A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

19/09/2014 06:26

Apaixonado pela cidade, arquiteto tatua no braço arara, obelisco e relógio da 14

Paula Maciulevicius
Posição que deu origem à composição. Arara vai unificar as tatuagens. (Foto: Thiago Faustino)Posição que deu origem à composição. Arara vai unificar as tatuagens. (Foto: Thiago Faustino)

Não foram as primeiras e nem serão as últimas tatuagens, mas passar da temática japonesa para pontos turísticos regionais foi uma mudança e tanto. Para homenagear Campo Grande, o arquiteto Thiago Faustino, de 28 anos, escolheu três itens que são a cara da cidade: arara, obelisco e o relógio da 14 para desenhar no braço. Elas ainda não estão prontas e pelo visto podem ganhar mais elementos.

Veja Mais
Casal queria poetizar início, mas soube rimar como ninguém o "fim" do amor
Monogâmico ou não, gays e lésbicas querem o direito de viver a afetividade

"Para mim é como uma arte viva que já passou por várias propostas diferentes até chegar a que está sendo desenvolvida em meu braço", explica ao Lado B. Ao numerar as tatuagens ele faz questão de pontuar que "até o momento" são só essas.

Depois da fase japonesa, ele quis criar uma tatuagem que fosse única e o representasse melhor, com o pensamento focado em não seguir estilos conhecidos. Pela profissão, a primeira ideia era de fazer algum edifício antigo de Campo Grande e o obelisco. "Fiz o desenho e passado um tempo resolvi que seria no braço, somente o obelisco em forma de pintura imitando aquarela com a frase de Manoel de Barros: "Livre para o silêncio das formas e cores", justifica.

Arquiteto ainda não sabe como a tatuagem será finalizada. Por enquanto estão obelisco de um lado, relógio do outro e arara no centro. (Foto: Arquivo Pessoal)Arquiteto ainda não sabe como a tatuagem será finalizada. Por enquanto estão obelisco de um lado, relógio do outro e arara no centro. (Foto: Arquivo Pessoal)

Nascido e criado em Campo Grande, foi esta a forma encontrada por ele de homenagear a cidade e também a profissão. Feito o desenho original, Thiago foi até o estúdio do tatuador Kallel, mas mudou de ideia e da primeira sessão, em abril, saiu só com o obelisco tatuado, sem frase e nem pintura.

Passados dois meses, ele resolveu que o desenho podia ganhar outros ícones arquitetônicos de Campo Grande. O próximo passo foi o relógio da 14. O detalhe ficou por conta dos marcadores, os ponteiros foram a última coisa feita pelo tatuador para que Thiago decidisse que horário teria gravado na pele. "Decidi que seria a hora do meu nascimento, 7h45 e curiosamente também coincidiu de ser a hora exata em que ele concluía a tatuagem, às 7h45", conta.

Agora em setembro, a cabeça de Thiago começou novamente a arquitetar outra tattoo, composição para unificar as duas primeiras. Ele chegou a pensar que o Hotel Gaspar ou o Edifício José Abrão, marcos arquitetônicos, pudessem atender à proposta ou ainda os extintos cinemas Alhambra e Santa Helena, mas desistiu porque queria seguir a tendência de ser preto e branco.

A inspiração veio no caminho para o trabalho, enquanto esperava o semáforo abrir na Rua Dom Aquino. "Estava observando a Praça das Araras e percebi que era por aquele caminho que deveria ir a minha tatuagem", narra. Na última sexta, ele iniciou o processo da unificação usando a praça como referência. "Escolhemos uma posição da praça, e para dar mais vida ao desenho, selecionamos imagens de araras reais em posições muito semelhantes para servir de moldura para os outros desenhos da composição", sustenta Thiago.

O arquiteto ainda não sabe, ao certo, como e quando a tatuagem será finalizada. Entre as possibilidades estão fechar o desenho com um ipê e uma simulação do pôr do sol de Campo Grande, que costuma chamar a atenção dos turistas. "Por conta do tamanho das araras, a proposta está em aberto e tomando novo rumo. Tenho o lado interno deste braço como uma tela em branco e com certeza irá fazer parte do original, mas isso ao futuro pertence, no momento o foco é finalizar o que eu já tenho como certo", descreve.




Que bom que ele conseguiu achar um tatuador que saiba desenhar uma arara descente, pois as que vemos aqui em Campo Grande, tanto em tatuagens como em grafites de muro, mostra que nossos artistas tem um sério problema para desenhar aves e animais, as onças que vemos por aí sempre tem as patas desproporcionais ao resto do animal, isso no mínimo.
Mas quanto as tatuagens do Thiago, só achei que o tamanho ficou um pouco grande.
 
maximiliano rodrigo antonio nahas em 19/09/2014 12:58:56
A tatuagem ficou muito boa, a pintura a cor e tal. E gosto é gosto né, eu não faria em mim nada relacionado a amor à Campo Grande, mas se ele gosta tá valendo. Ficaram muito boas mesmo
 
Cyro Escobar Ribeiro Neto em 19/09/2014 08:35:22
PARABÉNS PELAS TATUAGENS É CORAGEM E PARA FINALIZAR ABAIXO DELAS CONTORNE O BRAÇO COM OS TRILHOS DO PROGRESSO QUE CHEGARAM FIZERAM A SUA PARTE, E HOJE SÃO HISTÓRIA. O NOSSO QUERIDO TREM DO PANTANAL.
 
Luiz Carlos Santos Messias em 19/09/2014 07:27:38
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.