A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

22/12/2013 10:55

Depois da balada, motorista fica 5 horas dormindo com motor ligado na rua Bahia

Ângela Kempfer
Caminhonete parada na rua Bahia, com motor e faróis ligados.Caminhonete parada na rua Bahia, com motor e faróis ligados.

Por mais de 5 horas, uma caminhonete Amarok permaneceu parada, com o motor ligado e os faróis acesos, em um dos trechos mais íngremes da rua Bahia. Enquanto o óleo diesel ia embora, o dono do veículo dormia no aconchego do ar condicionado.

Veja Mais
Uber multado, reajuste de ônibus e cidade sob chuva bateram recordes nas redes
Do Corinthians ao canteiro de obra, zagueiro que virou servente tem nova chance

Diante da cena, quase na esquina com a Afonso Pena, era impossível não parar para tirar conclusões. “Achei até que era crime, que tinha alguém morto. Mas abri a caminhonete e vi que ele estava vivo quando se coçou”, conta o locutor da Rádio Blink, Paulo Vitor.

Ele diz que chegou para trabalhar às 3h50 e a Amarok já estava ali, quase em frente à sede da emissora, “estacionada” a cerca de 1 metro do meio fio, como se o motorista estivesse no rumo de casa, mas sem conseguir avançar.

“Resolvi abrir a porta e travar a caminhonete. Tentei acordar o cara, mas ele continuou dormindo”, lembra Paulo. O motorista só resolveu reagir lá pelas 9 da manhã, quando, interessada em contar a história, eu bati na janela.

Como se ainda estivesse dormindo, o dono do veículo ainda demorou uns 10 minutos para começar a explicar o que “achava” ter acontecido. Decidiu se apresentar e contar detalhes da noite anterior, mas só com a condição de que não seria identificado. “O exemplo vale mais”, justificou.

O homem de 43 anos é um produtor rural de família tradicional de Campo Grande. Ontem, diz que praticamente cruzou o Estado, foi de Porto Murtinho a Ponta Porã e chegou no fim da tarde em Campo Grande. “Tomei banho e sai”, lembra.

Encontrou amigos, foi para uma festa, bebeu e, de volta para casa, foi vencido pelo sono. Ele jura que só consumiu duas doses de uísque, apesar de admitir que ficou “sem condições de voltar” e por isso virou um “péssimo exemplo”. “Acho que eu estava mais cansado pela viagem do que pela bebida. Mesmo assim, não tem justificativa. Errei mesmo, feio. Mas pelo menos fiquei aqui. Tenho certeza que não corri em nenhum momento”.

Ele acabou parando a quase 6 quilômetros de casa (mora no Parque dos Poderes), com as portas destrancadas, carteira, um iPhone, chaves na ignição e tudo mais disponível aos ladrões. A Polícia Militar foi acionada, mas não apareceu. “Ninguém pegou nada né? Tem de agradecer”, conclui.

Com a besteira depois de uma noite animada, o motorista recorre à máxima do “ninguém é perfeito”. “Todo mundo está suscetível a fazer besteira. Nunca tinha acontecido isso. Não acredito na perfeição. Procuro ser uma pessoa boa. A gente sempre aprende depois de uma situação dessas”, ensina.




Roberto Munhoz desculpe, mas se levarmos em conta a proporção de veículos/população de Curitiba, o número de acidente existe na referida capital é MUITO MENOR que Campo Grande. A realidade de Curitiba, conheço muito bem.
O transito de Campo Grande é muito VIOLENTO, com muita gente despreparada e mal
educada.
Quanto a matéria em pauta, acho que o motorista fez o procedimento correto, encostou o veículo e tirou sua soneca. Qual o mal disso??? melhor que sair dirigindo sem condições e colocando sua vida e de terceiros em risco.
 
Neyde de Oliveira em 26/12/2013 13:07:20
Concordo com o Samuel Gomes, os "meganhas" devem ter consultado a placa da pickup e quando viram de quem se tratava fizeram vista grossa, se fosse um qualquer de classe média ou pobre tava ferrado.
 
Mathias Hanns em 23/12/2013 14:59:33
Bom, ao que tudo indica, tudo não passa de afirmações do locutor da rádio. Não duvido dele, mas o que segue é que, se bebeu ou se apenas estava com sono de tanta estrada, ele agiu da forma recomendada por peritos no assunto.
Quanto as acusações de que Campo Grande não tem polícia nas ruas, me desculpem, mas vocês não estão por dentro das realidade de Campo Grande e das demais capitais do País. Estive em várias cidades fora do MS e, em em todas elas, não vi tanto policiamento nas ruas como eu vejo em nossa Capital, que é sim uma das mais seguras do Brasil e com número de acidentes muito menor do que cidades como Vitória/ES, Curitiba/PR, São Paulo/SP, Belo Horizonte/MS, Goiânia/GO e tantas outras.
Parabéns ao motorista pela atitude. Parabéns à todos da Segurança Pública do MS.
 
