A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

04/02/2013 09:36

Assoar o nariz em público, hábito que surpreende campo-grandense lá fora

Paulo Souza, de Munique - Alemanha
Atleta alemã assoa o nariz em público e colega se incomoda só com o barulho.Atleta alemã assoa o nariz em público e colega se incomoda só com o barulho.

O jeito brasileiro de ser pode não gozar de boa fama no exterior, por conta, na maioria das vezes, de uma visão distorcida. Até já fomos taxados de não ser um País sério, em frase histórica atribuída ao ex-presidente francês Charles de Gaulle (1959-1969), mas tem uma coisa que contraria as regras da boa educação e do respeito ao próximo, que os franceses e alemães fazem, sem nenhuma cerimônia, e nós não faríamos de jeito nenhum: assoar o nariz em público.

Veja Mais
Astrologia védica mostra o futuro, mas também ensina a aceitar o destino
Como mágica, o amor encontrou o palhaço e romance vive liberdade em belas fotos

No final de semana, sob chuva incessante e temperatura de 3 graus positivos, mas sensação de zero grau, os restaurantes e cafés de Munique, na Alemanha, ficaram abarrotados. E a cena com gente assoando o nariz, alguns com direito ao som que lembrava uma corneta, foi de fazer brasileiro sentir nojo.

“Nossa! Isso é muito nojento. Acho que no frio, como há uma incidência maior de gripe e resfriado, eles nem querem saber onde estão e mandam ver no guardanapo, no lenço, no que tiver na mão”, diz a campo-grandense Maria Cecilia Almeida, que está em férias pela Europa com os pais e dois irmãos.

“Os franceses fazem a mesma coisa. Difícil saber quem é pior. Lá em Paris, uma senhora fez isso do meu lado enquanto eu comia um pãozinho bem saboroso no café da manhã. Levei um susto e meu estômago revirou”, relata ela em gargalhadas.

A paulista Vânia Dalpasqualle vive há um ano em Frankfurt e também já adquiriu o hábito. “Acho feio, mas muitas vezes me pego fazendo a mesma coisa. O pior é que isso pega”, comenta.

Segundo ela, os alemães assoam o nariz até em programas ao vivo na televisão. “E o exemplo se espalha pelos quatro cantos do País”, diz, enquanto tampava os ouvidos para não ouvir um homem elegantemente vestido repetir o gesto logo que sentou à mesa do restaurante.

Vânia conta que há outro costume na Alemanha que não acontece entre os brasileiros: levar o bicho de estimação, especialmente cachorro e gato, aos restaurantes e cafés. “Hoje aqui em Munique, como está chovendo e fazendo muito frio, eles deixaram os bichinhos em casa, mas isso também é cena comum. O interessante é que os bichos não avançam, mesmo sem focinheira, e não latem”.

“Viajamos de Roma para Munique por uma companhia aérea italiana e no avião tinha um alemão com um cachorrinho no colo, sem a gaiolinha. Acho que ele deve ter dopado o bicho porque não se ouviu nenhum latido”, concorda a campo-grandense Maria Cecília.

Ela diz que ficou surpresa ao saber que na Alemanha se paga imposto anual para ter cachorro e gato, entre 25 a 110 Euros, dependendo da raça e do tamanho do animal. “Só falta o Puccinelli implantar isso lá em Mato Grosso do Sul. Ainda bem que não tenho cachorro nem gato”, brincou.




Gostaria de reproduzir na integra o comentário de Jessica Santos "Eu adoraria ver milhares de pessoas assoando o nariz nas ruas e não ver crianças mendigando, não tendo casa para morar, alimentos pra comer e se drogando como se vê no Brasil inteiro. Aposto que essa cena as pessoas já nem se importam e viram a cara pra não ver." Como é bom saber que ainda tem pessoas inteligentes e de sensibilidade em nosso país. Parabéns Jessica, endosso as suas palavras. Deveríamos deixar de ser tão hipócritas e fúteis e dar valor as coisas que realmente são importantes. Assoar o nariz é um ato de necessidade biológica, sendo assim, não vejo nada de mais as pessoas o fazerem com higiene.
 
Roberto Almeida em 03/08/2013 18:11:23
Eu adoraria ver milhares de pessoas assoando o nariz nas ruas e não ver crianças mendigando, não tendo casa para morar, alimentos pra comer e se drogando como se vê no Brasil inteiro. Aposto que essa cena as pessoas já nem se importem e virem a cara pra não ver.
 
Jessica Santos em 05/02/2013 08:17:18
sentam em cima do rabo pra falar do outro...me poupem com tanta burrice
 
silvia reis em 05/02/2013 08:13:12
É isso aí Adriano. São dessas coisas que você mencionou que devemos ter nojo e vergonha.
 
Francisca Mesquita em 05/02/2013 07:58:54
Ninguém é perfeito...
 
Silvio Alves em 05/02/2013 05:18:06
O Brasil não usa lenço, porque a maioria dos brasileiros não conhece este produto, é mais facil passar as costas da mão no nariz e esfregar nas calças. e quando escorre muito, da uma boa puxada pra dentro da boca. Sera que é isso que da nojo?
 
Gilberto DIAS em 04/02/2013 19:21:38
Em compensação, lá NÃO SE VÊ: esgoto à céu aberto, favelas, remédios falsificados, políticos corruptos em penca, criminosos condenados nas ruas, lixo nas ruas, gente cuspindo no chão... bem, melhor parar por aqui, pois faltaria espaço!
 
