários sabem disso! E ensinam para as filhas! Espanta-me as mulheres que são a favor de que esse rapaz utilize o banheiro feminino, como por exemplo, a Madalena, que até sugeriu banheiro unissex para todo o colégio! Madalena, você sentaria em um vaso de banheiro unissex de posto de gasolina? Respingado de urina?
 
Rebeca Fontes em 20/02/2013 00:50:41
E o direito das mulheres? enquanto ele tiver orgão genital masculino e documentos tem que usar banheiro masculino isso não é preconceito é constrangedor entrar no banheiro e encontrar dois homens o que já aconteceu comigo.
 
Meire Pereira de Souza em 19/02/2013 23:40:33
pra parar de confusão eu também acho q teria de fazer um novo 3 terceiro banheiro, mas ñ tenho nada contra as pessoas pode ser o q quiser, também ñ importo se vai no mesmo banheiro, desde q respeite o espaço das outras mulheres e ñ mije de pé e com a porta aberta .
 
ana flavia em 19/02/2013 21:52:24
Meu Deus, qta ignorância, pessoas falando as maiores atrocidades. Deixem a menina ser o que ela bem entender, se ela usar o banheiro masculino causará ainda mais constrangimento tanto a ela, qto aos meninos. São essas pessoas que postaram por aqui que educam as crianças que já crescem carregadas de um preconceito sem razão de existir. Sou hétero, mas não veria nenhum problema em dividir o banheiro c uma travesti ou transex. Concordo com o camarada aí que disse que o que importa é o gênero. Aqui vejo q a discussão gira em torno do órgão sexual e não do modo de viver. A homossexualidade não é uma escolha, caso contrário quem escolheria ser vítima de um preconceito rasgado como os homossexuais e transgêneros sofrem? Pensem nisso!!!
 
Regiane Silva em 19/02/2013 21:35:06
POREM VIVEMOS UM PERIODO CONSTRANGEDOR E REPREENSOR PARA QUEM É OBRIGADO A CONVIVER EM MEIO A MTOS CASOS ONDE A JUSTIÇA DEIXA DE SER JUSTIÇA...POIS TODOS TEM DIREITOS MAS POUCOS SAO BENEFICIADOS,TUDO HJ EM DIA É HOMOFOBIA, MAS E O DIREITO DO OUTRO DE NAO QUERER PRESENCIAR CERTOS GESTOS OU SITUAÇOES....POIS OS ORGAOS CONTINUAM MASCULINOS OU FEMININOS, A NAO SER QUE SE FAÇAM AS CIRURGIAS DE MUDANÇA DE SEXO PELO SUS....DAI SIM SERÃO ESTETICAMENTE HOMENS E MULHERES...DAI SIM PARTILHAREM OS BANHEIROS,,,SEM GERAR CONSTRANGIMENTO A ALUNOS MENORES....POIS EXISTEM CÇAS EM ESCOLAS E BANHEIROS PUBLICOS....E O ECA ONDE FICA RESGUARDANDO OS MENORES,OU SÓ SERVE QDO OS PAIS USAM A VARINHA PARA CORRIGIR OS FILHOS,,,,PENSEM UM POUCO....
 
SIMONE PESSOA em 19/02/2013 21:17:25
é muito simples,imagina só.... sua filha vai ao banheiro e qdo chega la tem uma pessoa fazendo xixi.com um baita instrumento mostrando p ela .....a pelo amorde deus....vamo dar direito aos travesti sim porque merecem respeito....mas nao vamos tirar o direito de outros.....no caso as meninas.......
 
roni braga em 19/02/2013 20:36:36
Aqui se nota a incapacidade intelectual gritante de várias pessoas que se dispuseram a dar sua palavra nos comentários. Há que se ver o lado das meninas que usam o banheiro? Vocês não conseguem perceber que ela é uma menina? Uma transgênero, ou seja, nasceu do sexo bilógico masculino, mas seu gênero é feminino! Logo, o banheiro que ela deve usar é o feminino. A situação contrária, dela usar o banheiro masculino é imensuravelmente mais constrangedora, pois é um menina no meio de homens. Me dá pesar essa limitação intelectual que aqui se vê. +1

*palmas*
 
Leandra Cabral em 19/02/2013 20:05:01
Aqui se nota a incapacidade intelectual gritante de várias pessoas que se dispuseram a dar sua palavra nos comentários. Há que se ver o lado das meninas que usam o banheiro? Vocês não conseguem perceber que ela é uma menina? Uma transgênero, ou seja, nasceu do sexo bilógico masculino, mas seu gênero é feminino! Logo, o banheiro que ela deve usar é o feminino. A situação contrária, dela usar o banheiro masculino é imensuravelmente mais constrangedora, pois é um menina no meio de homens. Me dá pesar essa limitação intelectual que aqui se vê.
 
