A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

20/08/2016 07:15

De ave a cachorro, membros da família entram no estúdio e no álbum de gravidez

Naiane Mesquita
Tarsila e Camila juntas no ensaio para registrar a gravidez (Foto: Carlos Brandão)Tarsila e Camila juntas no ensaio para registrar a gravidez (Foto: Carlos Brandão)

O calopsita Guri tem um ano de idade, mas uma importância enorme na vida do casal Nataly Gomes de Almeida, 37 anos e Rudimar de Almeida, 37 anos. Grávida, a espera de Miguel, que tem o parto previsto para o dia 21 de setembro, ela fez questão de levar o pássaro para o ensaio fotográfico que registrou os últimos momentos do barrigão. “Não tinha como ele não ir”, enfatiza a futura mamãe.

Veja Mais
Astrologia védica mostra o futuro, mas também ensina a aceitar o destino
Como mágica, o amor encontrou o palhaço e romance vive liberdade em belas fotos

O calopsita Guri fez pose para a câmera o tempo todo (Foto: Carlos Brandão)O calopsita Guri fez pose para a câmera o tempo todo (Foto: Carlos Brandão)

Guri chegou na vida da fonoaudióloga e administradora quando ela tinha recém perdido o primeiro bebê, na sétima semana de gestação. Sem filhos, ela tentava há um ano engravidar. O pai dela, sensibilizado, decidiu que daria um animal de estimação para fazer companhia ao casal. Como Rudimar não gosta de cachorros, o passarinho foi a solução.

“Eu crio ele solto em casa, não tem nenhum problema, a não ser que ele é um pouco curioso”, ri. No primeiro momento, ter um bichinho assim pareceu estranho, mas logo o celular se encheu de fotos da calopsita. “Quando engravidei usei o desenho dele nas lembrancinhas, junto com o nome do Miguel, tudo que a gente faz tem o Guri. Ele tem expectativa de vida de 25 anos e está há um ano com a gente, não imaginamos mais nossa vida sem ele”, confessa.

Esse carinho de quem tem um bichinho de quatro patas ou penas é cada vez mais comum em ensaios de gestantes.

São tantos os casos, que Carlos Brandão virou especialista no assunto. Com o tempo, ele descobriu que, para a maioria dos casais, o animal é como um filho. “O sentimento é como de um outro filho, um mais velho, que tem que aparecer no ensaio de qualquer forma. Normalmente são cachorros, só a calopsita que foi mais diferente”, conta Carlos.

 

Lorenzo de apenas um mês dividiu a cena com Floquinho, o cachorro da família (Foto: Carlos Brandão)Lorenzo de apenas um mês dividiu a cena com Floquinho, o cachorro da família (Foto: Carlos Brandão)

Outra que bateu o pé e exigiu a presença da filhinha mais velha foi a representante de medicamentos, Camila Becher, 36 anos. “Se fosse sem ela para mim não servia. Ela está há mais tempo na estrada comigo que qualquer outra pessoa. Estamos juntas há nove anos. Eu casei há três anos e meu marido também adora a Tarsila”, explica Camila.

Grávida do primeiro bebê, ela espera João chegar no mês que vem. Apesar de ter estranhado no início, a schnauzer Tarsila agora é só amores com a barriga da dona. “No início ela ficou estranha, acho que ficou com ciúmes. Mas, agora fica em cima, não sai de perto da minha barriga”, conta.

A história da cadela é cheia de momentos difíceis, como um câncer nos ovários e mama no ano passado, além de algumas fugidinhas de casa.

Arethusa ao lado do marido e da cadela Luna, da raça GoldenArethusa ao lado do marido e da cadela Luna, da raça Golden

“Na última meu marido Edson participou. Também ficou desesperado, compartilhou foto no Instagram, no Facebook, até que ela foi encontrada. Todo mundo adora a Tarsila e ela ficou linda nas fotos. Já deixei de viajar por causa dela, para cuidar da cirurgia para a retirada do câncer e quando ela está bem, ela vai com a gente para o Paraná. Tarsila é nossa filha mais velha”, brinca Camila.

E não é só com as gestantes que os animais entram no álbum. O fotógrafo nem reclama, porque normalmente, os animais não costumam dar trabalho no estúdio, diz Carlos Abraão.

A calopsita, por exemplo, até cantou durante a sessão de fotos. Outra vez, o cãozinho da família, além de comportado, ainda olhou para o sapatinho do bebê em uma daquelas clássicas fotos de gravidez.

“Eles se comportam, interagem muito bem com os donos. Só duas vezes que os cachorros ficaram mais agitados, mas com o tempo eles se acostumam com o ambiente”, explica o fotógrafo.

Já curtiu a página do Lado B?




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.