Roberto Munhoz em 23/12/2013 13:44:53
Mesmo estando dirigindo uma amarok, e sendo de familia tradicional deve ser punido.
Se estava estacionado à 1 metro do meio fio, estava atrapalhando o trânsito.
Se estava dirigindo bêbado, merece multa e pontinhos na CNH.
Sorte que os PM também estavam bêbados de sono, e não compareceram ao local.
 
VALDIR VILLA NOVA em 23/12/2013 09:09:27
Campo Grande não tem policia na RUA.
 
Jorge Fernandes em 22/12/2013 20:58:19
teve sorte amado não terá próxima eu creio qualquer situação suspeita pegue um táxi ok.
 
maria j.v.figueiredo em 22/12/2013 19:35:59
O mais interessante é que esse ponto aí é a milímetros da Companhia de Policia de Trânsito.
 
Silvio Lucas em 22/12/2013 17:55:15
graças a deus ele parou, pior é ter continuado, matado alguém e morrido também num possível acidente.
 
aroldo dias em 22/12/2013 16:37:29
Hoje estava fazendo minha caminhadinha básica na orla morena e ouvir sobre isso no radio. kkk
 
Francisca Rodrigues em 22/12/2013 16:15:48
Nessa cidade pol[ícia de trânsito não fiscaliza nada e quando o faz é só em cima dos titanzeiros. Lei seca aqui é só no papel. Uma vergonha!!
 
Cezar Pinheiro em 22/12/2013 15:33:21
MAS O POVO GOSTA DE UM ASSUNTO NÉ, O CARA SIMPLESMENTE PAROU O CARRO E TIROU UMA SONECA MELHOR QUE SAIR DIRIGINDO BEBADO NO TRANSITO
 
Rosemeire Oliveira em 22/12/2013 13:45:35
Ainda bem que ele dormiu, e não tava dirigindo cansado e bêbado pelas ruas! Mas na próxima é melhor pegar o táxi!!
 
Josimar Dos Santos em 22/12/2013 12:52:06
Vou deixar minha opinião aqui porque sei que vai chover críticas a esse motorista: Não é a bebida que causa o acidente, mas sim o motorista irresponsável que bebe e sai fazendo loucuras nas ruas. E independente de bebida, a orientação dos especialistas é essa mesmo, se você estiver dirigindo e deu sono para e dorme. Existem estudos que comprovam que dirigir com sono é pior que dirigir bêbado. Era melhor que levassem sua carteira ou Iphone do que você dormir no volante e cair no córrego ou causar qualquer outro acidente.
 
RODRIGO SILVA em 22/12/2013 12:21:09
Concordo que ninguém seja perfeito mas o fato é que ele correu risco de acidentes e fora poderia ser assassinado assim como houve um caso em SP amigos vigiem querem curtir vai de taxi ou vai com alguém que não bebe pq vcs são especiais okk .
 
Vanildo Rocha em 22/12/2013 12:06:08
O engraçado que a sede da policia de transito esta a menos de 200 metros do local do sono.
 
Marcos Pedrosa em 22/12/2013 12:06:00
Rico tem cada mania!!! Esse ai que por ser de uma "família tradicional" de Porto Murtinho(????) encheu a cara e como bom cidadão sabendo que não se pode dirigir bêbado, parou seu carrão na rua e dormiu, evitando causar uma grande tragédia. Pior, que a PM foi chamada mas pelas placas do luxuoso carro soube que o bebum é de uma "família tradicional", achou melhor não ir,afinal teria de que formalizar a ocorrência. Fique tranquilo, vc não cometeu nenhum crime e ainda, mesmo bebaço, teve consciência de parar o veiculo e dormir, sorte que os ladrões estavam dormindo e não te acharam primeiro. Dormindo também e sem comando, estavam os PMs. Será que ladrão e PM combinaram de dormirem ao mesmo tempo?
 
samuel gomes-campo grande em 22/12/2013 11:58:47
Deus cuida dos bêbados e das criancinhas! Vai para a igreja agradecer esse milagre filho! E da próxima vez chama um táxi vai!
 
Maria Silva em 22/12/2013 11:56:05
O ser humano não é uma maquina, tem que parar pra recarregar rsrsrs
 
Marcos Wild em 22/12/2013 11:55:49
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.