Guilherme Motta Santos em 19/02/2013 18:12:08
Acredito que até recentemente existia banheiro "Masculino e Feminino" que serve justamente para distinguir o "sexo" de quem deve usar cada uma das dependências. Não quero aqui desrespeitar a atitude de ninguém, muito menos julgar se esta certo ou errado, mas a minha opinião que talvez não sirva de muita coisa é que "masculino" é para homem e "feminino" é para mulher. se ele ou ela esta se sentindo constrangido em não poder usar o banheiro feminino tem que ver se as mulheres do sexo feminino também não se sentiriam constrangidas com a entrada de uma pessoa de outro sexo porque nasceu do sexo masculino. O que a maioria decidir acredito que tem que ser feito, afinal não podemos ver o que é bom para um e sim para "todos" é uma situação difícil pra quem tiver que tomar uma decisão final.
 
Marcos Paulo da Silva em 19/02/2013 17:20:38
Força, garota! Se você se sente mulher, então você é uma mulher, e, na minha opinião, pode e deve utilizar o banheiro feminino. Não se deixe intimidar pelos comentários agressivos, lute! Imagino quantas palavras rudes e sofrimentos você deve estar aguentando então te desejo paciência, boa sorte e muita coragem pra continuar. Tente sempre compreender, ou pelo menos perdoar as pessoas intolerantes e saiba, você não está sozinha.
 
Debora Silva em 19/02/2013 17:20:00
O "mundo" aceita tudo, menos QUEM NÃO ACEITA TUDO!
respeitar o ser humano é DEVER de todos, concordar com pareceres particulares não é !
Se tivesse uma filha confesso que me incomodaria, que uma pessoa de outro sexo frequentasse o mesmo banheiro que ela.
Creio que a melhor solução é o terceiro banheiro, até chegar a um consenso, sobre verdade, opnião e realidade !


 
Ana Cristina Fernandez em 19/02/2013 17:07:56
Parabéns Ângela Kempfer pela reportagem excelente. Essa menina (SIM, MENINA) está de parabéns também, pela CORAGEM e DIGNIDADE. Lamentável a omissão por parte da direção deste centro de educação. Educação pra que? Pra discriminar? Excluir? Ou pra conceder cidadania a todos?
Eu queria saber porque haveria constrangimento em ela usar o banheiro feminino. "Ela tem de se dar o respeito pra ser respeitada", que chavão besta é esse?
Deus há de permitir que um dia o ser humano passe a enxergar as necessidades do seu próximo. Que os outros parem de se preocupar com a orientação sexual de quem só quer levar a vida sem precisar ser excluído.
 
Camila Maia em 19/02/2013 16:27:59
Acredito que o problema de banheiro masculino e feminino separados é mais por uma questão higiênica. Tem pênis, vai errar o alvo assim como a grande maioria dos homens fazem... Sinto muito por sua situação, mas ao escolher mudar de sexo, assumiu todos os problemas que isso acarreta. Tenho certeza que usar o banheiro é o menor deles...
ah... e vir pra escola de bicicleta é sem razão... o governo dá vale transporte para os estudantes, não precisa se desgastar tanto assim.
 
Elaine Silva em 19/02/2013 16:23:36
Gostaria de entende uma questão que para mim e bastante controverso, se eu tenho que respeitar a opção sexual dos travestir e homoafetivos? Por que eles não podem ou dever repeitar a minha crença ou criação? Pensa como e para as meninas que nasceram do sexo feminino foram criadas como meninas se aceitam como tal dividir o banheiro com alguém do sexo masculino, mas se sente menina, quem esta sendo constrangido de fato?
Como fica a supremacia do direito publico que diz “o direito individual não pode se sobrepor ao coletivo”? Cada um faz da vida que tem, o que bem entender. Eu só gostaria de ter o direito de não participar das escolhas particulares de outrem.
 