Adriano Roberto dos Santos em 04/02/2013 17:46:52
Meus amigos já visitei berlim 4 vezes e sempre que vou para a Europa dou uma passadinha na Alemanha, não dá para comparar em absolutamente NADA o Brasil com a Alemanha, eles são no mínimo umas 20 vezes mais evoluídos em TUDO, povo sério, país sério e organizado, em Berlim que é uma cidade gigantesca, TUDO funciona, você pode andar na rua em qualquer bairro a hora que quiser, é um povo seco? É, mas lá não existe jeitinho se você gosta de regras é o país perfeito, porque lá a lei é cumprida e um povo extremamente trabalhador e culto, não é a toa que mesmo após o desastre que foi a segunda guerra mundial, hoje eles são a maior potencia da europa, com um dos melhores idhs do mundo, a cultura alemã é infinitamente superior a brasileira, lá o coitadismo NUNCA teve vez, o resultado ta ai.
 
Ronaldo Campos em 04/02/2013 16:05:35
Eu estou com alergia e assoo o nariz, sim! Onde eu estiver. Eu tenho vergonha e nojo é de gente preconceituosa, pessoas que não cumpre o combinado ou os horários, pessoas mentirosas, e vergonhas de andar nas ruas sujas de campo grande, e quem suja??? e vergonha de ter que andar com medo de ser assaltada. Isso é nojento e vergonhoso.
 
Francisca Mesquita em 04/02/2013 14:30:04
Cada país tem suas particularidades!! Não quer ver?? Então não viaja!! Gosto muito de viajar e ver as diferênças entre um lugar e outro, isso é que me surpreende.. Um mal exemplo no Brasil é fazer xixi nas paredes durante o Carnaval... Será que os estrangeiros que vem para o Brasil nesta época do ano sentem o mesmo nojo que a Maria Cecilia Almeida sentiu?
 
Claudio Vieira em 04/02/2013 12:38:07
Lá não se joga papel no chão, vc não é assaltado, ninguem bota fogo em terreno, não existe lixão, não tem dengue, os impostos são gastos para o bem da população e tantas outras coisas que nós nem sonhamos em ter um dia aqui no Brasil.
Nossa que preocupação em assoar o nariz em "público".
Essa matéria só prova que perdemos tempo com coisas inúteis e o que vale mesmo a pena nós não estamos nem aí.
Eita paizinho que nunca vai pra frente.
 
Pedro Alcantara Machado em 04/02/2013 11:56:47
Sr. Paulo Medeiros eu tiro-lhe o chapeu, vc tirou-me as palavras da boca, tem gente que sai do Brasil e se espanta com o que vê lá fora, imagina que aqui não existe nada disso, mas é evidente que é mais fácil criticar os outros do que olhar para o próprio umbigo náo é verdade? E ainda essas sras. que devem de ser o exemplo de educação veem falar abobrinhas e coisas sem nexo, mas o engraçado é que lá nao tomam banho não é? E aqui?? Será que se cumpre á risca todo esse asseio que o Brasileiro tem o orgulho de falar, que é mais limpo que os outros?? Será?? É triste falarmos dos outros e nao enxergarmos a nossa imagem no espelho, acham estranho assoar o nariz em publico, nao me façam rir, pois existem coisas bem piores que isso, tendes vergonha de falar isso.
 
Hugo Vieira em 04/02/2013 11:43:27
Alguns serviços que no Brasil é cortesia, na Europa é cobrado como por ex: se pesar nas farmácias , banheiros públicos café e aguá nem se fala ,dia desses fui pra lisboa chegando lá resolvi dar um trato na cabeleira paguei daí o gajo me pergunta , quer que eu passe gel ?,falei tudo bem pode passar estava de saída quando ouvi uma voz sr: tens que pagar pelo gel opá. achei um absurdo mais tive que pagar mais esse serviço se a moda pega estamos lascados.
 
Jonas Alves em 04/02/2013 11:25:31
Esse povo aí, nem banho toma direito. Segundo, brasileiros que foram lá para a terra deles,
disseram que um por semana tá bom. Então, assoar o nariz...
 
Cléber Córdoba em 04/02/2013 10:30:18
Quem se lembra da última Copa do Mundo em que o mundo flagrou o técnico Alemão tirando um baita torrão no nariz e depois colocando na boca??? Na boa, as vezes os países de 1º mundo, não são tão primeiro mundo assim do jeito que muitos pensam....
 
Marcelo Batio em 04/02/2013 10:21:00
Como se o campo-grandense não assoasse o nariz ou cuspisse no meio da rua...

Como se em outros locais do Brasil, como no Rio, não fosse comum ver cães carregados pelos donos em bares, cafés, casas de suco, etc...

 
Rafael Cogo em 04/02/2013 10:20:58
Que feio a atitude deles e que feio ficar contando vantagem! Aqui no Brasil é comum você ver uma pessoa escarrando e cuspindo na rua, cutucando o nariz em público, espirrando na mão (o "menos errado" é cobrir a boca e as narinas com um lenço ou com a parte interna do cotovelo durante o espirro, pois nossas mãos podem cumprimentar outra pessoa, ter contato com corrimãos e outros objetos de uso comum), entrando em lojas que vendem alimentos sem camisa (ou até mesmo somente com trajes de banho em cidades litorâneas), etc. Não podemos criticar muito, porque se formos ver em outros aspectos (quase todos) são nações muito mais evoluídas, especialmente na educação e respeito, características que, na minha opinião, são muito mais importantes que receptividade e simpatia.
 
Paulo Medeiros em 04/02/2013 10:11:21
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.