Maria Madalena Alves em 19/02/2013 15:22:32
Concordo com quem disse na alternativa de um terceiro banheiro, afinal não seria o terceiro sexo? Tem o homem, a mulher e quem quis se transformar. Não somos obrigados a conviver com isto. Se eles querem respeito que se deem ao respeito, respeitando a sociedade no caso a maioria.
 
Teresa Graça em 19/02/2013 15:12:08
vivemos em livre árbitro, cada um tem o direito de ser o que quiser. E lembrando não jugais seu proximo para não ser jugado, pois o mundo da voltas e a vida é uma caixa de surpresa.
 
laisa silva em 19/02/2013 14:15:14
A "Evolução da Sociedade"... sinceramente sinto falta dos tempos em que não éramos tão evoluidos assim...gostava do tempo em que menina era menina e menino era menino..o tempo em que o filho respeitava os pais e os mais velhos, o ser humano se respeitava. Costumes considerados caretas hoje em dia pela juventude.
A menina, a moça e finalmente a mulher era respeitada, tratada com delicadeza e respeito, e não chamadas de cachorras e outros tantos nomes que não ouso citar... Tradições antigas, concordo, mas que o mundo era melhor com elas, isso era sim...
Ele vai continuar a ser um homem, mesmo que tente modificar... A sociedade não é preconceituosa e sim tradicional e ninguém é obrigado a aceitar mas sim em conviver em harmonia, mantendo a paz.
 
Roseli Moreira em 19/02/2013 14:07:19
É fácil falar de hipocrisia e preconceito quanto é com os outros. Quando digo os outro quero dizer a grande maioria da sociedade, que tem que "aceitar" (pode se ler "empurrar goela abaixo") indivíduos com "opções distintas" de vida. Agora o que falar de todas as outras meninas serem obrigas a dividir o banheiro com um indivíduo do gênero masculino? E os meninos vão ter dividir com as lésbicas também? Respeitar orientação sexual, a forma com que gostaria de ser chamado é uma coisa, mas há limites, isso é uma sociedade. A vontade da maioria é que deve prevalecer, respeitem-nos!
 
Felizarda Lacerda em 19/02/2013 13:47:54
olha, ninguém quer te constranger, mas com todo respeito eu como pai não aceitaria de forma alguma você "NELL" entrar em um banheiro que a minha filha esteja, você não tem que entrar em banheiro feminino e sim em uma banheiro para simpatizantes, esta seria a saida, A ASSOCIAÇÃO deveria solicitar que façam um banheiro para os HOMOSEXUAIS...
 
Alexsandro Oliveira em 19/02/2013 13:31:45
Nell, não consegui entender pq vc vai de biclicleta para a escola, pedalar 15km na ida e 15km na volta, é muito para uma adolescente. Vai de ônibus que o estado te garante o passe livre, é mais rápido e seguro. Pedalar é bom mas não no centro da cidade onde o trânsito é mais perigoso. Fica a dica.
 
REINALDO DE OLIVEIRA em 19/02/2013 13:10:47
Para entender todo esse problema, primeiro temos que entender porque os banheiros são divididos em Masculino e Feminino. Para isso imagine em uma escola com mais de 1000 alunos por turno, onde todos poderiam utilizar o mesmo banheiro independente do sexo. O que vc acha que iria acontecer? Eu desconheço caso de mulheres homoxessuais que se vestem de homens terem problemas com banheiro. Alguém conhece algum caso? Agora homens homoxessuais se vestindo de mulheres sempre encontram problemas com nome e uso de banheiro em locais publicos. Resolvendo o problema: Não existe vaga pra idoso, vaga pra deficiente, banheiro com acessibilidade, então, simples façam banheiros MASCULINO, FEMININO e UNISEX. Abra a sua mente, fuja do sistema.
 
REINALDO DE OLIVEIRA em 19/02/2013 13:02:29
Totalmente favoravel a essa garota..escolha dela,vai precisar de muita luta,mas va em frente..ninguem pode julgar.menosprezar ,avaliar o ser humano..ela quer ser ela parabens,voce consegue...quem tem filhos,netos .irmãos não pode julgar ninguem..que aqui é uma roda viva..reparou PAGOU!!!!!!
 
joão V. H. de Amorim. em 19/02/2013 12:36:59
Bom acho melhor mesmo é criar o 3º banheiro nas escolas, no shopping, nos bancos..... assim niguem ia ficar constrangidos....
 
carmem eliza em 19/02/2013 11:39:22
Quer respeito e não quer respeitar.
Tem pênis, tem que usar banheiro masculino, quando retirar ele, ai sim vc deve usar um banheiro feminino. Antes disso vc é homem e ponto final.
 
Francis Prosper em 19/02/2013 11:24:53
A ignorância por aqui ja começa quando se lê "opção sexual", termo ultrapassado e que não é compatível no que se refere a "orientação sexual" e que ainda assim precisa ser tratado com muito cuidado por ser complexo e abranger muitos fatores e pontos delicados em uma discussão séria como esta. Mas no Brasil é assim, é mais muito mais fácil excluir e julgar do que educar e esclarecer. Que essa menina conquiste seu respeito (não deveria ser necessária uma conquista de algo que todos merecemos) e seja um exemplo pra uma sociedade hipócrita, que na grande maioria bate no peito e enche a boca pra se dizer cristã, mas que não consegue se quer por em prática princípios básicos como amor ao próximo e compaixão.
 
Vinicius Ferreira em 19/02/2013 11:22:08
Sinceramente... com tantos problemas maiores a serem resolvidos, fazer tanta balburdia pela utilização de um banheiro e a não aceitação do SEU NOME e DO SEU SEXO??
Menina, sinto muito, mas vc não é e nunca será uma menina. Com cirurgia ou sem cirurgia, utilizando o banheiro feminino ou masculino, sendo chamada pelo número, ou pelo nome, apelido.. tanto faz. Vc nasceu menino e isso será contigo até a morte. Simples assim !!!
 
Lara Santana em 19/02/2013 11:11:29
Olha em que sociedade hipócrita nos encontramos, com tantos adolescentes perdidos nas drogas, sem querer estudar , sem perspectiva de futuro bom, a "sociedade" ainda barra essa moça , que simplesmente quer ser respeitada , Parabéns Nell , pela coragem, determinação , pelo pai que vc tem , seja sempre assim determinada e lute sempre pelos seus direitos , são de mulheres assim que país precisa.
 
Luciene Lopes em 19/02/2013 10:50:21
Infelizmente as pessoas não entendem que que o mundo mudou, em 1986 Renato Russo já dizia: - O Futuro não é mais como era antigamente. 15 quilômetros, para ir à escola?! Realmente sua determinação em estudar é exacerbada. O artigo 5º da CF diz que todos somos iguais, perante a Lei, claro que isso não se aplica num todo, mas não ocorre porque ficamos sentados esperando por um milagre. Não se intimide, continue a estudar, e corra atrás de seus direitos. Você já tem o respeito de MUITOS! Força!
 
Katia Beatriz Guilherme em 19/02/2013 10:38:17
TODOS os banheiros deveriam ser unisex. PRONTO.
Já acabaria com quaisquer segregação. Na minha casa, por exemplo, temos mulheres e homens e os 2 banheiros são para quem quiser ou estiver mais perto.
No escritório também, temos homens e mulheres e alguns indefinidos. Porém o banheiro é para quem desejar ir. PRONTO.
 
Madalena Arre Pendid em 19/02/2013 10:37:39
continuando: sofrerá todo tipo de ofensas por parte de muitos, e poderá de alguma forma fazer com que outros que utilizam o mesmo banheiro também serem ofendidos, essa pessoa deve ter o respeito por parte de todos e sim, e dá mesma forma respeitar os direitos dos outros, lembrando que não possa se tornar normal a presença de garotos que se tacham como gays para que não vire bagunça e ao invés de direitos vire desrespeito. abraços
 
Marcelo Abreu em 19/02/2013 09:49:30
Quando comecei a ler essa reportagem achei que fosse uma coisa simples de resolverem, mas por outro lado, posso até dizer que sou uma pessoa que acho totalmente ignorante de certo modo de achar que se nasce homem sempre será homem ou vice e versa, nesse caso mudo meu conceito pelo fato desse ou "dessa" ser como uma menina mesmo, diferente dos meninos que se tacham como homossexuais e se comportam de uma forma que acham que devemos aceitá-los pelo simples fato de andarem maquiados e saírem gritando como meros travestis de madrugadas para que assim possam chamar a atenção de quem não é obrigado a ver certas cenas, voltando ao assunto dessa menina, acho sim que ela deveria utilizar o banheiro feminino, pelo fato de que a cada vez que for fazer o uso do banheiro masculino sofrerá todo tipo...
 
Marcelo Abreu em 19/02/2013 09:43:41
"a professora dirá apenas “26” e o rapaz que virou moça passou a ser um número", Isso foi bem poético!
Olha só, os banheiros não são individuais neste colégio? Não tem cabinezinhas? Então porque vai constranger???? Eu me sentiria constrangida, inclusive diante de outras meninas, se nao tivesse porta, porque fazer xixi é algo íntimo.
 
Suellen Kemp em 19/02/2013 09:41:14
Nunca ouvi uma lésbica, querer usar o banheiro masculino. Enquanto tiver o bingolin pendurado, pra mim é homem. Após a operação de retirada, aí sim, é mulher.
 
nilo papito em 19/02/2013 09:40:10
Espero que tenha muitos filhos Rogério Luiz, pois nada melhor que um dia após o outro.
Temos que respeitar essa guerreira, para mim, é uma vencedora, esse negócio de aceitar natureza é só para as mentes primitivas, cada um deve ser aquilo que quer ser.
 
Charles Luciano em 19/02/2013 09:32:24
Acho que voce esta correto(a), em procurar seus direitos, porém para que eles sejam válidos é necessário em primeiro lugar voce regularizar suas condições (mudança de sexo e depois de documentos). Pois imagina da noite para o dia eu querer virar médico e querer que me chamem de doutor, sem eu ter diploma legal !
Entende o que eu quero dizer, não é em hipótese alguma preconceito, pois não possuo isso, cada um escolhe a vida que melhor lhe convém, mas deixo aqui como conselho e dica de como voce deve proceder primeiro antes de exigir algumas coisas!
Boa sorte e seja feliz, não vai ser pelo nome ou banheiro que voce usa que vai te modificar!
 
Carlos Eduardo em 19/02/2013 09:21:01
Não podemos aceitar que a escola seja excludente e sim inclusiva! Qdo a direção impede um aluno de usar um banheiro por causa de sua opção sexual, se demonstra nao preparada para estar a frente do processo educativo dos jovens. Isso tem nome é discriminação!
 
fabio lopes em 19/02/2013 09:20:49
Mas afinal: se as meninas não se incomodam com "outra menina" no banheiro feminino, qual o impedimento? O sujeito já está travestido mesmo! Deixa o cara, diretor! No banheiro masculino fica difícil afastar a calcinha e sentar. Ou então ele coloca a cueca e faz em pé mesmo, como manda o figurino. Uma figura dessas num banheiro masculino está se arriscando desnecessariamente com os imbecis de plantão. E sobra para a Escola, para o Diretor, para o Estado...
 
Marcos Mont em 19/02/2013 09:18:13
É isso ai Nell Isabelle....Força

Lute pelo seus objetivos.
""Preconceito é falta de conhecimento, temos que desvendar e respeitar os outros pelas suas diferenças.""
Pra quê o preconceito?
Se todos somos iguais
por trás desas roupas
Ainda existe pessoas
Que querem ser tratadas
Como pessoas iguais!
 
Isabela Gonçalves em 19/02/2013 09:16:36
Mona Sales, desde quando ser homosexual é cultura???
Eu axo que deveriam consultar as alunas do colégio para saber se a situação seria constrangedora ou não, porque de fato está sendo constrangedor ela ter que usar o banheiro masculino, isso deve ser meio tenso para os garotos, uma vez que ela é uma garota!!
 
NAIARA FERNANDA em 19/02/2013 09:05:14
Guerreira... Você pode, você quer, você consegue! Não desista, são seus valores e suas atitudes que podem mudar o rumo dessa sociedade comodista e fechada! Tem o meu apoio.
 
Fernanda Gomes em 19/02/2013 08:50:14
se sua familia aceitou,a sociedade deve te respeitar como vc é.....força e coragem
 
nilda lima em 19/02/2013 08:46:36
Parabéns pela coragem!!
E como disse Gonzaguinha: "Tudo principia na própria pessoa.".
 
JESSICA MACHADO em 19/02/2013 08:46:00
É triste ver o preconceito se sobrepor ao respeito ao próximo!
Ela quer somente respeito.......
 
RENATA MELLO RORIZ em 19/02/2013 08:43:46
(continuação)...ademais, quantos os que julgam aqueles que se assumem como tal (eu mesmo, infelizmente muitas vezes fiz isso), mas não observam o poço de defeitos no qual está chafurdado...quantos que os julgam, se fazem de bom pai, mas traem suas esposas..se fazem de bom cristão, mas não saem em uma noite fria para alimentar quem tem frio e fome nas ruas...se fazem de bons e generosos até o momento que não lhes convém....criticam quem tem um vício, como bebida ou drogas, as não consegue acabar com um simples vício de roer as unhas (meu caso)......Gente, o nosso problema, "nosso" a nível de brasileiros, é moral (o Renan Calheiros só voltou a ser presidente do senado porque alguém o elegeu a senador)...vamos deixar cada um ser a personalidade que quis ser, e confiar no PAI..Nell parabéns!
 
Demis Guedes em 19/02/2013 08:39:48
Belo exemplo esta dando essa escola!!!! acho que esqueceram de lembrar a essa diretoria que a escola e o berço da socialização que e ali que as opiniões são formadas naquele ambiente e que se forma o cidadão, como eu disse "belo exemplo de preconceito de desrespeito de ignorancia ...............
 
daniel avalos em 19/02/2013 08:37:03
Deixado em segundo plano a questão da orientação sexual de cada um, acho que temos de reconhecer a luta da pessoa na defesa de sua identidade, na defesa de seus direitos.
De fato, não consigo entender de certa forma como alguém "se torna" homossexual...acredito que seja algo ligado ao espírito do ser, pois nenhuma pessoa em são consciência optaria em escolher uma condição no qual seria execrada pela sociedade...claro que os excessos tem de ser contidos, como os que vemos nessas paradas gays, mas indiscutivelmente a condição escolhida deve sim ser respeitadas pelos demais...
Olhem este caso e o quanto de respeito devemos ter...é um jovem de apenas 17 enfrentando uma briga pesada, do cruel universo adulto...por isso, o respeito e o incentivo a lutar por seus direitos....ademais (continua)
 
Demis Guedes em 19/02/2013 08:33:54
ELA quer estudar ...ela esta brigando pelo seu direito de nao ser discriminada pela sua opçao as escolas falam tanto em inclusao social e eles proprios sao preconceituosos . Ela nao pode ser chamada pelo nome social por que? mas concerteza pode ser ofendida por outros alunos ...Sera q a direçao da escola esta sabendo lidar com isso kd secretaria de educaçao p orientar como proceder.Ela esta sendo um exemplo de coragem eu ja ouvi falar sobre ela uma pesoa honesta q trabalha muito ...Ela merece nosso respeito
 
carolina Ferreira em 19/02/2013 08:28:33
Que triste!!!
 
Olavo Nunes em 19/02/2013 08:21:28
Toda mudança´pelo normal já tem dificuldade e quando é uma mudança por emoção e ilusão, é mais complicada. Nem um homem é capaz de mudar o que a natureza fez. Se eu fosse Diretor eu jogaria para as meninas decidir sobre o uso do banheiro democraticamente. Muitas vezes vemos pessoas com mais idade dificultando os jovens de viver a vida; seria bem melhor orientar, conversar e quem sabe assim ajudar.
 
luiz alves em 19/02/2013 08:05:34
Força.... GAROTA ....Força...

Não deixe de ser quem é e nem lutar por seus direitos e ideais por conta de uma minoria sem cultura.
 
Mona Sales em 19/02/2013 08:01:47
Talvez o maior problema da utilização do sanitário público seja que uma pessoa dessas possui um órgão masculino.
 
Sandro Lima em 19/02/2013 07:43:42
Absurdo levar a sério uma piada destas! Se quer respeitar a opinião dos outros, seja aquilo que a natureza, ou Deus (para os religiosos), lhe determinou quando você nasceu.
Se tem problema, vá se tratar.
 
Rogerio Luiz em 19/02/2013 07:42:16
se o nome oficial nao e esse, infelismente nao podera ser chamada pelo tal. enquanto nao for legalmente considerada mulher tem que ser tratada como homem, porem nao custa respeitar sua opçao.
 
selma ferreira em 19/02/2013 07:34:13
eu acho q seria muito ridculo e constrangedor uma figura femenina num banheiro masculino nao pegaria bem entao ou libera o femenino ou faz o 3 banheiro e pratico simples meu deus oq ha d mais nisso me popem sejamos mais praticos e abaicho preconceito
 
skarlath almeida em 18/02/2013 21:01:10
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.